Pesquisar neste blog:

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

NÃO NASCEMOS PARA A TRISTEZA!

  O ser humano, Obra-prima de Deus, deve sempre está com o seu semblante contente, regozijante, alegre, feliz! Mas, não é sempre assim que se tem observado entre as pessoas. As vezes, raros são aqueles que nós percebemos em seus semblantes uma alegria contagiante! Poucos são aqueles que derramando lágrimas dos seus olhos por conta de alguma situação, percebe-se que o seu coração é alegre e a sua alma é feliz! E raros são também os que louvam a Deus quando a tribulação e as dificuldades batem à sua porta!


O trabalho, as dificuldades da vida, as batalhas enfrentadas, o corre-corre do cotidiano, os maus relacionamentos, as derrotas, os desafios e impossíveis que temos que enfrentar são, em grande parte, alguns dos fatores que nos deixam tristes. Mas, quem não tem problema? Quem não tem dificuldades? Quem dentre os homens não passa por situações difíceis? Até o Senhor Jesus chorou (Jo11, 35) e passou por muitas tribulações; e nem por isso, andava se lamentando por aí ou dobrando-se diante dos problemas que teve que suportar! E será que essas coisas têm o poder de moldar a nossa alegria? Será que nós, sendo “imagem e semelhança de Deus”, temos o direito de nos curvar diante daquilo que nos deixa tristes para andar-mos “cabisbaixo” por aí?

    Não é do desejo de Deus nos ver tristes! Até Deus fica triste quando vê um de seus filhos tristes sem a menor perspectiva de vida ou de vitória mediante a situação que lhe é submetida. Será que não percebemos que Deus sempre está do nosso lado? Será que não percebemos que o Senhor chora todas às vezes quando O desprezamos e O abandonamos ou quando não temos nenhuma vontade de viver? “Se a voz do Senhor abala o deserto” (Sl 28,8), não há o que temer! Não se curve diante das tribulações! Persista em fazer de tudo para ser feliz em Deus! Perceba que “Deus enxuga todas as lágrimas que descem dos teus olhos” (Ap 21,4). E veja que Deus só permite situações difíceis das quais você pode suportar!

    Percebemos, pela palavra de Deus, que nenhum daqueles que buscou o Senhor voltaram desamparados. Mas, “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”(Jl 3,5).

    Abraão, após receber a promessa de Deus (Gn 12,2) sai de sua terra rumo às localidades direcionadas pelo próprio Deus. Sem saber pra onde ia parar, simplesmente acreditando naqu’Ele que tudo pode, não teve medo de se lançar nas promessas do Senhor para esperar seu cumprimento! Ele tinha 75 anos quando Deus lhe prometeu um filho. A situação, porém, era muito difícil por que ele era velho e sua mulher era estéril. Mas, como “Deus não é homem para mentir e nem filho de homem pra se arrepender”, a promessa se cumpriu e Isaac nasceu mesmo com muito tempo de espera. Você esperaria 24 anos por uma promessa de Deus? Abraão o fez e não teve como se arrepender! E hoje temos a salvação por participação dele que foi o patriarca dos eleitos! Confie e espere no Senhor e verás que o milagre vai chegar quando você menos esperar! A hora é de Deus e não nossa! O relógio de Deus nunca anda atrasado. Sempre chega na hora certa! “Os que plantam com lágrimas colherão com alegria” e os que esperam no Senhor verão com os próprios olhos a promessa se cumprir! Por tanto, nada de tristeza!
  
    Deveríamos ser as pessoas mais felizes de todo o universo! Por que o Senhor Jesus já derramou o seu sangue na cruz e nos remiu! E já sabemos que basta nos entregarmos por completo ao Senhor Jesus, para percebermos que o nosso lugar no céu já está reservado e para sempre estaremos com o Senhor (Jo 14,3)! Se o dia tem 24 horas, Deus está conosco nas 25!
 
  Os nossos olhos não nadam em lágrimas a toa! Mas Deus bem sabe que cada lágrima derramada é uma frase que somente Deus tem a capacidade de ler e interpretar! Os gemidos inextinguíveis são, na verdade, orações que deveriam ser pronunciadas com as nossas palavras. O silêncio é na verdade, um brado de clamor por justiça que elevamos a Deus! Deixemos então, que as nossas lágrimas, o nosso gemido e o nosso silêncio, mesmo em meio as tristezas presentes, subam até o trono de Deus como a fumaça do sacrifício que era apresentada no templo do Antigo Testamento pelos hebreus.
   
    A verdadeira alegria não se encontra naqueles que não passam por problemas. A verdadeira alegria não se encontra naqueles que fogem das situações difíceis de diversas maneiras. A verdadeira alegria não se encontra naqueles que estão a todo instante sorrindo, porém, com os seus corações tristes e sua alma sepultada. Não está naqueles que possuem palácios, carros, dinheiro na conta, muitas mulheres, sexo a torta e a direita, fama, prestígio, status...

  A alegria daqueles que têm uma vida em Deus, produzida pelo Espírito Santo, se faz quando derramam lágrimas, passam por obstáculos, tudo vai mal, aparentemente não há sossego em suas vidas, enfrentam tribulações de todos os lados, não são compreendidos, passam pela água e pelo fogo, são lançados na cova dos leões; mas, “tem os seus olhos fixos em Jesus que é o autor e consumador da fé” (Hb 12,1). Esses, não são confundidos e nem desamparados. Por que, mesmo quando tudo não vai bem, continuam olhando para Deus!

    Há cristãos que sofrem e reclamam quando os sofrimentos veem. E há cristãos que derramam “lágrimas de louvor” quando passam pelo sofrimento, por que sabem que o seu Deus é capaz de torná-los escola de aprendizagem. Muitos não percebem que após a tempestade vem a bonança!  E muitos desconhecem que “é pelo fogo que se experimentam o ouro e a prata, e os homens agradáveis a Deus, pelo cadinho da humilhação” (Eclo 2,5). Esquecem que “o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pelo amanhecer” (Sl 30,6). E que os autênticos “filhos de Deus” e verdadeiros cristãos não ficam no sofrimento e sim passam pelo sofrimento! O sofrimento dessa forma não se constitui algo duradouro e sim passageiro assim como a planta é levada pelo vento! Tem hora pra começar e hora pra terminar. Têm os dias contados. Nós, dessa maneira, devemos nos alegrar “por que os nossos nomes estão escritos nos céus” (Lc 10,20) e somos “bem-aventurados quando choramos por que seremos consolados” (Mt 5,4).

    Quando os nossos olhos estiverem fixos em Jesus e quando os nossos corações desejarem, acima de tudo, as coisas do alto, não daremos espaço em nossas vidas para o cultivo das preocupações e tristezas tomarem conta do nosso ser; e sim, louvaremos a Deus todas as vezes quando elas acontecerem, por que a alegria do Senhor é a nossa força e em todas as situações difíceis perceberemos que o louvor sempre estará em nossos lábios mesmo quando tudo, supostamente, vai mal.

Cássio José!

        

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página