Pesquisar neste blog:

terça-feira, 3 de novembro de 2009

QUEM É ESSE HOMEM QUE ATÉ OS VENTOS E O MAR O OBECECEM?






Essa foi a pergunta que alguns discípulos fizeram quando passaram pela experiência de numa noite no alto mar, a léguas de distância da costa enfrentaram uma tremenda tempestade.
Quando Jesus havia subido com seus discípulos a uma barca, ele pôs-se a dormir na popa, deitado sobre um travesseiro. Lá atrás. Com certeza estava cansado. Afinal de contas o dia de Jesus era sempre muito puxado: logo de manhã ensinava no templo, além de ir pras sinagogas e ensinar as multidões tanto nos desertos ou nos montes de Jerusalém além de muitos outros lugares que o Espírito Santo lhe ordenava; passava as madrugadas conversando com o Pai nos desertos ou nos montes (E é por que era o Filho de Deus, Salvador e Messias, além de Deus, claro!); tanto no pôr-do-sol e no amanhecer curava toda espécie de doença e expulsava muitos demônios; milagres, prodígios e sinais ele os fazia a todo instante; muitas pessoas não o deixavam em paz por reconhecerem ser um grande profeta; em muitas situações do dia-a-dia era posto em prova pelos pela raça da turma do encardido: fariseus, doutores da Lei, herodianos, escribas, saduceus... além de todos o dias preparar os seus apóstolos ministrando ensinamentos de todo jeito e de espécie de toda doutrina... Isso não é nada! Basta ler os quatro Evangelhos para ver como Jesus era recheado de atividades do Reino de Deus. E olhe que ele dava conta de fazer tudo direitinho e deixava tudo nos eixos.
Voltando para dentro do barco. Veio então uma tempestade muito forte: uma grande tormenta, uma grande agitação, tempestade de ventos que traziam água para dentro do barco. O barco era varrido pelas ondas. Os discípulos ficaram desesperados. Medo, falta de controlo de si, reações de desespero, aperreios, medo da morte.
Mas Jesus estava ali dormindo tranquilamente naquela popa...
Eles colocavam a água que entrava no barco pra fora e o vento os restituía pra dentro. Será que Pedro gritou muito? “Bora! Bora! Vamos logo! Estamos morrendo e afogando-nos! Não podemos matar o Mestre! Que Deus não deixe ele se acordar...”
É! Os ventos e o mar faziam o barco subir e descer sobre as ondas, mas Jesus Cristo lá estava dormindo!
Foi quando o desespero chegou ao extremo e sem saber o que fazer, acordaram a Jesus: “Mestre, não te importa que pereçamos? Estamos nos afogando e morrendo! Salva-nos!”
Jesus poderia repreendê-los duramente pela falta de fé. Poxa vida! Aquele que transformou 600 litros de água em vinho estava ali! E aquela multidão de pessoas que se fartou no deserto com apenas 5 pães e 2 peixes. Eram 5 mil homens. Isso sem contar mulheres e crianças e as 12 cestas que sobraram...
Mas pacientemente, Jesus simplesmente disse: ACALMA-TE! SILÊNCIO!
Eita Deus poderoso! Que situação difícil. Mas, os ventos e o mar, ou seja, aquela tempestade ouviu e obedeceu a voz de Jesus. Quem dera que seus filhos fizessem o mesmo!?
Podemos recordar a Criação do mundo e de todas as coisas lá no primeiro livro do Gênesis. Fica antes do Apocalipse. Bem antes viu? Deus apenas disse: “Que haja a luz! E a luz foi feita!” Jesus somente disse: “Silêncio! Acalma-te!” E tudo ficou brando. Calminho, calminho. Ali nem parecia mar pela calmaria.
Assim acontece conosco: ventos fortes, tempestades investindo contra nós, águas querendo nos afogar... Falo das nossas dificuldades, labutas, problemas, impossíveis, situações difíceis, desfios, sofrimentos, decepções, doenças...
Mas o salmista já dizia em sua oração: “O choro pode durar uma noite. Mas a alegria vem pelo amanhecer”, “Aqueles que plantam com lágrimas, colherão com alegria”, “Podem vir mil a minha esquerda e dez mil a minha direita, eu não serei atingido”, “tu não temerás os terrores noturnos”...
De fato, Jesus está no barco das nossas vidas! Disso, nós temos que ter certeza absoluta! E o fato de Jesus está no barco da nossa vida, não significa que não venham tempestades. Não! Claro que virão muitas! Mas, significa que nós não iremos nos afogar diante das tempestades que surgirem! A final de contas, Jesus é o Mestre e Senhor da situação! O próprio profeta Isaías (Is 43,2) nos disse que “ao passarmos pelo fogo não nos queimaremos e quando atravessarmos pelos mares não nos afogaremos”.
Não foi com um cajado que Moisés abriu o mar vermelho e fez todo o povo de Israel passar pelo mar a pé enxuto? Jesus não é o cajado! É, antes, aquele que dá poder ao cajado! Então pra quer temer quando as tempestades chegarem. O cristão verdadeiro passa pela prova dando glória a Deus! Por que sabe que a vitória é certa para aqueles que esperam no Senhor! Deus te abençoe!

Cássio José (cassiouab@hotmail.com)

Um comentário:

Total de visualizações de página