Pesquisar neste blog:

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Eis que estou à porta e bato! Ap 3,20

                                                                                                 Por Cássio José
Membro da Rcc e da Catequese
Grupo de Oração: Renascer
Email: cassiouab@hotmail.com



O Menino-Deus já nasceu a 2010 anos atrás em Belém, numa manjedoura em meio a um conjunto de situações difíceis que Maria e José, infelizmente, tiveram que suportar. Tudo isso, para mostrar ao mundo que o Rei que nascera, não tinha o seu poderio em meio a estruturas de riqueza e fama e, sim, de humildade e obediência a Deus para os homens. E isso, não tira a sua soberania, uma vez que Jesus é o “Chefe dos reis da terra” (Ap 1,5).

Mas, aqui estamos nós! O advento chega-se ao fim e aproxima-se o Natal do Senhor.

Ele já nasceu, claro!,Cumpriu sua Missão, morreu numa cruz, ressuscitou ao terceiro dia com glória e majestade (pois a pedra não foi capaz de prendê-lo no túmulo e nem as forças do inferno capaz de impedi-lo de ressuscitar), subiu aos céus e está sentado à direita de Deus Pai, todo poderoso, donde há de vir para julgar os vivos e os mortos e o seu Reino não terá fim.

Mas, ainda nestes dias contemporâneos, os cristãos renovam a Celebração do Natal e Ele faz questão de nascer de novo para aqueles que abrem os seus corações.

Imaginemos o diálogo entre Deus e seu Filho, Jesus, quando este, já “estava com Deus e era Deus” (Jo 1,1):

Deus pede: “Meu Filho, desça lá, naquela terra impura, faça-se homem, pregue a Palavra, realize muitos milagres, prodígios e sinais, reestabeleça o nosso e não esqueça ‘dar a tua vida’, sendo obediente até a morte e morte de cruz!”.

Jesus, claro, que é a Obediência por excelência, respondeu a seu Pai, que é também, nosso Pai e nosso Deus: “Sim Papai, tornar-me-ei homem e farei o que o Senhor me falou, por amor que, de tal maneira, nós temos pela humanidade...”

E o Deus Eterno, deixa o seu trono, a adoração, a glória e a majestade dos anjos no céu (não que ele deixe de receber quando estava aqui na terra!), e faz-se Verbo de Deus sendo um ser humano: 100% Homem e 100% Deus. E a Palavra de Deus afirma que “o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14).

As pessoas não percebem o amor de Deus por elas. Os cristãos não abrem os olhos para o melhor de Deus que ainda está por vir. A humanidade descarta a possibilidade da comunhão entre Deus e os homens. Nós não percebemos que a derrota só existe quando estamos distantes do Senhor. A felicidade está em se deliciar com o cumprimento da vontade de Deus! Tudo isso se faz a partir do momento em que damos espaço para que Jesus possa nascer na nossa vida.



Será que as pessoas não percebem que Jesus quer nascer de novo? Quantas vezes proibimos o Menino-Deus de nascer na nossa vida!! Jesus está de novo, na porta do nosso coração, disposto a buscar moradia e ter vida de intimidade conosco:



Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearemos, eu com ele e ele comigo” (Ap 3,20).



Quantas pessoas se preocupam com o consumismo e o materialismo: roupas da moda, presentes, festas, farras, brincadeiras, amigos-secretos, cachaça, vinho, peru, superstições, dinheiro, fama, casa nova, árvores de natal...

São artifícios que entulham o nosso coração para que o Menino-Deus passe bem distante do “nosso natal” e da nossa vida. Além disso, podemos diagnosticar uma idolatria tremenda a tudo isso, quando há, entre nós, a predominância de muitos cristãos que guardam em seus corações um caráter egoísta, subumano, mesquinho e relativista.

Muitos não sabem nem sequer o significado verdadeiro do Natal. Em festas, por exemplo, em meio a danças, prostituição e cachaças, saúdam uns aos outros com a frase: “Feliz Natal!” Isso, é cultura de morte e não a Celebração do Natal. O único que se alegra com isso é Aquele que só veio para “roubar, matar e destruir” (Jo 10,10).

Os que fazem isso, não estão somente desprezando o Menino-Deus que quer nascer em seus corações, mas estão abortando o Deus da Vida. Tem gente, celebrando Satanás, achando que está celebrando o Nascimento de Jesus! (pasmem!). O pior, é que além de muitos socializarem isso como normal aplaudem os que cometem tal torpeza (Rm 1,32).

Amado (a), “busquemos o Senhor enquanto ele se deixa encontrar” (Is 55,6). Aproveitemos esse maravilhoso e único Deus que se fez criança e procura abrigo de porta e porta. Não deixemos mais, Jesus nascer no prato onde o boi come (manjedoura), mas abramos o nosso coração para Deus, pois quer nascer de novo, na nossa vida, e ter amizade conosco!

A nova manjedoura que Jesus quer nascer é o nosso coração, que é o lugar onde amamos verdadeiramente. Por isso, Deus, já no Antigo Testamento, colocou como Lei:



Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças”
 (Dt 6,4)



Esse coração (meu e seu) é o espaço que Deus quer preencher com o seu amor e com o seu reino. Deixemo-lo nascer e fazer moradia em nossos corações para que sejamos felizes. Você já imaginou quem quer nascer no teu coração? Você tem a ideia de quem quer ter moradia contigo?

Não sei se você recorda: Houve horas na tua vida que você esteve só. Olhou para um lado e para o outro, e não encontrou ninguém! E as lágrimas derramadas? Quantas vezes nem teve um ombro amigo para te consolar. As vezes, só restaram as críticas e as decepções. De repente, você depositou confiança e esperança nas pessoas erradas.

Agora preste atenção: Deus não te deixou em momento algum. As tuas lágrimas forma enxugadas por Jesus todas as vezes que você achou que elas caíram no chão! Ele ressoava nos teus ouvidos: “Eu estou do teu lado!” em todos os momentos que você nem imaginava. Você não tem o direito de desistir, por que Deus não desiste de você! O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer! Os nossos olhos não nadam em lágrimas a toa!

Muitas vezes nós achamos que ninguém nos ama!!! Mas esquecemos que temos um Deus que desce do seu trono para andar lado a lado conosco segurando na nossa mão! Esquecemos que temos um Deus que tem seus olhos voltados para nós e seus ouvidos atentos a escutar as nossas orações, pois Deus nos amou e nos ama! Você já pensou nas muitas coisas que acontecem contigo e você nem percebe que tem dedo de Deus? O ar que você respira, a chuva que cai, o sol que brilha, o vento que toca no seu corpo, a imensidade do mar e a infinidade do céu... Olha quantas coisas Deus te dá gratuitamente? Será que você não percebe que é nas horas mais difíceis que Deus mais te ver? Ele não é indiferente ao teu sofrimento!

A Palavra de Deus nos revela que o nosso nome está inscrito nas palmas da mão de Deus (Is 49,16s). Ele é um Deus apaixonado por nós.

Se os nossos nomes estão escritos na palma de Suas mãos, é possível Deus deixar de nos amar? Não! O impossível é Deus não nos amar! Isso é a única coisa impossível para Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página