Pesquisar neste blog:

segunda-feira, 25 de junho de 2012

EUA: ativistas pro-vida protestantes tornam-se católicos cada vez mais.


Bryan Kemp

Cada vez mais, líderes pró-vida não-católicos estão se convertendo ao catolicismo, noticiou o “OSV Newsweekly”. O caso de Bryan Kemper, ativista protestante pró-vida durante 20 anos, é típico. Ele confessou que de início tinha reações paranóicas só de pensar em colaborar com católicos na luta pela vida. Os pastores evangélicos lhe diziam que a Igreja Católica era pior que Babilônia.
Mas Kemper ficou abalado pela recente conversão ao catolicismo e à luta pela vida de proeminentes figuras da cultura da morte, como Abby Johnson, batista de religião e ex-diretora de uma clínica de abortos.
Kemper, hoje com 44 anos, fora batizado católico, mas nunca praticou e virou protestante. Para polemizar melhor contra os católicos começou a estudar o catolicismo. Escritos como os de Santo Inácio de Antioquia sobre a Eucaristia abalaram seu ceticismo evangélico.
Ele chegou à idéia de que “não era possível que fosse do agrado de Deus ser reverenciado por 40.000 denominações e que deveria haver uma só verdadeira”, explicou.
Lila Rose

Até que um dia em Bruxelas, na Marcha pela Vida de março de 2011, ele disse a um monsenhor que queria fazer uma confissão geral bem feita. Professou o Credo e pediu a Comunhão. O Pe. Frank Pavone, presidente de Priests for Life’s, contou que este caso não é único entre os ativistas pró-vida. O caso de Kemper foi, segundo ele, “a ponta do iceberg de um fenômeno que está acontecendo nas bases com bastante assiduidade”.
Frequentemente, disse o Pe. Pavone, nas suas viagens ouve pessoas dizendo: “Eu fiquei católico graças a meu ativismo pró-vida”.
As motivações são diversas, esclareceu o sacerdote. Ele mencionou a coerência e a firmeza das posições católicas nas questões relativas à vida; o vigor da tradição filosófica católica e a confiança dos católicos que os torna mais receptivos à fé.
Lila Rose, de 23 anos, fundadora da Live Action, disse que não estava surpreendida pela conversão de Kemper e que ela própria se tornou católica vendo que a fé da Igreja Católica “é a verdadeira”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página