Pesquisar neste blog:

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Introdução ao Estudo da Apostasia

Da Série: Estudo da Sobre a Apostasia.
Assuntos correlatos: Parusia, Segunda Vinda de Cristo.

    

Foi impressionante a atividade missionária do Senhor Jesus Cristo em levar a Palavra do Reino de Deus à todos os homens e mulheres de sua época. Não importava o tempo em que “aquele homem da Galileia” pregava. Como Messias que ele era, em seu desígnio, além de curar, libertar, sarar, transformar o ser humano, estava o legado de levar o anúncio do Reino de Deus aquele povo judeu. O primado dos profetas, com toda a profecia, plenificava-se no próprio Deus-homem, uma vez que deixou Seu Trono glorioso para está com as criaturas tão amadas. Na beira de um mar, na sinagoga, nos montes ou vilas. Sermões, parábolas, ensinos, doutrina, etc; o fato é que as pessoas ficavam impactadas com cada palavra que saia dos lábios daquele homem, o Deus Encarnado, que se fazia presente no meio dos homens pecadores. O Santo em meio aos homens decaídos!

O apóstolo Pedro, no início de seu ministério, atestou, quando pregava à casa de Cornélio: “Jesus de Nazaré foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder. Por toda a parte, ele andou fazendo o bem e curando a todos os que estavam dominados pelo diabo”.

(Atos dos Apóstolos 10, 38)

Você já imaginou que multidões de almas foram arrancadas das garras de Satanás a partir do momento em que o Senhor Jesus encarnou-se e veio habitar entre nós? Grande foi a guerra que Jesus travou com o império das trevas ao levar o anúncio do Reino de Deus, já que outro reino imperava no mundo até o dado momento. Em Cafarnaum, numa das curas realizada pelo Senhor Jesus percebemos isso claramente esclarecido pelas Sagradas Escrituras. Analise o que o próprio espírito maligno revela:

Que queres de nós, Jesus Nazareno? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: o Santo de Deus!”

(Marcos 1,24)

O inferno já sabia que seu tempo de “glórias”, estava com os dias contados. Brevemente, os homens voltariam ao seu estado de comunhão e amizade com o próprio Deus! As algemas e grilhões ao pecado já não teriam mais sentido para todos os homens e mulheres que se renderiam ao Amor de Deus em suas vidas. Afinal de contas, como nos diz o apóstolo João em sua epístola: “O Filho de homem se manifestou para destruir as obras do diabo” (I João 3, 8b).

Quando na cruz, Jesus entrega todo o seu ser como sacrifício verdadeiro ao Pai, derramando seu sangue pela humanidade, Ele adquire para Deus “gente de toda tribo, língua, povo e nação”. (Apocalipse 5, 9). Por isso, afirma o apóstolo Paulo em I Coríntios 6,20: “Fostes comprados, e por um preço muito alto!”

Pronto! Não estamos mais em dívida com o pecado e nem mesmo com Satanás, já que “Não há nenhuma condenação para os que estão no Cristo Jesus!” (Romanos 8,1).

O agravante, no entanto, é que Satanás tenta de todas as formas, fazer o gênero humano regressar no seu afastamento para com Deus, já que não pode desfazer a Salvação que já nos foi conquistada pelo sangue do Senhor Jesus!

Antes do retorno do Senhor e Salvador Jesus Cristo, sua tentativa será fazer os homens e mulheres que se renderam ao Filho de Deus com suas vidas e renunciaram ao pecado e a vida velha, se voltem atrás, assim como o povo fez no deserto, para que não adentrem a Nova Canaã: os Céus, conquistado a muito preço pelo sangue de Jesus. Isso seria; por tanto, a apostasia. Ela não é destino os incrédulos. Mas dos fiéis seguidores de Jesus. Renegar a fé e deturpá-la é o maior desejo de Satanás nos últimos dias, pois “sabe que lhe resta pouco tempo” (Ap 12,12).

A Apostasia vai ser um forte tempo de crise de fé que acontecerá no âmbito do Cristianismo em detrimento da Impostura Religiosa que acontecerá nos últimos tempos da qual, muitos homens e mulheres que abraçaram a fé em Jesus Cristo, largarão a esse Deus e Reino maravilhosos para voltar as garras do Príncipe deste mundo.

                                                                                                        Cássio José



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página