Pesquisar neste blog:

domingo, 1 de novembro de 2009

O QUE A NOVA ERA TRAZ DE “NOVO” ?




Na Nova Era percebemos:
 O culto do homem sacralizando ao si próprio;
 Deus é reduzido à função de promover o desenvolvimento do indivíduo;
 A procura de explorar forças da natureza e procurar comunicar-se com outro mundo para descobrir o destino dos indivíduos.

A Nova Era prega uma MUDANÇA DE PARADIGMA. Analisando a definição do que seria PARADIGMA, segundo o historiador americano Thomas Kuhn, paradigma é “A constelação total de credos, valores, técnicas, etc., partilhados por membros de uma determinada comunidade”. Porém, o Documento nos alerta que a na Nova Era, dá-se uma transformação completa de perspectiva e não tanto um desenvolvimento gradual. Ainda alerta o Documento, que isso é de tal amplitude que não pode coexistir. Ele conclui afirmando que a mudança de paradigma nos campos da religião e espiritualidade, para a Nora Era, seria retornar a um novo modo as novas heresias tradicionais, como por exemplo a discussão e até mesmo reconstrução completa da vida e significado de Jesus Cristo. Diga-se de passagem, que um grande número de religiões e seitas descaracterizaram a pessoa de Jesus tratando-o simplesmente com um ser ou líder histórico comparando-o até mesmo com Buda, Maomé, por exemplo.
O MNE não é mais do que o testemunho de uma revelação cultural, de uma reação complexa às idéias e aos valores dominantes da cultura ocidental, sendo, porém, o seu criticismo idealista paradoxalmente típico exatamente da cultura que lhe oferece.
Dessa maneira, percebemos no MNE um fusão ou sincretismo de muitas variadas expressões religiosas:
 Antigas práticas ocultas egípcias;
 A cabala;
 O primeiro gnosticismo cristão;
 O sofismo;
 A sabedoria dos Druidas;
 O Cristianismo céltico;
 A alquimia medieval;
 O hermentismo renascentista;
 O budismo zen;
 O ioga, etc.

É justamente isso que é pregado como “novo” na Nova Era. Trata-se de um “sincretismo de elementos esotéricos seculares”, ligados uns aos outros pela percepção difusa de que tempos estão maduros para a mudança fundamental dos indivíduos, da sociedade e do mundo.

Cássio José
(Esse texto traz considerações do Documento sobre Nova Era do Vaticano: NOVA ERA-JESUS PORTADOR DE ÁGUA VIVA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página