Pesquisar neste blog:

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

COMENTÁRIO DO II DOMINGO DO ADVENTO: Queremos ver a salvação de Deus!

Queremos ver a salvação de Deus!O Brasil será a sede das Olimpíadas em 2016. Essa vitória brasileira foi muito destacada na imprensa internacional dando ao mesmo tempo uma grande confiança no nosso País a nível interno e externo. Agora é só esperar aquilo que já está contido numa promessa bem fundamentada: esperamos o que acontecerá. Mas nós esperamos – além disso – algo maior: a segunda vinda de Jesus, a Parusia; trata-se de uma promessa segura, firmíssima… agora, é só esperar.




A palavra “Advento” vem da palavra grega “Parusia” e significa “vinda”. Toda a Igreja pede: Marana tha: vem Senhor Jesus! (1 Cor 16,22). Quando o Senhor voltar “todo homem verá a salvação de Deus” (Lc 3,6). O Senhor vem para salvar-nos, mas essa salvação já é uma realidade no hoje das nossas vidas. O cristão é alguém que continuamente está dizendo: já, mas ainda não! A salvação já aconteceu, mas ainda falta a sua consumação. Já estamos nos últimos tempos desde a Encarnação, mas falta a consumação desses tempos finais que vivemos.



A salvação é uma realidade que chega ao mais profundo do nosso ser. Não se trata somente de sermos guardados dos males externos, mas principalmente de sermos sarados na nossa própria existência, no mais profundo de nós mesmos. Cristo, ao descer à região dos mortos, descia também ao mais profundo da miséria humana para encontrar-se com essa miséria e destruí-la. A miséria maior do ser humano é o pecado, mas Cristo o destruiu.



Esta salvação já aconteceu! Essa salvação acontecerá! Esperemos!



No nosso Brasil estamos realmente acostumados a esperar, tanto é assim que quando vamos a um shopping, a um mercado ou a uma repartição pública e não há fila aquilo nos parece estranho: onde está a fila? – perguntamos. Mas, quando estamos na fila esperando procuramos fazer algo, conversar com alguém. Efetivamente o que mais cansa numa fila é o sentido de estar desocupado que nós experimentamos (além da dor nas pernas!). Parece que estar uma ou duas horas sem fazer nada é desolador: isso não pode ser! – protestamos. Por outro lado, a vida é cada vez mais agitada! Diante da volta do Senhor que se aproxima, devemos ter uma atitude contemplativa.



Atitude contemplativa? Com razão – dirá alguém – acusa-se o cristianismo de alienar as pessoas colocando-as numa espécie de utopia: em lugar de ajudar as pessoas a terem os “pés no chão”, lutando pela sociedade na qual vivem, as enfoca rumo ao futuro. Mas isso não é verdade, pois quem espera algo não significa que não faça nada! Podemos esperar com fé que aquilo que Deus prometeu acontecerá – é questão de fé! – e, ao mesmo tempo, cumprir um encargo dado também por Deus enquanto esperamos: trabalhar pela salvação dos irmãos a todos os níveis, e o primeiro deles é colocar os meios para que sejam libertados do pecado, do demônio, do próprio eu egoísta. Uma proposta: procure levar algum amigo seu ao sacramento da confissão durante esta semana. Tudo isso é ter atitude contemplativa e ver, já agora, a salvação de Deus.



O fundador da logoterapia, Victor Frankl, costumava perguntar aos seus pacientes: “Por que você não se suicida?” E em todo paciente sempre encontrava uma resposta: por que tinha uma esposa, por que amava os seus filhos, por que tinha que cuidar de um parente enfermo etc. E no caso de que nada tenha sentido? Não se desespere, Cristo espera por você no profundo desse seu vazio existencial. Realmente, uma vida sem sentido é um poço profundo e sem fundo. O cristão, ao contrário, encontrou todo o sentido da sua existência. Tem todos os motivos para esperar e para trabalhar com dedicação e com grande competência. Peça ao Senhor: “Vem, Senhor Jesus: dá sentido à minha existência, enche todo o meu ser com o teu amor e faz com que eu me dedique à tua glória e ao bem de todas as pessoas”.



A salvação é uma realidade que chega ao mais profundo do nosso ser e dá sentido a toda a nossa existência. O tempo do Advento é um tempo para que Deus seja realmente Deus nas nossas vidas. Vamos esperar trabalhando. Isso não é falta de fé, é fé em ação.



Pe. Françoá Rodrigues Figueiredo Costa
06/12/2009

http://www.presbiteros.com.br/index.php/comentario-ao-evangelho-dominical-ii-domingo-do-advento/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página