Pesquisar neste blog:

quinta-feira, 15 de abril de 2010

A decadência protestante

Lésbica
Pastor Olli Aalto; falta de vergonha na cara…
O protestantismo nasceu destinado à auto-destruição. Fora da barca de Pedro todos ficam indefesos e abertos aos ataques dos inimigos da fé, dos demônios. O próprio cisma é fruto do pecado. Desde o surgimento da “fé reformada” esta fundamentou as suas crenças mais básicas em princípios essencialmente falaciosos. Percebam que dentro do mundo protestante encontramos desde um puritanismo assustador até o relativismo moral em altas doses. Mesmo sendo aparentemente realidades opostas, ambas refletem as contradições intrínsecas da “Reforma” e seus princípios. As doutrinais liberais protestantes – que depois deram forma ao modernismo – nasceram das contradições colocadas entre o protestantismo e a crença na Verdade cristã, una e objetiva.

Fiquei sabendo, há pouco, que um pastor homossexual, divorciado e com três filhas, fez uma cirurgia de mudança de sexo e agora vive o seu “ministério” de pastora da Igreja Luterana da Finlândia. As autoridades da ILF endossaram a decisão de Olli Aalto alegando que a confissão permite a “ordenação” de mulheres. Isso ocorre pouco tempo depois que a Igreja Luterana da Suécia aprovou o “casamento” gay e a “ordenação” de mulheres. O abismo é o limite!
Sempre digo que quando a porteira é aberta não passa apenas um boi, mas toda a boiada. Percebam que o processo revolucionário de decadência é gradual; liberação da ordenação de mulheres, liberação do casamento e ordenação de gays. A Igreja Luterana da Suécia até já “sagrou” episcopisa uma mulher lésbica! O ápice do politicamente correto. Esse ciclo de decadência, já iniciado, não pode ser mais interrompido. O relativismo inibe qualquer análise objetiva dos fatos. Logo, se “ordenamos” gays, lésbicas e bissexuais, por que não “ordenar” pansexuais e autorizar a relação sexual de homens com animais? A brecha dado ao homossexualismo destrói todo o arcabouço moral,  o que impede qualquer justificativa plausível em condenação às “tendências” sexuais ainda vistas como escandalosas.
Se o protestantismo já sofre com as forças internas liberais e revolucionárias, as igrejas nacionais, comuns em muitos países protestantes, padecem com a atuação do poder político nas decisões eclesiásticas. Entretanto, mesmo com essa realidade, os inimigos são os próprios religiosos que promovem a anti-civilização.
Lésbica
A Episcopisa da Sapatolândia!

FONTE: BLOG VERITATIS

Um comentário:

  1. O pecado é uma realidade humana (Romanos 3:23 “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus".Na igreja católica por exemplo, os últimos e mais notórios escândalos, estão relacionados ao acobertamento pela igreja de centenas de casos de pedofilia cometidos por sacerdotes.Então,protestantes, católicos ou coisa que o valha, precisamos nos converter de forma genuína a Jesus Cristo, entregando nossas vidas a Ele, só assim poderemos agradar a Deus! Leia a Bíblia!

    ResponderExcluir

Total de visualizações de página