Pesquisar neste blog:

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Drama dos mineiros soterrados no Chile: O tubo da esperança e a oração.

Quarta-feira, dia 25-08-2010, este conduto, de oito centímetros de largura, permite que se passem as primeiras mensagens e o alimento para os 33 mineiros bloqueados no fundo de uma mina chilena. A sua saída está longe de ser iminente. Estima-se que será somente em torno do Natal.
Após a euforia de serem descobertos, os 33 homens presos a 700 metros de profundidade numa mina do Chile se preparam agora para meses de espera. A rotina dos mineiros deve ser organizada a fim de controlar os ânimos das vítimas, bem como o peso para ajudar no resgate. Três líderes foram escolhidos entre os soterrados, e um deles cuidará — especialmente — do lado espiritual de seus colegas.
A notícia é do jornal O Globo, 27-08-2010.
Mario Gómez, que ficou conhecido no grupo por escrever cartas de amor para a esposa, é quem vai tranquilizar os outros 32. Ele já vem realizando orações sob os escombros e pediu às equipes de resgate, inclusive, figuras religiosas — como o crucifixo e santos — para a criação de um oratório no refúgio.
— Ele tem um espírito de equipe potente — disse Jorge Díaz, diretor da Associação Chilena de Segurança de Copiapó e que coordena os médicos na zona de resgate.
Para uma melhor adaptação no local, especialistas pediram o estabelecimento de uma rotina, contando com hora para dormir, comer, trabalhar, se divertir, e repousar. Ainda não foi definido, no entanto, o horário de cada atividade, mas, para o cumprimento, os 33 serão divididos em dois turnos — mediante uso de lâmpadas para definir dia e noite.
Mineiros deverão evitar solidão no refúgio .
O espaço em que os 33 mineiros aguardam o resgate deverá ser, de acordo com as equipes, definido em três setores: dormitórios, sala de reunião (para comer, conversar, receber alimentos) e banheiro.
Segundo o ministro da Saúde, Jaime Manalich, as divisões já foram realizadas por iniciativa das próprias vítimas.
De acordo com Díaz, a solidão não é a melhor saída, sendo assim a orientação é que todos fiquem sempre acompanhados de pelo menos um colega.
— É muito provável que em algum momento se quebrem emocionalmente. Precisamos que eles liberem as emoções — afirmou Díaz.
No entanto, o ministro da Saúde afirmou que os 33 mineiros já sabem do tempo que a operação de resgate pode demorar e estão tranquilos.
— Conseguimos falar com eles de forma sincera, e eles aceitaram. Estão tranquilos e esperam poder cooperar da melhor forma possível com a gente — disse o ministro à imprensa.
O governo chileno acredita que o custo total da operação de resgate pode chegar a US$ 10 milhões. Até agora, o investimento apenas em máquinas foi de US$ 3 milhões, e todos os gastos devem ser repassados à empresa San Esteban, dona da mina.
Bens de mineradora são congelados
Além dos custos do resgate, a empresa deve enfrentar ainda um processo judicial, como as famílias dos mineiros já anunciaram que pretendem fazer. A ação incidiria também sobre o Serviço Nacional de Geologia e Mineração (Sernageomin). A Justiça chilena já decretou o congelamento de bens da San Esteban no valor aproximado de US$ 1,8 milhão para o pagamento de eventuais indenizações.
De acordo com a juíza Mirta Lagos Pino, responsável pelo congelamento dos bens, a medida vale, inicialmente, por um prazo de 30 dias.
Ontem, o órgão regulador do setor ordenou o fechamento de 30 mineradoras de cobre após o acidente reabrir a discussão sobre a questão de segurança.
Juntas, as empresas produzem cerca de duas toneladas de cobre por ano — ou 0,04% da produção anual do país. Jorge Pavletic, membro da Sociedade Nacional de Minério (Sonami) confirmou o fechamento.

http://www.comshalom.org/blog/carmadelio/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página