Pesquisar neste blog:

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

AI DE MIM SE EU NÃO ANUNCIAR O EVANGELHO! (I Cor 9,16)


          Diz uma história que o apóstolo Paulo já velho, e muito cansado, estava escrevendo algumas epístolas de encaminhamentos e acompanhamento pastoral das comunidades da qual o Evangelho havia chegado, e comunidades que haviam sido formadas. Estava escrevendo... Porém, muito cansado, abatido, com dores em todo o corpo e uma tosse muito séria. Mas, cheio do Espírito Santo que o levava a escrever aquilo que vinha da parte de Deus, não se dobrava diante do seu sofrimento, sabendo que o que fazia era ministrado pelo Espírito Santo.
Chegaram então ali, dois pregadores, que vinham de uma missão. Vendo seu estado físico e aparentando não ter mais forças, disseram-lhe: -Paulo, você já viajou muito pregando a Palavra de Deus por aí. Por que você não se aqueta! Ele responde: “-Ai!”... Na mesma hora, chega o coordenador do Grupo de Oração local, e percebendo a sua fadiga física e seu semblante cansado, fala os seguintes termos, despedindo-o de pregar como antes: “Quantos discípulos você formou Paulo! Um exército de adoradores. Certamente o Espírito Santo os capacitará para com poder e acompanhamento de milagres, prodígios e sinais, eles converterão a muitos e restaurarão muitas almas para Deus”. Paulo, novamente exclama: “Ai!”... Chega uma irmãzinha do aconselhamento, trazendo-lhe café. Os irmãos se reúnem ao seu redor e começam a fazer um momento de louvor e uma linda oração ao Senhor, direcionada a Paulo. A coordenadora do ministério de cura e libertação, começa:
 Senhor nosso Deus, conhecedor de todas as coisas, tu sabes o quanto esse teu missionário já sofreu por causa do Teu Reino e do teu Filho Jesus, anunciando o Teu Reino e levando muitos pagãos ao conhecimento da Tua Palavra. Percebas agora o quanto esse homem precisa de descanso e do teu refrigério espiritual e até mesmo físico. Dá-lhes do Teu Espírito Santo para que esse teu filho possas contemplar a tua glória com os inúmeros testemunhos que ele ainda verá mesmo estando cansado e sem forças”. Os irmãos, ali presentes, queriam que Paulo descansasse de pregar o Evangelho.
Após essa simples e linda oração, todos eles começaram a se abraçar e a abraçar Paulo, dizendo-lhe palavras de consolo, de sabedoria e de acolhimento e acompanhamento por conta de seu estado sem forças, doentio e cansado.
Um dos irmãos, agora ministro de música, na ora da partilha, disse: -Você lembra Paulo, quando estando a caminho para Damasco o Senhor Jesus te derrubou do cavalo perguntando o porquê você O perseguia. Logo você foi batizado, claro passou por três dias de cegueira, mas assim como Jesus, no terceiro dia você ressuscitou para uma vida nova e poderosamente missionária. Nas sinagogas já começava a pregar que Jesus veio na carne e era o Filho de Deus.
Uma das irmãs, logo com um sorriso nos lábios, lembrou aos irmãos: -E quando ele chegou em Corinto. Os dons eram tremendos. Eu lembro. Eu também era usada por Deus. Era gente orando em línguas, Deus dava o dom de curar todo tipo de enfermidade, muitos repousavam no Espírito, revelações fortes eram permitidas por Deus, o demônio corria aos prantos quando nós começávamos a oração sobre as pessoas que vinham até nós, e todos eles eram instrumentos de Deus. Mas o Espírito Santo, disse através de ti Paulo, lembra? Que o maior Dom era o amor. De nada adiantava aquele revirar dos olhos e sapatiados dançantes, se nós não amássemos o nosso próximo. Na verdade, eles queriam só os dons do Espírito e não amar os irmãos, e como Deus é misericordioso, e muitas almas queria resgatar ali naquele lugar, Ele, claro, não impedia a vinda e o uso dos dons.
E os demais diziam: -Glória a Deus! Logo outro irmão, tomando a palavra disse: -De fato, Paulo você é bem-aventurado. Muitos se converteram por causa de ti. Até os lenços que por tuas mãos eram abençoados em Deus, muitas curas forma realizadas por conta da fé que as pessoas tinham no Senhor.
Paulo olhava atentamente pros irmãos que ali estavam e entendia o que queriam propor...
Atrás, alguém grita: -Eita Deus tremendo! Vem buscar o teu povo, Senhor! Era um neo-convertido.
Um dos líderes da Comunidade de Gálatas, que ali estava, pedindo palavras ao Espírito Santo para convencer Paulo de parar de pregar para descansar no resto dos dias que ainda lhe restam, também falou:
-Realmente Paulo, tuas palavras eram tremendas. Fostes capaz de pregar pra muitas pessoas, desmascarando os falsos profetas que estavam entre nós dizendo que, mesmo que um anjo descido do céu, pregasse outro Evangelho, seria ele anátema. Estas tuas palavras provocou até a conversão de muitos discípulos desses falsos profetas pro caminho do Senhor. Eu lembro que muitos se arrependeram por acreditarem nesses falsos profetas, e aceitarem da parte deles, um outro suposto Evangelho e um tipo de Jesus diferente do que nós pregamos.
Paulo, já chateado com tanta conversa, e com um rosto mal humorado, porém chorando, levantou-se, olhou atentamente para todos, lembrando que Pedro queria impedir Jesus de sua crucificação e morte, meio que gritando, afirmou: “Ai de mim se não anunciar o Evangelho”...

Reflexão: Será que você não está se omitindo em anunciar o Evangelho por achar que já pregou o bastante? 

Cássio José
Email: cassiouab@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página