Pesquisar neste blog:

quinta-feira, 14 de abril de 2016

A POSTURA DO CRISTÃO DIANTE DAS NOVELAS

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DE CAMOCIM
Paróquia Senhor Bom Jesus dos Navegantes
Formação para os Grupos de Perseverança: Grupos de Oração Renascer, Novo Caminho e Cristo é vida.

TEMA: A POSTURA DO CRISTÃO DIANTE DAS NOVELAS

Por Cássio José
[Formação ministrada na Igreja do Cruzeiro na noite de 11 de Abril de 2016 para as turmas de Grupo de Perseverança dos seguintes Grupos de Oração: Renascer, Novo Caminho e Cristo é vida]

1.      INTRODUÇÃO: APROVEITANDO CONCEITOS DO MEIO ACADÊMCIO

No estudo de hoje, trataremos um pouco sobre a cruel realidade que as novelas têm provocado no ambiente cristão tal como o declínio da nossa fé, o crescimento do ateísmo, o ataque às nossas famílias e aos alicerces desta instituição divina, às doutrinas e ideologias que as novelas trazem para os nossos filhos e, de maneira geral, conscientizarmo-nos de que como cristãos verdadeiros e genuínos, devemos evitar assistir a tal artimanha usada por Satanás na atualidade.

            Antes de tudo, seria bom revermos a nossa famosa e muito usada falácia quando, procurando justificar o hábito de assistir novelas, muitos cristãos geralmente fazem a seguinte pergunta: Que mal faz em assistir novela? Muitos dizem que ao assistir novelas, eles não são influenciados pelas novelas porque tem maturidade cristã e não cairão na alienação. Outros dizem que as novelas são formas de lazer e entretenimento. E ainda há aqueles cristãos que dizem que as novelas retratam o real da sociedade e, por isso, assistem novelas. Mas, na verdade, isso é puro engano e ilusão.

Segundo o Dicionário Escolar de Língua Portuguesa Michaelis, NOVELA, é:

“Narrativa em capítulos transmitida pelo rádio ou pela televisão”.

O artigo científico A telenovela brasileira: origem e características, da PUC-Rio de Janeirodefendendo a tese de que as novelas surgiram a partir dos folhetins de jornal, quando em seus rodapés havia histórias de amor e de outros variados enredos, e depois isso se evoluiu quando surgiu o rádio e em seguida, isso veio a tomar uma proporção de audiovisual, com o surgimento da televisão, onde a novela tornou-se um dos principais hábitos brasileiros (chamam até mesmo de cultura), afirma algo que nos chama a atenção, que é o motivo do tema escolhido:

“... A origem da telenovela como sendo não apenas o nascimento de algumas das suas características narrativas ou práticas sociais relacionadas, mas o ponto onde uma indústria se apropria desse conjunto de elementos, subjulgando-os a uma intencionalidade não artística, e sim de ordem econômica”.

A monografia Análise do Discurso das mulheres da novela Páginas da Vida, de autoria Mila Romeiro Taveiros, quando concluiu o curso de Comunicação Social, habilitação em Publicidade e Propaganda, da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas do Centro Universitário de Brasília – UniCEUB.em 2007, afirma que as novelas podem trazem um impacto e influência para quem assiste:

As telenovelas são um dos programas mais populares da televisão brasileira. Sucesso de público e audiência, as tramas abordam temas de forte repercussão na sociedade capaz de mudar opiniões, influenciar comportamentos e provocar discussões até nacionais.

Já na introdução (Página 05), Mila Taveiros nos afirma:

As tramas ficcionais incorporaram-se ao dia-a-dia das pessoas com personagens, falas, problemas e os telespectadores começaram a influenciar os valores, os hábitos e os comportamentos. As meias de “lurex” de Dancin’Days(1978); o turbante da viúva Porcina, de Roque Santeiro (1985); o colar de borboleta da personagem de Letícia, em Malhação (2004), o vestido de Vitória na novela Belíssima (2005), são exemplos de moda lançada nas telenovelas que viraram “febre” nacional.

Infelizmente as novelas têm conseguido causar um estrago gigantesco na vida de muitos cristãos. Ficar diante da telinha tornou-se um hábito cultural, principalmente no nosso país que tanto tem investido pesadamente nesse ramo comercial eletrônico para propagar suas ideologias e aproveitar para a propaganda comercial.

Não é estranho afirmarmos que as novelas estão a serviço da Nova Ordem Mundial, que é o maior propósito da Nova Era, quando vemos e notamos, que as grandes pregações satânicas estão sendo anunciadas através da televisão, por exemplo. As novelas têm sido o meio e instrumento primordial do Inimigo Número 1 de Deus para levar perdição e maldição a muitos homens, mulheres e crianças de todos os povos, independentemente até mesmo, da faixa de idade.


               Não quero aqui fazer estudo de algumas novelas e nem apontá-las. Antes, desejamos apenas fazer uma criticidade bíblica e olhar cheio do Espírito Santo para com as novelas, e assim, desviarmos os nossos olhos da mesma e o colocarmos fixamente em Jesus, que deve ser o alvo do nosso olhar:

“Desvencilhemo-nos das cadeias do pecado. Corramos com perseverança ao combate proposto, com o olhar fixo no autor e consumador de nossa fé, Jesus”.
[Hebreus 12,1]

         A Palavra de Deus nos diz claramente:

“O Espírito diz expressamente que, nos tempos vindouros, alguns hão de apostatar da fé, dando ouvidos a espíritos embusteiros e a doutrinas diabólicas”.
[I Timóteo 4,1]

Essa é a grande filosofia e feito, que está sendo implantada por Satanás:

Apostatar da fé:   Cometer apostasia, que é renuncia da fé, abandono da Lei de Deus e orientações da Igreja para dá ouvidos a doutrina de demônios. De fato, é essa a grande realidade que estamos vendo. Os costumes religiosos estão sendo (e já foram mesmo!), contestados e deixados de lado, através da propagação de uma rede de mercado de anúncios de televisão. Valores humanos, respeito da mulher e de sua dignidade, valorização do matrimônio, dentre outras várias coisas, estão sendo pregadas de uma outra maneira. Os cristãos estão sendo amordaçados com essas doutrinas de demônios que afastam mais e mais o homem de Deus para a sua própria ruína e predição. Por isso, Jesus, no Sermão da Montanha, doutrinou-nos categoricamente:

“Aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha. Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem insensato, que construiu sua casa na areia.Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela caiu e grande foi a sua ruína”.
[Mateus 7, 24-27]

         Que palavra estamos ouvindo? Quando estamos no sofá da nossa casa assistindo novelas, por exemplo, será que é a voz de Deus que estamos escutando? Certamente não! É uma outra voz que nos leva a destruição e maldição. Por isso, que em muitas famílias, a ruína já é grande. Por que se apoiaram nas areias das novelas.


2.      A BABÁ ELETRÔNICA:

Como Satanás está nos seus últimos dias, pois sabe que “lhe resta pouco tempo” (Ap 12,12), tenta educar os nossos comportamentos, sentimentos, ações, conforme os padrões de seu reino, pois é o Anticristo. A televisão, os meios de comunicação e, principalmente, as novelas têm sido uma das mais eficazes armas usadas pelo diabo para nos deviar do nosso Deus! As novelas tornaram-se então escola do diabo e babá eletrônica daqueles que assistem e seguem suas doutrinas imundas.

Convido você que assiste novelas e ainda é viciado a tomar a atitude de pegar a tua Bíblia e na hora em que elas estiverem passando, a ir comparando tudo o que você assiste com o que diz a Sagrada Escritura. Elas se unem em doutrina ou se contradizem? Que sentimentos há no coração de Deus quando um de seus filhos está assistindo novelas e toda e qualquer programação que desrespeita os Mandamentos, Sua Palavra e seu amor por nós? 

           Basta você pegar a tua Bíblia e comparar com aquilo que as novelas ensinam que dá pra perceber que nelas contêm doutrina de demônios e uma grandiosa propagação de homens e mulheres que venham a se preparar para a Nova Era ou Nova Ordem Mundial. Isso tudo, é esboço de uma globalização que só traz desrespeito ao ser humano. A Santa Igreja nos diz que

A globalização, tal como está sendo configurada atualmente, não é capaz de interpretar e reagir em função de valores objetivos que se encontram além do mercado e que constituem o mais importante da vida humana: a verdade, a justiça, o amor e muito especialmente, a dignidade e os direitos de todos, inclusive daqueles que vivem à margem do próprio mercado”.
[Documento de Aparecida, nº 61]

            As novelas resolvem os problemas da vida das pessoas dando o troco e na base do “olho por olho e dente por dente”. Vemos famílias sem Deus, jovens no mundo do sexo desregrado e contra a Palavra de Deus. O uso da camisinha é aceito e divulgado por aí aceitadamente. Mulheres e homens que traem seus parceiros (isso leva muitos casais a fazerem o mesmo), o próprio relacionamento sexual é explícito (como se fosse algo público. Na verdade, é algo que diz respeito somente aos dois), prostituição socializada... Há uma apresentação de novas imagens, atrativas e cheias de fantasias em que as informações transmitidas não preenchem o nosso vazio e nos distraem (Documento de Aparecida, n. 38), distanciando-nos da vontade de Deus.

          Além disso, hoje, sobretudo, as novelas estão investindo na pregação de doutrinas como o espiritismo e outras das mais variadas falsas religiões e ensinamentos abomináveis por Deus (Dt 18,9-14), levantam-se a defesa de que a reencarnação existe, quando a Bíblia condena pesadamente isso (Ecl 8,8; 9,4-6.10; Sl 6,6). Há claramente o ensino na comunicação com os mortos, quando a Palavra condena veementemente tal ensino e prática (Dt 18, 11; Lc 16,26; 23,24; Hb 9,27). Isso, claro, é acompanhado com uma falsa pregação de amor e caridade, dentre muitas outras coisas: yoga, incenso a demônios, expressões de invocação a demônios, festas pagãs, tarô, numerologia, adivinhação, cartomancia, ...

             Vemos também uma espécie de preparação (embora não aceita no momento), para conceitos de liberalização da legalização do aborto e casamento homossexual, além de levarem a propagação do sexo livre e neutralidade do sexo (muitas novelas já estão ensinando que a pessoa nasce sem sexo, ou seja, nasce neutro. Ele e a sociedade, ou o meio de convivência, é que vão decidir se vai ser homem ou mulher). Cresce mais ainda divulgação da ideologia do gênero. O que é isso? É Nova Era sendo aplicada na televisão preparando as pessoas para m futuro de condenação e perdição:

A Congregação para a Doutrina da Fé, Carta aos Bispos da Igreja Católica sobre a colaboração do homem e da mulher na Igreja e no mundo, nº 2 e 31 de maio de 2004, que cita o Pontifício Conselho para a família, Família, matrimônio e “uniões de fato” nº. 8,21 de novembro de 2000, nos traz o seguinte:

Entre outros pressupostos que enfraquecem e menosprezam a vida familiar, encontramos a ideologia do gênero, segundo a qual cada um pode escolher sua orientação sexual, sem levar em consideração as diferenças dadas pela natureza humana. Isso tem provocado modificações legais que ferem gravemente a dignidade do matrimônio, o respeito ao direito à vida e a identidade da família.

           Parece que as pessoas estão cada vez mais engaioladas pelos meios de comunicação de massa e gostando disso. Estão sendo criadas e cuidas pela Babá Eletrônica (a TV), como se fossem crianças no colo de sua mãe e recebendo orientações para dar os primeiros passos. Já parou para pensar que muitas decisões de tua vida podem ter partido de algum conceito que você recebeu, de alguma maneira, da televisão e não da Palavra de Deus? No livro de Josué está escrito:

“Traze sempre na boca (as palavras) deste livro da lei; medita-o dia e noite, cuidando de fazer tudo o que nele está escrito; assim prosperarás em teus caminhos e serás bem-sucedido”.
[Josué 1, 8]
             
Os cristãos, entretanto, estão trazendo nos seus lábios expressões ensinadas pelas novelas. Roupas da moda, seguidas pelas novelas. Métodos de como conquistar alguém, orientados cegamente por comportamentos de novelas. Maneira de relacionamento sexual, através das novelas. Cadê o apego com a Palavra de Deus? Cadê o gosto em anunciar o Cristo Ressuscitado? Quando renunciaremos isso de uma vez por todas? Cadê a criticidade ensinada nas escolas? Quando teremos vergonha na cara? Já pensou: Jesus assistindo a malhação! Por que então fazemos isso? Como nós somos presas fáceis na mão do diabo!!! O mundo da facilidade e da ilusão está aí nas novelas. As mentiras que estão sendo pregadas pela TV, são mais aceitas do que as homilias do padre na hora da Missa. Que retrato de Igreja estamos praticando? Que espécie de cristão estamos sendo?

            Veja o que nos diz o Documento de Aparecida quanto aos meios de comunicação (aqui podemos elencar rádio, televisão, novelas, filmes, programas de público de maneira geral, redes sociais):

Percebemos através dos meios de comunicação e verifica-se (também com as novelas), em nível massivo, uma espécie de nova colonização cultural pela imposição de culturas artificiais, desprezando as culturas locais e com tendências a impor uma cultura homogeneizada em todos os setores.

[Documento de Aparecida, nº 46]

             É hora de voltar à casa de Deus! É hora de tomarmos em nossas mãos a leitura da Palavra! É hora de rezarmos o terço e não aderirmos às novelas! Muitos estão se perdendo por causa das novelas. O martírio de hoje é renunciar essas novelas para aderirmos a Palavra de Deus! O sangue que tem que ser derramado é o zelo da renuncia de novelas, dentre outras mentiras ensinadas pela globalização, que está a serviço de Satanás! Vamos nos disciplinar e dizer “não!” a todas as novelas. Devemos dar exemplo de homens que são lavados e remidos pelo sangue do Cordeiro de Deus. Tenhamos mãos santas para serem erguidas aos céus para o louvor a Deus e olhos fixos em Jesus e não em novelas.

3.      ESTUDOS MOSTRAM QUE AS NOVELAS BRASILEIRAS TÊM IMPACTO SOBRE OS COMPORTAMENTOS SOCIAIS

3.1.Estudos do BID mostram que as novelas ajudaram a moldar as ideias das mulheres sobre casamento e família.
Famosas há muito por mostrar praias maravilhosas, personagens carismáticos e representações realistas da vida e das aspirações da classe média, as novelas brasileiras ajudaram a moldar as ideias das mulheres sobre divórcio e filhos de maneira crítica, segundo dois estudos recentes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
Ambos os estudos analisam o papel da televisão e das novelas em influenciar mudanças significativas nas taxas de fertilidade e divórcio no Brasil nas três últimas décadas. As taxas de fertilidade no país caíram mais de 60% desde a década de 1970 e os divórcios aumentaram mais de cinco vezes desde a década de 1980. Durante o mesmo período, a presença de aparelhos de televisão teve uma elevação de mais de dez vezes, estando hoje em mais de 80% das residências.
As descobertas dos dois estudos, Novelas e Fertilidade: Evidências do Brasil, e Televisão e Divórcio Evidências de Novelas Brasileiras, podem ter implicações importantes para os governos de países em desenvolvimento. As autoridades desses países com frequência têm dificuldade para educar a população em questões sociais e de saúde pública fundamental devido à alta taxa de analfabetismo e aos níveis limitados de circulação de jornais e de acesso à internet.
A televisão desempenha um papel crucial na circulação de ideias, em particular em nações em desenvolvimento com uma forte tradição oral, como o Brasil,” disse o economista do BID Alberto Chong, um dos autores dos estudos. “Os artigos sugerem que alguns programas de televisão podem ser uma ferramenta para transmitir mensagens sociais muito importantes que ajudem, por exemplo, a lutar contra a disseminação da epidemia de AIDS e promover a proteção dos direitos de minorias.”
Os dois estudos centram-se na expansão da Rede Globo, o maior grupo de mídia do Brasil e a quarta maior rede de televisão comercial do mundo. A Globo tem ampla cobertura nacional: suas transmissões foram expandidas para 98% dos municípios do país na década de 1990, atingindo 17,9 milhões de residências, em comparação com praticamente zero em meados da década de 1960.
A rápida expansão da Globo durante esses anos e a mudança acentuada de alguns indicadores sociais brasileiros oferecem um campo fértil para pesquisas. Os estudos realizam uma série de testes econométricos com resultados estatísticos consistentes. Utilizam dados demográficos amplos e informações detalhadas sobre a expansão da cobertura dos sinais de televisão e sobre o conteúdo das novelas no Brasil nas três últimas décadas.
a.       Impacto da televisão
Os estudos mostram que a televisão teve um papel importante na influência das percepções das mulheres sobre casamento e família de 1970 a 1991, ao lado de outros fatores bem estudados como aumento dos níveis de instrução e do acesso a contracepção e algumas políticas governamentais.
O primeiro estudo encontrou que as taxas de fertilidade, ou o número de nascidos vivos por mulher em idade reprodutiva, foram significativamente mais baixas em áreas do Brasil alcançadas pelo sinal da rede Globo do que em áreas que não recebiam o sinal.
O impacto sobre o comportamento foi mais forte entre mulheres de famílias pobres e mulheres no meio ou no final de seus anos reprodutivos, sugerindo que a televisão influenciou a decisão de parar de ter filhos, e não de quando deveriam começar a ter filhos.
Em geral, a probabilidade de uma mulher ter um filho em áreas cobertas pelo sinal da Globo caiu 0,6 ponto percentual a mais do que em áreas sem cobertura. A magnitude do efeito é comparável à de um aumento de 2 anos no nível de escolaridade das mulheres. Não houve impacto nas taxas de fertilidade no ano anterior à entrada do sinal da Globo.
A exposição constante às famílias menores e menos oneradas que aparecem na televisão pode ter criado uma preferência por ter menos filhos, disse Chong.
A pesquisa de Chong sobre fertilidade e televisão também revelou um impacto relacionado sobre a taxa de divórcios. Embora os dados de apoio não fossem tão amplos, Chong encontrou que a porcentagem de mulheres separadas ou divorciadas também é maior em áreas que recebem o sinal da Globo, em particular em pequenas comunidades em que uma alta proporção da população tem acesso às transmissões da emissora. Essas áreas apresentaram um aumento de 0,1 a 0,2 pontos percentuais na porcentagem de mulheres de 15 a 49 anos que são divorciadas ou separadas. O aumento é pequeno, mas estatisticamente significativo, de acordo com Chong.
O impacto é comparável a um aumento de 6 meses no nível de instrução de uma mulher, o que é um efeito muito significativo quando se leva em conta que a escolaridade média das mulheres no período era de 3,2 anos.
b.      Influência das novelas
Sessenta a oitenta milhões de brasileiros assistem regularmente a novelas noturnas em português. A Globo domina a produção nacional de novelas, as quais geralmente mostram um modelo de família muito específica, pequena, atraente, branca, saudável, urbana, de classe média ou alta e consumista.
O cenário, na maioria das vezes, são as cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Em geral, as famílias mais felizes nas novelas são pequenas e ricas, enquanto as famílias mais infelizes são mais pobres e com mais filhos.
Os estudos analisaram o conteúdo de 115 novelas transmitidas pela Globo entre 1965 e 1999 nos dois horários de maior audiência: 19 e 20 horas. Sessenta e dois por cento das principais personagens femininas não tinham filhos e 21% tinham apenas um filho. Vinte e seis por cento das protagonistas femininas eram infiéis a seus parceiros.
Os enredos das novelas com frequência incluem críticas a valores tradicionais. Por exemplo, o sucesso de 1988 da rede, a novela Vale Tudo, apresentava uma protagonista que era capaz de roubar, mentir e enganar a fim de alcançar o seu objetivo de ficar rica a qualquer custo. A Globo também trouxe para a tela estilos de vida modernos e emancipação feminina em novelas como Dancing Days, transmitida em 1978, em que a protagonista feminina era uma ex-presidiária lutando para reconstruir sua reputação e recuperar o amor de sua filha adolescente.
A redução das taxas de fertilidade foi maior em anos imediatamente seguintes à exibição de novelas que incluíam casos tde ascensão social, e para mulheres com idades mais próximas da idade da protagonista feminina da novela.
As novelas também influenciaram a escolha dos nomes dos filhos. A probabilidade de que os 20 nomes mais populares em uma determinada área incluíssem um ou mais nomes de personagens de uma novela exibida naquele ano foi de 33% se a região recebesse o sinal da Globo. Em regiões sem acesso à Globo, a probabilidade foi de apenas 8,5%.
"Há ainda indicações sugestivas de que o conteúdo das novelas tenha influenciado também as taxas de divórcio", de acordo com Chong. "Quando a protagonista feminina de uma novela era divorciada ou não era casada, a taxa de divórcio aumentava, em média, 0,1 ponto percentual."
c.       Globo versus SBT
A expansão do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), a segunda maior rede de televisão do Brasil, não afetou as taxas de fertilidade no país durante o mesmo período.
Os estudos atribuem esse resultado a diferenças de conteúdo. As novelas da Globo são escritas por autores brasileiros e produzidas no Brasil, enquanto a maioria das novelas do SBT é importada do México, ou usa enredos importados.
"Para afetarem o comportamento, os programas têm que ser percebidos como representações realistas da sociedade brasileira", disse Chong.  "O público consegue se identificar facilmente com as situações apresentadas nas novelas da Globo." As novelas da Globo também têm produção muito mais cara do que as produzidas no México ou em outros países latino-americanos. A Globo gasta em média cerca de US$ 125.000 por capítulo de novela, ou cerca de 15 vezes mais do que qualquer rede da América Latina.
Além disso, as novelas da Globo são filmadas em locais facilmente reconhecíveis e mostram um ambiente de classe média típica que a maioria dos espectadores pode identificar, qualquer que seja a sua situação socioeconômica.
Eliana Ferrara, economista da BocconiUniversity, foi coautora do artigo sobre divórcio, junto com Chong. A economista do BID Suzanne Duryea foi coautora do estudo sobre fertilidade, com Chong e Ferrara.


4.      AS NOVELAS ENVENENAM OS VALORES QUE AFAMÍLIA POSUI, ATINGINDO A MENTE ATÉ DOS CRISTÃOS.

Segundo o professor Felipe Aquino, em site da Cléofas, no artigo que tem por título As novelas envenenam os valores que a família possui, atingindo a mente até dos cristãos, ele afirma:

Certa vez, um amigo chamado Franz Victor, psicólogo já falecido, disse-me que as novelas fazem uma pregação sistemática de antivalores. Embora isso já faça bastante tempo, eu nunca esqueci essa frase. Meu amigo me disse uma grande verdade.

Enquanto a evangelização procura incutir nas pessoas uma vida de acordo com os valores do Evangelho, muitas novelas estragam seus telespectadores, incutindo-lhes antivalores cristãos.As novelas, em sua maioria, exploram as paixões humanas, muito bem espelhadas nos chamados pecados capitais – soberba, ganância, luxúria, gula, ira, inveja e preguiça–, e faz delas objeto dos seus enredos, estimulando o erro e o pecado, mas de maneira requintada.

Na maioria delas, vemos a exacerbação do sexo, explora-se descaradamente este ponto, desvirtuando o seu sentido e o seu uso. Em muitas cenas, podem ser vistos casais não casados vivendo a vida sexual, muitas vezes, de maneira explícita, acintosa e provocante. E isso no horário em que as crianças e os jovens estão na sala. Aquilo que um casal casado tem direito de viver na sua intimidade, é colocado a público de maneira despudorada, ferindo os bons costumes e os mandamentos de Deus.

Mas tudo isso é apresentado de uma maneira inteligente, com uma requintada técnica de imagens, som, música e um forte aparato de belas mulheres e rapazes que prendem a atenção dos telespectadores e os transforma em verdadeiros viciados. Em muitas famílias, já não se faz nada na hora da novela, nem mesmo se dá atenção aos que chegam, aos filhos ou aos pais.

Assim, os valores cristãos vão sendo derrubados um a um: a humildade, o desprendimento, a pureza, a continência, a mansidão, a bondade, o perdão, entre outros, vão sendo jogados por terra, mas de maneira homeopática; de forma que, aos poucos, lentamente, para não chocar, os valores morais vão sendo suprimidos. Faz-se apologia ao sexo a qualquer instante e sem compromisso familiar ou conjugal; aprova-se e estimula-se a prática homossexual como se fosse algo natural e legítimo, quando o Catecismo da Igreja Católica (CIC) chama a prática homossexual de depravação grave (CIC §2357).

O roteiro e o enredo dos dramas das novelas são cuidadosamente escolhidos de modo a enfocar os assuntos mais ligados às pessoas e às famílias, mas, infelizmente, a solução dos problemas é apresentada de maneira nada cristã. O adultério é, muitas vezes, incentivado de maneira sofisticada e disfarçada, buscando-se quase sempre justificar um triângulo amoroso ou uma traição.

O telespectador é quase sempre envolvido por uma trama em que um terceiro surge na vida de um homem ou de uma mulher casados, que já estão em conflito com seus cônjuges. A cena é formada de modo que o telespectador seja levado a desejar que o adultério se consuma por causa da maldade do cônjuge traído.

Assim, a novela vai envolvendo e fazendo a cabeça dos cristãos. A consequência disso é que elas passaram a ser a grande formadora dos valores e da mentalidade da maioria das pessoas, de modo que os comportamentos antes considerados absurdos, agora já não o são, porque as novelas tornaram o pecado palatável. O erro vai se transformando em algo comum e perdendo a sua conotação de pecado.

Por outro lado, percebe-se que a novela tira o povo da realidade de sua vida difícil, fazendo-o sonhar diante da telinha. Nela, ele é levado a realizar o sonho que na vida real jamais terá condições de realizar: grandes viagens aéreas para lugares paradisíacos, casas superluxuosas com todo requinte de comidas, bebidas, carros, jóias, vestidos, luxo de toda sorte; fazendas belíssimas onde mulheres e rapazes belíssimos têm disputas entre si.

E esses modelos de vida recheados de falsos valores são incutidos na cabeça das pessoas. A consequência trágica disso é que a imoralidade prevalece na sociedade; a família é destruída pelos divórcios, traições e adultérios; muitos filhos são abandonados pelos pais, carregando uma carência que pode desembocar na tristeza, na depressão, na bebida e até nas coisas piores. A banalização do sexo vai produzindo uma geração de mães e pais solteiros que mal assumem os filhos. É a destruição da família.

O melhor que se pode fazer é proibir os filhos de acompanhar essas novelas. Contudo, os pais precisam ser inteligentes e saber substituí-las por outras atividades atraentes. Não basta suprimir a novela, é preciso colocar algo melhor em seu lugar. Essa é uma missão urgente para os pais.



5.      AS NOVELAS E OS DEZ MANDAMENROS DA LEI DE DEUS: O QUE ENSINA CADA UM DELES?


Numa rápida e pequena análise, sem nos determos a exemplificação de novelas e cenas, (até porque não pretendemos dar ibope para novela nenhuma), podemos detectar que as novelas trabalham contrárias ao que nos ensina os Dez Mandamentos da Lei de Deus, mandamentos esses que nos trazem vida plena e nos arranca de toda servidão e escravidão diabólicas para adorarmos e servirmos o Único Deus verdadeiro!Analisemos juntos, em síntese, a tabela abaixo.


O QUE DIZ O MANDAMENTO
O QUE ENSINAM AS NOVELAS
Amar a Deus sobre todas as coisas
Adoração a demônios, busca de Falsas Doutrinas.
Não tomar seu santo nome em vão
Zombaria ao nome de Deus, de Jesus Cristo, dos cristãos.
Guardar os domingos e festas de guarda
Culto aos demônios e honra a Falsas Doutrinas.
Honrar pai e mãe
Vida independente seguindo os próprios impulsos, sonhos.
Não matar
Práticas contra a vida, tais como: o aborto, a eutanásia, etc.
Não pecar contra a castidade
Sexo desregrado, promiscuidade, fornicação, adultério, etc.
Não furtar
Prática de tomar o que é do outro, seja emprego, carreira, etc!
Não levantar falso testemunho
Vemos uma vida na mentira e desrespeito à vida do outro!
Não desejar a mulher do próximo
Tanto mulheres como homens são tomados do outro/outra.
10º
Não cobiçar as coisas alheias
Inveja e cobiça aos bens do próximo, ambição, r

            Fazendo o estudo acerca do DECÁLOGO de acordo com o Catecismo da Igreja Católica, percebemos ferozmente que as novelas contradizem totalmente os 10 (Dez) Mandamentos da Lei de Deus! Pegaremos apenas o 1º e o 5º Mandamentos, pois consideramos os que, no momento, estão sendo alvo de mais ataque e distorção, uma vez que Satanás tem trazido tantas Falsas Doutrinas e conceitos errôneos acerca de Deus, do Cristianismo, da Igreja; além disso, há uma grade apologia e difusão que vai de encontro à vida com pregações de posicionamentos acolhedores ao aborto, eutanásia, e tantas outras práticas contrárias à vida.


1º MANDAMENTO: AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS.

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica (CIC, nº 2083 à2141), neste Mandamento devemos entender que Só existe um Único Deus verdadeiro, que criou tudo o que existe e nós seres humanos. Dessa forma, devemos amá-lo com todo o nosso coração, com todas as nossas forças e com toda a nossa alma ou entendimento. Isso implica em dizer que não devemos buscar deuses falsos e nem praticar idolatria ou ir em buscas de falsas doutrinas, tais como a superstição, idolatria, satanismo, adivinhação, feitiçaria, magia, agnosticismo, espiritismo, horóscopos, astrologia, quiromancia, interpretação de presságios, e da sorte, fenômenos de visão, recurso à médiuns, pai de santo ou mãe de santo, satanistas, bruxos, etc. O Catecismo da Igreja Católica proíbem o politeísmo e a adoração a demônios. Proíbe a doutrinada reencarnação e da comunicação com os mortos. Tudo isso são exemplos de pecados contra o 1º Mandamento da Lei de Deus já que só, apenas e unicamente Ele deve ser adorado, cultuado e buscado.

Mas, o que as novelas nos ensinam sobre esse aspecto?

Encontramos nas novelas sempre os servos do diabo. São mestres ou guias espirituais que fazem trabalhos de magia negra, macumbas e simpatias, e outros rituais das mais variadas espécies para trazer o marido de volta, ou tomá-lo de alguém,além de ajuda dessas práticas para fazer sucesso e ganhar muito dinheiro Muitas novelas trouxeram para o povo brasileiro a concepção politeísta quando religiões e práticas do Oriente Médio, tais como a yoga, ao controle mental, o poder da mente, a terapia de medicina misturada com práticas de magias dessas culturas, enfim. Além disso, é muito frequente nas novelas “pessoas” que aparecem, mesmo tendo morrido, e a doutrina da reencarnação tem sido divulgada grandemente através de muitas novelas. A doutrina espírita e muitas religiões pagãs têm crescido por causa das novelas. o demônio têm recebido adoração e sua doutrina tem espalhado pelo país, através do hábito de assistir a tais novelas. O que os cristãos fazem diante disso? Assistem novelas e acham que isso é a coisa mais normal do mundo!

A BÍBLIA CONDENA O ESPIRITISMO E SUAS PRÁTICAS:

O Catecismo da Igreja Católica proíbe veementemente a prática do espiritismo para os católicos: 


Todas as formas de adivinhação hão de ser rejeitadas: recurso a Satanás ou aos demônios, evocação dos mortos ou outras práticas que erroneamente se supõe “descobrir” o futuro. A consulta aos horóscopos, a astrologia, a quiromancia, a interpretação de presságios e da sorte, os fenômenos de visão, o recurso a médiuns escondem um desejo de ganhar para si os poderes ocultos. Essas práticas contradizem a honra e o respeito que , unidos ao amoroso temor, devemos exclusivamente a Deus”.
[Catecismo da Igreja Católica, n.2116]. 

A Bíblia sagrada é lotada de passagens que condenam o espiritismo e suas práticas. Vamos ver apenas algumas: Ex 22,17; Dt12,13;18, 9-14; 32,12-18; Lv 19,26.31; 20, 6.27; II Rs 9,22;16,3-4;17,17;21,6;23,10; Js 13,22; 23,7-8.16; 24,20.23; Mq 5,9-14; At 19, 18s; Hb 13,9...

A BÍBLIA CONDENA A REENCARNAÇÃO: Existem inúmeras passagens bíblicas que condenam a reencarnação. Antes, entretanto, vejam que já no deserto, antes de os israelitas adentrarem na terra prometida, Deus os proíbe de se comportarem iguais aos pagãos. Leia com atenção:

  “Quando tiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus, te dá, não te porás a imitar as práticas abomináveis da gente daquele terra. Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou â invocação dos mortos, porque o Senhor, teu Deus, abomina aqueles que se dão a essas práticas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, teu Deus, expulsa diante de ti essas nações. Serás inteiramente do Senhor, teu Deus. As nações que vais despojar ouvem os agoureiros e os adivinhos; a ti, porém, o Senhor, teu Deus, não o permite”.

 [Deuteronômio 18, 9-14]

Caso fosse permitida por Deus a crença e adesão às práticas errôneas e abomináveis (adivinhação, astrologia, agouros, feitiçaria, magia, espiritismo, invocação aos mortos) e etc, Deus não teria orientado o Seu povo a renunciar a pratica de tais atos. O que vemos na contemporaneidade, no entanto, é a crença numa teoria diabólica e irracional. Olha o que diz a Bíblia no que diz respeito ao número de vidas do ser humano:

“Como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo, assim Cristo se ofereceu uma só vez para tomar sobre si os pecados da multidão, e aparecerá uma segunda vez, não, porém em razão do pecado, mas para trazer a salvação àqueles que o esperam”.
[Hebreus 9,27-28]

reencarnação pressupõe justamente uma pluralidade de vidas em que uma só alma perpassa ou transmigra por vários corpos. Como isso é possível se a Palavra de Deus afirma que existe uma só vida e um juízo particular e um juízo final?

Quando Jesus morre naquela cruz, um dos ladrões se converte. Ele diz a Jesus: “Lembra-te de mim quando tiveres entrado no teu reino” (Lc 23,42). Jesus logo responde: “Hoje mesmo estarás comigo no paraíso” (Lc 23,43). Se existisse reencarnação, Jesus não teria afirmado o que afirmou, e sim algo do tipo: você vai passar por várias reencarnações para entrar no meu Reino. Dê umas voltinhas pelos espaços da terra. Agora você é uma alma penada!

Os espíritas, no entanto, nem no céu e nem no inferno acreditam. Para eles a crucificação de Jesus não foi sacrifício para a remissão dos pecados e salvação das almas. Eles não aceitam essas verdades bíblicas. Preferem acreditar e aceitar nas mentiras do diabo de que eles têm que se reencarnarem. Ou não tem juízo ou são irracionais.

Por que então, os católicos, aceitam com tanta facilidade essa doutrina (sobretudo assistindo as novelas imundas), que está levando muitas almas a terem contato com demônios e podem, no futuro eterno, nadarem no lago de fogo do inferno? Você já parou para pensar que você pode ser mais um desses otários contemporâneos? É meu querido, o diabo cria nomes chiques pros escravos dele.

Quando a pessoa morre não há mais possibilidade nenhuma de comunicação com os vivos. Primeiro, por que quem está nos ares ou são anjos ou são demônios (Ef 6,12; Jo 1,51) e não “almas penadas” como dizem algumas pessoas por aí. Segundo, quando alguém morre não há mais racionalidade em si mesmo. Como então ela pode voltar ou comunicar-se com um vivo? Veja o que diz a Bíblia Sagrada:

“Os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem mais nada; para eles não há mais recompensa, porque sua lembrança está esquecida”.

[Eclesiastes 9,5]

“Tudo que tua mão encontra para fazer, faze-o com todas as tuas faculdades, pois que na região dos mortos, para onde vais, não há mais trabalho, nem ciência, nem inteligência, nem sabedoria”.
[Eclesiastes 9,10]

Se não há mais trabalho, nem ciência, nem inteligência, nem sabedoria, quem então se comunica com os vivos nos terreiro de macumba ou nos lugares propostos pelo espiritismo através de um médium, por exemplo? A Bíblia responde! Veja:

O que não é de espantar. Pois, o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz” 
[II Coríntios 11,14].

Devemos assim, tomar muito cuidado com as heresias e práticas ensinadas pelo espiritismo. Paulo ainda afirma nessa mesma passagem, que não somente Satanás se transfigura em anjo de luz, mas também, os outros demônios (II Cor 11,15). Você ainda vai permitir ser enganado por algum médium afirmando está conversando com um ente querido seu quando na verdade pode ser um demônio? “O pai da mentira é o diabo”! (João 8,44)

Na parábola do rico e do pobre Lázaro, encontramos uma outra verdade bíblica para desmascarar a mentira diabólica de que existe reencarnação e de que os homens vivos podem se comunicar com os mortos:

Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá”.
[Lucas 16,26]

Jesus é bem claro e direto quando afirma que HÁ UM GRANDE ABISMO e que os vivos não podem se comunicar com os mortos e nem o contrário.

Ainda no Antigo Testamento encontramos no livro de Jó e no livro dos Salmos:

“Mas quando o homem morre, fica estendido... as águas correm do lago, o rio se esgota e seca; assim o homem se deita para não mais levantar. Durante toda a duração dos céus, ele não despertará”.

[Jó 14,10-12]

“Porque no seio da morte não há quem de vós se lembre; quem vos glorificará na habitação dos mortos?”
[Salmos 6,6]

Outro ponto que podemos indagar quanto à reencarnação, é que ela não tem fundamentação científica, por que hoje eu posso me reencarnar num corpo de operário, em outra reencarnação num docente de quatro filhos e assim por diante. Qual seria então minha personalidade? Há aí, uma “despersonalização” da pessoa humana.  
  
O Catecismo da Igreja Católica ainda afirma que não existe arrependimento nem para os anjos após terem caído, e nem para os homens após a morte (CIC, nº 393).

A BÍBLIA CONDENA A COMUNICAÇÃO COM OS MORTOS: A Bíblia nos deixa bem claro que o que “há nos ares do espaço são anjos ou demônios” (Jo 1,51; Ef 6,12) e não seres humanos. É o próprio Satanás (e seus demônios) que se disfarça em anjo de luz para enganar os filhos de Deus (I Cor 11,14-15).

5º MANDAMENTO: NÃO MATAR

Já ocorreu de novelas fazerem uma verdadeira apologia às práticas que contrariam a vida humana: como o aborto e a eutanásia. Uma novela antiga defendeu a ideia que era necessário desligar os aparelhos quando alguém da família estava de coma e demorou “voltar”, reagir a vida. Certa vez outra novela trouxe um personagem que defendeu a prática do aborto afirmando disse que o aborto era questão de saúde pública e por isso, a verdade é que ele deveria ser praticado. O cristão verdadeiro abomina tais práticas de desrespeito à vida.

A Igreja nunca aprovou nenhuma prática que seja contra a vida! O Catecismo da Igreja Católica (nº 2258 à 2330), condena a prática do aborto, do homicídio, assassinato, infanticídio, fratricídio, parricídio, eutanásia, suicídio, guerras, além de orientar que tenhamos cuidado com a nossa saúde.
           

6.      O ESTRAGO QUE AS NOVELAS E A TELEVISÃO DE MANEIRA GERAL TRAZEM EA POSTURA DO CRISTÃO

Consideramos de suma importância, trazer aqui um artigo do Professor Felipe Aquino, em seu site (Cléofas), acerca dos estragos que a televisão provoca, inclusive, com uma exortação do bipo já falecido Cardeal Dom Lucas Moreira Neves:

“A televisão brasileira, infelizmente, tornou-se uma das piores do mundo no que se refere aos valores morais, à alienação do povo e sua deseducação.”

“Em duas oportunidades – antes de surgir as TVs católicas –, o falecido Cardeal e ex-Primaz do Brasil, Dom Lucas Moreira Neves, publicou, no Jornal do Brasil, dois famosos artigos sobre a televisão brasileira. Esses foram publicados também na Revista ‘Pergunte e Responderemos’ (n. 375, 1993, pg. 357ss). No primeiro texto, cujo título é J’Accuse! (Eu acuso!), o prelado afirmava entre outras coisas”:
‘          
Eu acuso a TV brasileira pelos seus muitos delitos. Acuso-a de atentar contra o que há de mais sagrado, como seja, a vida. Acuso-a de disseminar, em programas variados, ideias, crenças, práticas e ritos ligados a cultos. Ela se torna, deste modo, veículo para a difusão da magia, inclusive magia negra, satanismo, rituais nocivos ao equilíbrio psíquico.
Acuso a TV brasileira de destilar em sua programação e instalar nos telespectadores, inclusive jovens e adolescentes, uma concepção totalmente aética da vida: triunfo da esperteza, do furto, do ganho fácil, do estelionato. Nesse sentido, merece uma análise à parte as telenovelas brasileiras sob o ponto de vista psicossocial, moral e religioso […]

Qual foi a novela que propôs ideais nobres de serviço ao próximo e de construção de uma comunidade melhor? Em lugar disso, as telenovelas oferecem à população empobrecida, como modelo e ideal, as aventuras de uma burguesia em decomposição, mas de algum modo atraente.

Acuso, enfim, a TV brasileira de instigar à violência: A TV brasileira terá de procurar dentro de si as causas da violência que ela desencadeou e de que foi vítima […]’.

No segundo artigo (27/01/93), sob o título de ‘Resistir, quem há de?’, o cardeal pede uma mobilização da família cristã contra isso: ‘Opino que a família deve estar na linha de frente de resistência: os pais, os filhos, os parentes e os agregados – toda a constelação familiar. Ela é a primeira vítima, torpemente agredida dentro da própria casa; deve ser também a primeira a resistir. É ela quem dá IBOPE, deve ser também quem o negue, à custa de fazer greve ou jejum de TV. Cabe, pois, às famílias, ‘formar a consciência crítica’ de todos os seus membros frente à televisão; velar sobre as crianças e os adolescentes com relação a certos programas; mandar cartas de protesto aos diretores de televisão; chamar à atenção os anunciantes, declarando a decisão de não comprar produtos que financiam programas imorais ou que servem de peças publicitárias ofensivas ao pudor, exigir programas sadios e sabotar os mórbidos para que não se diga que o público quer uma TV licenciosa, violenta e deseducativa’.

É preciso meditar profundamente nesta grave acusação de Dom Lucas Moreira Neves. Os pais e educadores, sobretudo os cristãos, não podem deixar as crianças e os jovens à mercê de uma televisão baixa, imoral, deseducativa, amedrontadora e desleal. A TV tem sido a grande promotora da destruição dos valores morais e da família.
O próprio Walter Clark, falecido em 1997, fundador e ex-diretor da TV Globo, também deu o seu testemunho contra essa situação, por intermédio do jornal Estado de Minas (07/01/93, pg 13), afirmando, entre outras coisas, que ‘A TV brasileira está vivendo um momento autofágico. Lamento ter contribuído de alguma forma, para que ela chegasse aonde chegou. A emissora está nivelando por baixo: existem traições, incestos, impulsos sexuais incontidos, cobiça, ódio… Tudo isso existe, mas não é só isso. A sociedade, que já está violenta, acaba tendo no seu registro mais forte de comunicação, que é a TV, só violência’.

Já faz mais de vinte anos que esses alertas foram feitos, mas parece que pouco mudou. É verdade que, graças a Deus, surgiram as TVs católicas, que fazem uma ‘pregação sistemática de valores’, contrapondo-se a outras que fazem o contrário: ‘uma pregação sistemática de antivalores’.

A televisão brasileira, infelizmente, tornou-se uma das piores do mundo no que se refere aos valores morais, à alienação do povo e sua deseducação. O que temos visto nos famosos ‘reality shows’, nas novelas e outros programas de auditório? Algo deprimente. Jovens e artistas que expõem suas intimidades ao público em busca de fama e dinheiro fácil, dando aos milhões de jovens mau exemplo de vida. A única coisa nobre nesses programas é o horário; são, na verdade, um fomento à mais mesquinha fofoca em horário nobre. Explora-se, de modo sutil, com um marketing refinado, a miséria das pessoas, seus problemas sentimentais, afetivos, morais, espirituais, num desrespeito profundo à dignidade do ser humano. Ele ali é usado e enganado para dar IBOPE e lucro, nada mais.

Esses programas e outros, repito, em horários nobres, aos quais crianças e jovens assistem, levam-nos ao esquecimento de nós mesmos, à alienação, à futilidade e imoralidade. São cenas contínuas de incitamento sexual, masturbação, convite à fornicação e outras tristezas. Não há cultura, não há formação, não há boa informação; é apenas apelo aos vícios: exibicionismo, soberba, cultura do prazer, sexismo, pornografia, homossexualidade, competição baixa, infidelidade conjugal, preguiça, ociosidade, intrigas, strip-tease e disputas desumanas que levam as pessoas à exaustão física e mental. Tudo em busca de sucesso e dinheiro fácil. Tudo contra o que nos ensina Jesus Cristo. O importante é se tornar uma ‘celebridade nacional’ com direito a outros sucessos. Mas com base em que conteúdo?

A consequência de tudo isso é que se vai aumentando o número de adolescentes grávidas, os abortos, estupros, infidelidades conjugais, homossexualidade, casais separados, jovens abandonados vivendo no crime, na droga e na bebida. Por outro lado, o povo é massificado.

Explora-se maldosamente o mórbido gosto natural pela fofoca e ‘bisbilhotagem’ da vida alheia, fazendo da massa popular como que um rebanho que não pensa e não critica. É uma alienação e desserviço à população. Explora-se comercialmente, ‘inteligentemente’, a falta de cultura de nosso povo, oriundo de uma escola fraca; aumenta-se, como disse alguém, o seu ‘emburramento’.

Ora, a lei diz que televisão – cuja concessão é do Estado (União) – tem a missão de educar, formar, informar, dar cultura e educação. É isso que temos visto? Não, não e não. Temos visto uma TV que destrói a família e seus valores sagrados. Com um faturamento financeiro enorme, vende-se alienação numa enorme vitrine de propaganda patrocinada por ricas empresas. Uma campanha na internet contra tudo isso chegou a anunciar, assim: ‘Quem patrocina a baixaria é contra a cidadania’, é contra o povo; então, como disse o Cardeal Dom Lucas, é preciso o boicote dos cidadãos, especialmente dos cristãos, a quem fomenta a imoralidade.

Lutar contra tudo isso não é moralismo, mas defesa dos valores morais e da família, coluna da sociedade. O povo brasileiro tem sido ofendido e chocado com as barbaridades apresentadas em novelas, com cenas chocantes, palavras chulas e obscenas, que não se pode escrever aqui. Tenta-se, de maneira sutil e maliciosa, passar isso ao povo como ‘se tudo fosse normal e lícito’, como se o sexo fosse apenas atos de genitalidade, apenas prazer sem uma visão moral e um compromisso com a vida e com o outro, como se fossemos irracionais.
O Congresso Teológico Pastoral de Valencia, na Espanha, no V Encontro do Papa com as famílias, disse que: ‘a família vive uma crise sem precedentes na história’, cujas raízes se encontram na ‘pressão ideológica’ exercida pela ‘mentalidade consumista’ e pela ação de ‘um laicismo de raiz niilista e relativista’.

É preciso reagir contra esse estado de coisas. Não podemos ficar calados e inertes diante desta cultura, sem Deus, que vai destruindo tudo. Se não nos mobilizarmos contra isso, estaremos sendo coniventes com a destruição da família e da sociedade, diante de Deus e dos homens.

O que queremos para os nossos filhos e netos?”

A primeira e, sem sombra de dúvida, grande atitude nossa é que os cristãos não venham a assistir novelas, já que elas trazem conceitos contrários aos caminhos do Senhor, a Sagrada Escritura e ao Magistério da Igreja. Todas as novelas trazem uma intenção ideológica. Muitas delas atacam ferroneamente a Igreja e espalham a doutrina de Satanás: Falsas Doutrinas, reencarnação, comunicação com os mortos, rituais de magia negra, simpatias e toda prática de bruxarias, macumbarias, etc. Seria de acordo com a vontade de Deus que os seus filhos assistissem o que agrada o diabo?

Duas orientações para que tenhamos uma postura diferente de assistir as novelas podem ser tomadas como prática cristã:

Ø  PRIMEIRA: DESLIGAR A TELEVISÃO para NÃO ASSISTIR DE MANEIRA NENHUMA TAIS NOVELAS ou MUDAR DE CANAL. Cristão genuíno e verdadeiro NÃO ASSISTE NOVELA. Veja o que nos diz a Bíblia: Ef 5,15-17; I Jo4, 1-6; Dt 18, 13.

Ø  SEGUNDA: Preencher a nossa vida com atividades saudáveis e/ou religiosas. Veja o que diz a Sagrada Escritura: I Pd 2,9-10; I Ts 5,23.

Por fim, veja uma definição de “novela”, adotada por muitos pregadores cristãos:

NÓ = "amarra a pessoa tornando-a escrava";
VELA = "derrete a vida da pessoa como cera sob o fogo”.

            E aí, a partir de hoje, qual será a tua postura diante das novelas à você que é seguidor de Jesus Cristo?


Louvado seja o Nome de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Sustenta o fogo que a vitória é nossa. Afinal de contas, Jesus está voltando!

Um comentário:

  1. Oi. Gostei do blog, linguagem simples e instrutiva. Também tenho um blog com temas católicos e se quiser conferir, dá uma olhada:
    http://simplescomooar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Total de visualizações de página