Pesquisar neste blog:

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

DESÇA DEPRESSA, ZAQUEL!




Quando queremos nos declarar para alguém por estarmos apaixonados, fazemos loucuras de amor! Tornamo-nos vulneráveis ao mundo da pessoa da qual estamos apaixonados. Desejamos ouvir ao menos o nome da pessoa que já está morando no nosso coração para produzir um conjunto de fatores que nos fazem ter estratégias para conquistá-la. Seja em palavras ou em atos, queremos que a pessoa conheça o que estamos sentindo por ela. Não importamos o que as outras pessoas pensem ou o que dirão de nós, nem as consequências que podem gerar. E não desistimos enquanto não conquistarmos o “Alvo do nosso olhar”. O coração quando está apaixonado sinceramente por alguém, não se engana ao olhar para a pessoa amada e contemplar uma vida de sonhos e felicidades. Deus imprime a sua bênção e prepara o terreno para que cheguemos ao coração dessa pessoa e tenhamos meios para conquistá-la. Daí, ela pode mergulhar sem medo nesse mar de um puro coração apaixonado. Existem nomes que Deus escreve no seu altar que se é confirmado no altar dos desafios e situações de agora e concretizasse no comprometimento do altar das alianças.

Aconteceu com Zaquel: estava apaixonado pelo Filho de Deus, o Salvador do mundo inteiro; e queria vê-lo. Por que queremos ver alguém? Há toda uma variedade de hipóteses. Mas, o que nos leva a ver de fato alguém pode ser a façanha de sentirmos prazer em está perto daquela pessoa ou sintomas de paixão. Zaquel, no caso, queria ver Jesus por que o conhecia apenas de nome e obras. Além do mais, Jesus era famoso pelo que pregava e pelos sinais que realizava. Zaquel não preencheu o vazio de sua alma com a riqueza que possuía e por isso buscava ver Jesus: O seu coração pedia a presença daquele tal Jesus. Ele já estava ansioso e não aguentava mais a vida que tinha. Não suportava a fadiga profissional que refletia a tristeza da alma. Queria ser feliz. Almejava uma vida plena. Ver Jesus podia levá-lo a fazer decisões difíceis e comprometedoras para a vida inteira.

Resolve ir ao encontro marcado pelo desafio apaixonado de seu coração: vai ao local que supostamente Jesus devia passar. Quando está no local marcado, a multidão não o deixa ver Jesus! O que fazer? Seu coração deve ter bradado. Mas, quem está apaixonado não desiste nunca! Ele corre a frente daquela multidão toda. Isso não é loucura de que quem está apaixonado? Então correu na frente, e subiu numa figueira para ver, pois Jesus devia passar por ali. Olhava pra todos os lados e pensava consigo: Cadê esse Jesus? Os que olhavam pra Zaquel pensavam o que mesmo dele? Ele era chefe dos cobradores de impostos. Será que era bem visto pela multidão? Além do mais era de baixa estatura. Olha as dificuldades que teve que enfrentar para ir em busca do Amado de sua alma.

Quando Jesus chegou ao lugar, olhou para cima, e disse: “Desça depressa, Zaquel, por que hoje preciso ficar em sua casa”. Mas, quem foi que disse pra Jesus o nome de Zaquel? Será que Jesus perguntou a alguém? Ou alguns da multidão perguntavam uns aos outros: “Ali não é Zaquel, o chefe dos cobradores de impostos?”

Zaquel descobriu que não era nada. Necessitava do amor de Jesus para ser alguém. Foi visto por toda uma multidão e passou vergonha. Mais lutava para conquistar Jesus. Será que ficou vermelho ou azul? E o seu coração se conteve ou começou a pular de alegria, mesmo que interiormente? O fato é que toda a multidão escutou Jesus mandar Zaquel descer por necessitar ir a sua casa. Jesus disse: “Desça depressa, Zaquel, por que hoje PRECISO ficar em sua casa”. Desde quando Jesus precisa de alguém? Logo de Zaquel um pecador, um furtador? Jesus não disse: “Amanhã eu passo lá!” Ele disse: “depressa”. Qual a pressa de Jesus em ir pra casa de Zaquel?

Meu querido irmão, Jesus tem sede de ser amado por que ele ama primeiro. Zaquel fez todo um esforço para r ao encontro de Jesus. Qual o esforço que você tem que fazer? Qual a figueira que você tem que subir? A frente de que multidão você tem que correr? Não importa os teus pecados ou se você tem uma estatura desproporcional aos padrões que lhe são exigidos. Para Deus não há padrões sociais o físicos. Jesus foi capaz de converter Zaquel por que ele apostou nas suas decisões que brotaram de um coração apaixonado e sincero. Corações assim, não se enganam. Zaquel não precisava subir numa figueira, ter enfrentado aquela multidão, dá a metade dos bens aos pobres ou devolver quatro vezes mais pelo roubo cometido a alguém. O amor de Deus é incondicional! É gratuito! Não leva em conta os nossos pecados e nem necessita saber das obras que fazemos. Não oscilas, por que é eterno e constante; e quando pecamos perdoa as nossas culpas por nos dá mais uma chance ao acreditar em nós! Sabe o quanto Deus nos ama? Basta por a mão no seu coração! A cada batida sentida, é na verdade, a voz de Deus dizendo: “EU TE AMO, EU TE AMO, EU TE AMO...” E em meio ao intervalo entre uma batida e outra, há um imensa saudade desse Deus que nos ama muito. O poder dessa saudade o faz produzir atitudes de um Deus apaixonado por você. Ele não desiste um segundo se quer de cada um de nós! E quem foi que disse que os nossos pecados são impedimentos para barrar o amor de Deus por nós? Jesus já foi até o madeiro derramar sangue sem mancha e sem pecado para nos remir. Hoje somos livres e herdeiros do céu! Ele enxuga as lágrimas que descem dos nossos olhos. O nosso nome está escrito nas palmas de suas mãos. Ele escreve em sua agenda as vitórias pra nossa vida. E do dia marcado, não passa não.



Não desista do amor! Não desista de Deus! Ele te espera. E já está de braços abertos para te acolher.



Cássio José

E-mail.: cassiojoseufc@gmtmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página