PAZ E FOGO!!!! SEJAM BEM VINDOS AOS NOSSO AMBIENTE VIRTUAL

sábado, 26 de junho de 2010

"NÃO TENHO OURO NEM PRATA, MAS O QUE TENHO EU TE DOU".


 Certamente o amigo que está lendo este artigo deve ter percebido o que desejamos aqui abordar! Desejo promover um reflexão sobre a realização de serestas com venda de bebidas alcoólicas em festas de Padroeiro, uma atitiude no mínimo incoerente.

Se você é uma pessoa que gosta de cerveja, deve ter sentido uma ira momentânea e vontade de me esganar; se você faz parte de algum movimento da Igreja Católica e busca sinceramente o Senhor, deve ter achado pesado o que está lendo, mas concorda parcialmente com tais colocações... O fato é que acolherá positiva ou negativamente contra ou a meu favor. 

No entanto, sabendo que, “não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares.” (Ef 6,12), e que, “O que Deus deseja é que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade.” (I Tm 2,4), a objetividade deste artigo, é apenas uma reflexão bíblica do que aconteceu na noite das Festividades de São Pedro neste dia 26 de junho, com a atitude em colocar uma seresta na programação do festejo. O que quero com isso, é que entendam e acolham como uma crítica profética e construtiva, para evitar tal proceder no ambientes e momentos sagrados da Igreja, que São Pedro, certamente, tampou os ouvidos e fechou os olhos naquela noite! (Se São Pedro fez isso, quanto mais o Senhor e Salvador Jesus Cristo!). Deixo bem claro que não tenho por objetivo levantar uma cultura de ódio contra os membros do Conselho de São Pedro, nem criar rivalidades com ninguém, bem embora, tenho consciência do que está por vir contra a minha atitude de denúncia. A final de contas: “Se os bons combates eu não combater, minha coroa não conquistarei... Se perseguido aqui eu não for, sinceramente um cristão não sou”.

Amado irmão, uma festividade qualquer, seja pequena ou grande, e tendo uma boa ou ruim estruturação em sua equipe do Conselho, tem como meta principal a evangelização de todos aqueles que participarem das atividades de tal festejo. Com músicas não cristãs e bebidas à disposição de quem  deseja comprar, num contexto de uma seresta, como evangelizar alguém? Qual o objetivo de tal evento? Que mensagem ou doutrina se está pregando?

A expressão “evangelizar” vem do termo “evangelho” que por sua vez, traz consigo o significado “boa nova, boa notícia”, que é o Senhor Jesus: a Boa, e espetacular, notícia vinda da parte do Pai. Por tanto, todas as atividades de qualquer festejo deveria anunciar o senhorio de Jesus, que é a solução para o caos deste mundo! O que vemos, no entanto, é uma tentativa financista de arrecadação de dinheiro, logo neste ano em que a CF propõe que “Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro” (Mt 6,24). Numa parte da Oração da CF- 2010, temos esses trechos oracionais:
“Nesta Campanha da Fraternidade Ecumênica, acolhemos a graça da unidade e da convivência fraterna, aprendendo a ser fiéis ao Evangelho. Ilumina, ó Deus, nossas mentes para compreender que a boa nova que vem de ti é amor, compromisso e partilha entre todos nós, teus filhos e filhas”. (ver texto-base).

Seria fidelidade ao Evangelho de Jesus vender cerveja, (Será que tinha só cerveja a disposição dos in-fiéis?) promovendo assim paganismo, fazendo o povo de Deus embriagar-se após a Celebração, logo na calçada e arredores da Igreja? Penso serissimamente que não!!!
Com todo respeito e sem julgamento algum: Está com uma cerveja na mão e num ambiente de seresta, é Glorificação ao nome de Deus? Já pensou Jesus morrendo na cruz, derramando o seu sangue pra nos remir de uma vez por todas, com um copo de cerveja na mão dizendo: “P...P..P.PAI, SALVEI O TEU POVO!” Também quando Ele ressuscitou dentre os mortos ao terceiro dia, não estava com musiquinhas antiadorativas e nem com cerveja na mão. E no decorrer de seu ministério messiânico não vemos Jesus aceitando venda de bebidas no templo. Veja:



Estava próxima a Páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. 14.Encontrou no templo os negociantes de bois, ovelhas e pombas, e mesas dos trocadores de moedas. 15.Fez ele um chicote de cordas, expulsou todos do templo, como também as ovelhas e os bois, espalhou pelo chão o dinheiro dos trocadores e derrubou as mesas. 16.Disse aos que vendiam as pombas: Tirai isto daqui e não façais da casa de meu Pai uma casa de negociantes. 17.Lembraram-se então os seus discípulos do que está escrito: O zelo da tua casa me consome (Sl 68,10). 18.Perguntaram-lhe os judeus: Que sinal nos apresentas tu, para procederes deste modo? 19.Respondeu-lhes Jesus: Destruí vós este templo, e eu o reerguerei em três dias. 20.Os judeus replicaram: Em quarenta e seis anos foi edificado este templo, e tu hás de levantá-lo em três dias?! 21.Mas ele falava do templo do seu corpo. 22.Depois que ressurgiu dos mortos, os seus discípulos lembraram-se destas palavras e creram na Escritura e na palavra de Jesus. 23.Enquanto Jesus celebrava em Jerusalém a festa da Páscoa, muitos creram no seu nome, à vista dos milagres que fazia. 24.Mas Jesus mesmo não se fiava neles, porque os conhecia a todos. 25.Ele não necessitava que alguém desse testemunho de nenhum homem, pois ele bem sabia o que havia no homem.  (Jo 2, 13-25). Será que o Conselho de São Pedro nunca leu essa passagem bíblica? Vamos a outras:

“Os que vivem segundo a carne gostam do que é carnal; os que vivem segundo o espírito apreciam as coisas que são do espírito. Ora, a aspiração da carne é a morte, enquanto a aspiração do espírito é a vida e a paz. Porque o desejo da carne é hostil a Deus, pois a carne não se submete à lei de Deus, e nem o pode. Os que vivem segundo a carne não podem agradar a Deus”. (Rm 8,5-8)

“Não ameis o mundo nem as coisas do mundo. Se alguém ama o mundo, não está nele o amor do Pai. Porque tudo o que há no mundo - a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida - não procede do Pai, mas do mundo. O mundo passa com as suas concupiscências, mas quem cumpre a vontade de Deus permanece eternamente”. (I Jo 2, 15-17)

Digo, pois: deixai-vos conduzir pelo Espírito, e não satisfareis os apetites da carne. Os que pertencem a Cristo crucificam suas paixões e seus desejos” (Gl 5, 16.24)

Espere aí mais um pouquinho: Eu não toquei ainda especificamente nas bebidas, e sim a uma vivência numa vida carnal, desejos carnais concernentes a se tornarem desagrado aos olhos de Deus, por tanto, desobediência, pecado. Paulo escreveu em I Cor 10,31:

“Portanto, quer comais quer bebais ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus”. 
Pergunto: O que direi aos irmãos separados quando "tacarem o pau" na Igreja Católica?

Meu querido, se amamos ao Senhor, vamos ter alguma atitude que venham a lhe  desagradar e o entristecer? Evidente que não! Mas, o louvaremos com atitudes obedientes à Sua Palavra! Eu denomino esse tipo de atitude como uma traição espiritual ao nosso único e absoluto Deus e Senhor Jesus! Temos que embriagar os católicos é com o Espírito Santo de Deus e não com bebidas e serestas. Quando é que nos festejos haverá a atitude de todos os membros das pastorais e movimentos da Igreja, andarem de casa em casa e, com a Bíblia na mão, levarem a Palavra de Deus a todos os camocinenses? Quando é que faremos uma carreata grandiosa com uma faixa bem grande na frente afirmando: Jesus é o Senhor!, e parando no mirante, ali perto das barreiras por exemplo, teremos uma adoração ao Santíssimo Sacramento ao ar livre?
Quem passou ontem a noite em frente a Igreja de São Pedro, pensou, evidentemente, consigo: “Eu posso embriagar-me porque a própria igreja está fazendo isso com os seus fiéis dentro do próprio festejo e bem em frente a própria igreja”. Se os mandamentos de Deus pregam o Deus da vida, por que os festejos pregam deuses da morte como a cerveja, músicas deísticas...etc,etc,etc e tal e tal?
Como catequista de jovens no Crisma e pregador na RCC, que fundamentos terei para pregar a Palavra de Deus, se eles afirmam que a própria liderança da igreja erram? E têm toda razão!!! (o pior é isso).
É meu amado, alguns têm que dar uma voltinha nestas passagens bíblicas:
Provérbios 23, 29- 32: Para quem os ais? Para quem as contendas? Para quem as queixas? Para quem as feridas sem motivo? Para quem o vermelho dos olhos? Para aqueles que permanecem junto ao vinho, para aqueles que vão saborear o vinho misturado. Não consideres o vinho: como ele é vermelho, como brilha no copo, como corre suavemente! Mas, no fim, morde como uma serpente e pica como um basilisco!

Efésios 5,18: “Não vos embriagueis com vinho, que é uma fonte de devassidão, mas enchei-vos do Espírito”.

Acredito na Palavra de Deus, que a nossa bebida é o sangue do Senhor Jesus que tomamos todas as vezes quando, na Missa, temos participação com o banquete celestial e não numa seresta de festejo! E nos embriagamos sim: Com o Espírito Santo que nos faz buscar as coisas do alto e renunciar as da terra. No mais, meu amado leitor, rezemos pela Igreja. Apesar de tudo tenho uma certeza: Faço parte da Igreja, da qual Satanás tem ódio: a Católica Apostólica Romana!

Paz e fogo! Deus te abençoe!

Cássio José (membro da RCC, coordenador do Grupo de Oração Renascer)
     


6 comentários:

  1. Cássio, bendigo a Deus por suscitar em você a ousadia de um Profeta. Somos chamados a anunciar corajosamente a Palavra, o que implica também em denunciar as práticas incoerentes com a mensagem de Cristo!

    Roguemos a Deus que as lideranças de nossas comunidades repensem certas atitudes, sobretudo com relação às festas de padroeiro. Tratam-se de momentos que devem seguir primordialmente a missão de evangelizar, de congregar o povo de Deus, de forma sadia e alegre. Quando colocamos Deus em primeiro plano e nos organizamos de acordo com a vontade do Senhor, Ele providencia o necessário para a manutenção da Igreja, pois foi Ele mesmo que nos confiou o encargo de colaborar com sua obra!

    Deus abençoe a nossa caminhada!

    ResponderExcluir
  2. Olá meu querido Cássio José, coordenador da RCC! Adorei suas palavras, elas estão cheias de sabedoria. Porém, já que vc é um coordenador da RCC de sua paróquia desejo elevar o nível dessa discussão. Espero que vc não queira me esganar depois.

    Vejamos de cara uma citação libertadora: "Não repreendas o próximo durante uma refeição regada a vinho; não o trates com desprezo enquanto ele se entrega à alegria" (Eclo 31,41). Não é criticando e tratando com desprezo que iremos resolver o problema de bebidas alcoólicas nas nossas festas de padroeiro. Afinal "Faz-se festa para se divertir; o vinho alegra a vida" (Ecl 10,19) e além do mais "O vinho e a música alegram o coração" (Eclo 40,20).

    Para resolvermos esse problema é preciso lembrar que "No princípio o vinho foi criado para a alegria não para a embriaguez. O vinho, bebido moderadamente, é a alegria da alma e do coração" Eclo 31,35-36)... Não adiantará nada fazer críticas é preciso ter atitude.

    Nessas festas de padroeiro, as pessoas que participam querem se alegrar, está com os amigos, querem se divertir... As que realizam a festa querem o sucesso da festa, uma boa participação, atingir as metas, querem ser lembrados como pessoas capazes de fazer um grande festejo...

    ResponderExcluir
  3. Pessoas como vc precisam mostrar que a verdadeira alegria, diversão e o sucesso de uma festa de padroeiro é a pessoa de Jesus Cristo, e para isso é preciso lembrar das palavras de Paulo: "Acolhei aquele que é fraco na fé, com bondade, sem discutir as suas opiniões" (Rom14,1); "Nós, que somos os fortes, devemos suportar as fraquezas dos que são fracos, e não agir a nosso modo" (Rom 15,1) e "Fiz-me fraco com os fracos, a fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, a fim de salvar a todos" (Rom 9,22)

    As pessoas conhecedoras da verdade, coordenadoras da RCC, ou não, geralmente são as pessoas que menos auxiliam os coordenadores de festejos, bancam os "santinhos" mas na ora que Jesus chama para o vamos ver caem fora... Festejos de padroeiros são o vamos ver de Jesus!

    Meu caro, o que as pessoas querem fazer é uma festa de sucesso, e elas esperam ajuda para isso, não críticas! Muitos festejos de padroeiro estão morrendo pelo Brasil a fora, então, aqueles que querem ressuscitar os festejos inventam serestas, gincanas, festas com bandas do mundo e apresentações mundanas para alegrar os festejos de padroeiros...

    ResponderExcluir
  4. Certamente vc não concorda com isso... EU TAMBÉM NÃO... Mas nós não podemos simplesmente criticar e cair fora! O que nos temos que fazer é cair dentro! É contaminar esse povo com a nossa santidade, é sermos fogo de Deus para purificarmos essas festas! Meu caro nós precisamos conquistar essas paróquias!

    Em Minas Gerais existe uma paróquia na qual a RCC foi entrando, conquistando espaço, cativando as pessoas e com o passar do tempo tornaram-se os principais contribuintes para o sucesso de festa da Padroeira da paróquia...

    Esses santos mineiros venderam cerveja durante anos nos festejos, vendiam mesas para serestas e entradas para festas mundanas no clube próximo da igreja... Hoje com total apoio da pároco e dos coordenadores dos festejos eles fazem encontros carismáticos durante os 11 dias da festa, promovem louvores, fazem aconselhamento, as serestas deram lugares aos cânticos católicos e algumas MPBs saudáveis, "SEM BEBIDAS ALCOÓLICAS", é o maior encontro carismático da cidade, eles passam o ano todo preparando esse evento dentro da festa da padroeira... Eis a solução!

    Suas palavras são santas, mas e a sua atitude? O que vc e seus grupos carismáticos fazem durante as festividades? Fecham as portas e metem a língua... Ou evangelizam de verdade? Pense nisso! Um abraço, fica minha dica: Tentem ajudar os coordenadores e promovam eventos durante o festejo... O resto Jesus faz a obra! Paz e bênção!

    ResponderExcluir
  5. Sei que faz tempo que a discussão se levantou, mas quero so fazer uma ressalva: não sou coordenador paroquial da RCC Camocim. Era, na epoca, coordenador de um dos três grupos de oração de Camocim. Quanto aos levantamentos feitos no que se concerne as atividades da RCC dentro da Igreja, na questão da prestação de serviço, Camocim pode confirmar ou não que há zelo pelos carismáticos de Camocim em seguir as doutrinas e ser obediente a Igreja de Cristo...

    ResponderExcluir

R@DIO BEATITUDES

Total de visualizações de página