Pesquisar neste blog:

sábado, 8 de janeiro de 2011

FUI ELEITO PELO SENHOR! ALGUÉM PODE ALGO CONTRA MIM SE TENHO O SEU SELO?

Por Cássio José
Membro da Rcc e da Catequese
Grupo de Oração: Renascer


          
   É maravilhoso ler e contemplar na Palavra de Deus, o carinho que Deus tem para com seus filhos, no que diz respeito ao chamado de muitas pessoas para trabalharem no seu Reino. Deus precisa de mim? Parece até brincadeira! Eu é que necessito de sua misericórdia! Eu é que preciso d’Ele! Quantas vezes eu preguei por aí que Deus se levanta de seu trono para andar lado a lado conosco, segurando firmemente em nossas mãos. Mas na verdade, somos pecadores e cheio de erros. Pregamos conversão, arrependimento dos pecados e fidelidade, mas somos meros homens e mulheres cheios de vícios e de imundícies.

            Porém, se observarmos a Palavra de Deus, iremos perceber que Deus, embora que não precisasse de nenhum de nós para trabalhar em seu Reino, constituiu um raça de Profetas, Sacerdotes e Reis (Ex 19,6; Ap 1,6). A partir do nosso Batismo, em Cristo, tornamo-nos profetas, sacerdotes e reis nesse Reino do Senhor Jesus.
            Em toda a Palavra de Deus, tanto no Antigo como no Novo Testamento, Deus elege homens e mulheres para serem verdadeiras testemunhas de um Deus vivo e ressuscitado. Um Deus que ama o seu povo e não o quer ver nas chamas do pecado e nem no lamaçal de erros. Um Deus que abre o mar vermelho, que tira água da rocha, alimenta o seu povo com o maná do céu, um Deus que vence todas as batalhas, que faz uma aliança eterna morrendo numa cruz e que ao terceiro dia ressuscita dentre os mortos. E o melhor: que está preparando moradia no céu e que, tendo preparado tal moradia, voltará para tomarmos posse do nosso lugar que é o céu. Esse Deus é ou não é maravilhoso? É de fato tremendo Deus!
            Quando a eleição de homens e mulheres, diagnosticamos nas Sagradas Escrituras o quando Deus é onipotente e não faz acepção de pessoas. A final de contas é ele quem faz a obra. Por tanto, chama quem quiser e o destina para onde bem quer. Coloco aqui algumas situações introdutórias de alguns eleitos de Deus para trabalharem em seu Reino:

            ABRAÃO: A Bíblia deixa muito claro que Abraão era filho de um pagão. Porém, Deus o constitui Pai de todos os que têm fé: Pai dos crentes! Sua mulher, Sara, era estério e ele, já de idade avançada não tinha condições de produzir filhos. Então Deus entra em ação para aqueles que nele confiam: Gn 12 diz que Deus elege, chama, e dá uma promessa a Abraão. Ele e sua mulher, juntamente com toda a sua parentela e riquezas, deixam sua terra para desbravar a terra que foi planejada pelo próprio Deus. Passasse 24 anos e nada de vir filho algum. Sara, logo cede sua escrava Agar para que Abraão se deite com ela e nasce então Ismael. Mas, não é Ismael o herdeiro e filho da promessa. Deus queria mostrar pro casal pais da fé, que era do relacionamento sexual deles que deveria vir o descendente legítimo que através deste, viria toda uma geração. Então com uns cem anos, nasce Ismael. Desta feita, filho legítimo da promessa. Logo mais tarde, Deus põe Abraão à prova e testa sua fé, pois é a fé que agrada a Deus! Quando o episódio de teste da fé de Abraão é consumado, Abraão vai além somente de Pai da fé: torna-se amigo de Deus.
            Os que são chamados por Deus para algum ministério, para algum serviço no seu reino têm que serem homens e mulheres que além de ter sua fé em Deus, devem ser também “amigos do Senhor Jesus”. Você tem ideia do que é ser amigo de Deus? O amigo conhece o outro em todas as instâncias. Não importa se está alegre ou triste: É amigo em todas as horas. E o melhor: Não há segredos entre os amigos. Tudo está em comum para os dois. Há sempre transparência. É o que chamamos de ter intimidade. É assim que acontece para os que são amigos de Deus. É assim que ocorre quando somos amigos do Senhor Jesus. Não somos somente servos. Somos amigos de Jesus. Por que conhecemos os seus planos quando ele nos revela.

MOISÉS: Este aqui já nasceu em apuros. Após três meses sendo escondido por seus pais, sua mãe faz logo um cesto e o deposita, lançando-lhe no rio para escapar da morte. Por providência de Deus, a princesa o acolhe e ele cresce numa família rica e poderosa. Quando adulto, vê seus irmãos sendo tratados como verdadeiros escravos e animais de carga. Mata um doa capachos do faraó por ter defendido seu irmão hebreu e foge para o deserto. No deserto, Deus o chama, o elege e dá-lhe uma missão tremenda e perigosa. Muito desafiante: Libertar o povo hebreu que estava escravo do Egito. Chegam-se as dez pragas, e depois da última, a morte dos primogênitos, os israelitas são expulsos do Egito. Quando estão acampados diante do mar vermelho, olham para trás e percebem um número incontável de soldados de guerra muito bem armados para arrastá-los de novo para o Egito. Nessa hora, desesperados, logo começam a criticar a Moisés, afirmando que vão morrer ali mesmo. Mas, Deus realiza o que prometeu a Moisés, pois não é homem pra mentir, e faz o povo de Israel atravessar a pé enxuto abrindo caminho  meio do mar. Vou parar por aqui...
            Quando Deus nos elege, não podemos pensar na derrota. A derrota existe para os que não confiam em Deus e não dão crédito nas suas promessas. Todo aquele que é selecionado por Deus para trabalhar em seu Projeto de Salvação, constitui-se um novo Moisés e sua função é justamente fazer os israelitas da atualidade atravessar a pé enxuto do mar vermelho do pecado para o deserto da vida nova que é uma preparação para a nova Canaã que é o céu. O nosso cajado se chama Palavra de Deus e quando ao Maná que alimentou os israelitas é a Eucaristia e o Poder do Espírito Santo. Então, é hora de chegar no faraó deste mundo e declarar que ele não tem mais nenhum escravo trabalhando pra si, pois os filhos de Deus já foram livres quando o Senhor Jesus derramou o seu sangue no alto da cruz. Já pensou quando contemplarmos com os nossos olhos Satanás sendo atirado no mar de fogo do inferno assim como morreu todo o exército do faraó? Desculpe-me as regras de produção de textos: ÓÓÓH GLÓÓÓRIA!  
                      
PEDRO: Esse daqui era rude, ignorante nos dois sentidos (de falta de conhecimento da Palavra de Deus e mal-educado), e humanamente falando, não havia saída para ele. Era um pescador. Mas quem pensa assim são os fracotes e desconhecedores da Palavra de Deus. Os que confiam no Senhor não são confundidos e a esperança não engana. Deus, claro, escolhe os pequenos para confundir os grandes. Seleciona os fracos para encabular os fortes. Quando chega o dia de Pentecostes, esse homem é totalmente renovado em todos os sentidos. Faz uma pregação ungidíssima e converte em uma só primeira pregação três mil pessoas. Eeeita unção tremenda!!! Em uma outra pregação converte somente cindo mil pessoas. Governa a Igreja primitiva e morre mártir quase igual a Jesus. Falei quase, por que não se achou digno de morrer igual o Mestre que morreu crucificado. Pede então para inverterem a cruz por se achar um pecador. Mais até hoje, converte milhares. Por que Pedro morreu fisicamente, mas a sua pregação ainda chega aos nossos ouvidos. Era cheio do Espírito Santo e deixava-se ser movido pelo e no Espírito. Por isso, não se abatia com as perseguições e tribulações. Mas, sendo perseguido, preso, caluniado dava glória a Deus e seguia fielmente a sua missão destemidamente.
            Assim devem ser os eleitos de hoje: Cheios do poder do Espírito Santo para  converterem multidões e dar a sua vida pela Obra de Deus. Pedro tornou-se pescador de almas. Devemos também salvar mais e mais as vidas mortas que estão nessa terra corrompida. Se a sombra de Pedro foi capaz de curar enfermos, o nosso testemunho tem que ser capaz de ressuscitar s mortos de hoje. Pedro tinha o dom de anunciar a Palavra de Deus. Essa Palavra tem que impregnar a nossa alma ao Senhor Jesus para que as multidões deste mundo se convertam.

            Meu querido irmão, minha vida também era de escravidão e falhas. Cometo ainda pecados. Mas, não estou em cima do muro. Uma coisa é o fato de cairmos algumas vezes. Um outro fato, bem diferente, é está em cima do muro. Decida-se! Não seja um servo desmantelado.            Não seja um boneco de lata nas garras de Satanás e sim um servo de Deus usado (e ousados) nas mãos do Senhor Jesus pelo poder pentecostal do Espírito Santo. Quando Deus me chamou estava eu mergulhado no lamaçal de erros. Estava submerso na lama. Hoje, estou submerso no sangue do cordeiro de Deus: O Senhor Jesus!
            Peço a Deus, a amizade que Abraão tinha para com ele (que eu também tenha de maneira muito própria), a capacidade de fazer os mundanos de hoje passarem a pé enxuto do mar vermelho de pecado para o deserto de uma vida nova de ressuscitados (esta terra já é um deserto em peregrinação para o céu, a nova Canaã) e o Poder do Espírito Santo que Pedro tinha para que eu, destemidamente, anuncie de maneira profética e ungida a Palavra de Deus para converterem multidões.

“Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado, e te havia designado profeta das nações” (Jr 1,5)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página