Pesquisar neste blog:

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Falso pastor que fundou mais de 140 igrejas pelo Brasil é preso em São Borja (RS)

Um total de 146 igrejas evangélicas fundadas até 2007, um veículo furtado e um volume ainda não contabilizado de bens e dinheiro arrecadados em golpes. Essa é a ficha criminal resumida de Sabino Saldanha, 51, que seria natural de Soledade (RS). A Polícia Federal e a Brigada Militar de São Borja (560 km de Porto Alegre) ainda não conseguiram checar de qual cidade, afinal, é o suspeito de estelionato, já que ao menos quatro carteiras de identidade falsas foram encontradas no momento da prisão em flagrante
.Saldanha –que, em São Borja, se apresentava como pastor Laércio Alves da Silva– foi preso na noite de quinta (9) no município gaúcho. A prisão aconteceu em um galpão onde ele se preparava para ministrar aulas e após dias de monitoramento de suas atividades. O falso pastor foi encaminhado ao presídio estadual de São Borja.
A prisão foi efetuada pela Brigada Militar. Segundo o chefe do setor de Inteligência da corporação, sargento Gibi Coski, o falso pastor foi encontrado graças a uma denúncia anônima. “A partir daí, começamos a pesquisar na internet e vimos que ele tinha mandados de busca  no Tocantins, em Rondônia e em São Paulo.”
A busca online ainda auxiliou a Brigada em mais duas descobertas: a de um veículo Gol encontrado no galpão onde aconteceu o flagrante –o carro, segundo a polícia, consta como furtado no Paraná– e de vários documentos das igrejas que foram fundadas por ele.
“Pelo que apuramos até o momento, os mandados eram de três Estados, mas ele teve problemas de apropriação indébita e estelionato também no Distrito Federal, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás e São Paulo. Não param de ligar pessoas que foram fiadoras dele nesses Estados e que tomaram calote”, contou o policial.
Os golpes variavam do requerimento de doação de áreas para construção de igrejas e de centros de recuperação de dependentes químicos, que nunca foram construídos, a bingos e outros tipos de captação para projetos. As terras doadas, por exemplo, eram vendidas sem qualquer interesse assistencial. A PF confirmou que um inquérito para apurar os crimes foi instaurado.
Fonte: Uol notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página