Pesquisar neste blog:

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE ''HALLOWEEN''






A tentativa de fazer com que o dia 31 de Outubro entre para o nosso calendário como “Dia das Bruxas” está, infelizmente, caminhando a passos largos. Ano após ano, escolas, clubes e outros grupos aproveitam a data para “comemorar” o Halloween utilizando-se de fantasias de bruxas, fantasmas e duendes, com abóboras e mamões transformados em caveiras...

Neste contexto, de um modo geral, surgem duas visões divergentes a este respeito: de um lado, há os que pregam veementemente contra esta comemoração, acusando-a de ser uma festa satânica, e de outro há os que acreditam se tratar de uma celebração inocente, sem nenhum mal. Como cristãos, acreditamos que nossa referência é a Palavra de Deus. Portanto, neste estudo vamos procurar estabelecer alguns princípios bíblicos para a viabilidade ou não das festas de Halloween.

Um pouco de História: A comemoração do Halloween teve início na Irlanda, há mais de 3 mil anos, no chamado Samhain - festival da colheita dos celtas. Os Druidas (magos celtas) acreditavam que nessa noite a janela que separava o mundo dos vivos do mundo dos mortos desaparecia, e as almas dos mortos regressavam numa visita aos lares terrenos. Para manter esses espíritos contentes e afastar os maus espíritos de seus lares os celtas deixavam comida e doces na parte de fora de suas casas, e realizavam rituais com sacrifícios humanos.

Significado espiritual: Em nossos dias, tanto no calendário pagão (movimento neo-pagão), como na bruxaria e no satanismo (adeptos da Igreja Mundial de Satanás), o Halloween é a data mais importante do ano. Rituais para invocação de espíritos, comunicação com os mortos, adivinhações, e até mesmo a adoração e evocação do próprio Satanás são realizados de maneira pródiga neste dia.

Conseqüências: Embora muitos defendam o Halloween como uma festa folclórica da cultura norte-americana, e o comércio incentive a comemoração visando tirar proveito dela, não podemos fechar os olhos para as nefastas conseqüências que esta “comemoração” traz para as pessoas e para a nossa nação. Vamos enumerar algumas:

1) Todos os valores enaltecidos nas festas de Halloween são contrários à boa, agradável e perfeita vontade de Deus para as nossas vidas:

· Morte è “Todos os que me aborrecem amam a morte.” (Provérbios 8,36)

· Bruxaria e Feitiçaria è “Não permitam que se ache alguém entre vocês que queime em sacrifício o seu filho ou a sua filha; que pratique adivinhação, ou se dedique à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria...” (Deuteronômio 18,10)

· Comunicação com os mortos è “Não permitam que se ache alguém entre vocês que faça encantamentos; que seja médium, consulte os espíritos ou consulte os mortos. O Senhor tem repugnância por quem pratica essas coisas” (Deuteronômio 18,11-12)

· Ocultismo è “E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as. Porque o que eles fazem em oculto até dizê-lo é torpe.” (Efésios 5,11-12)

2) Embora muitos participem de tais comemorações de maneira inocente e lúdica, sem o objetivo de adorar a Satanás, indiretamente estarão fazendo isso. Observe as palavras do próprio Jesus Cristo: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro” (Mateus 6,24); "Quem não é por mim é contra mim." (Mateus 12,30).

3) A popularização de figuras como bruxas, feiticeiros, duendes, caveiras e espíritos malignos presentes no Halloween, faz com que, a médio e longo prazo, crianças e adultos, não só aceitem tais figuras e valores, mas as amem! É uma espécie de condicionamento através do qual, as pessoas passam a amar e a admirar os valores satânicos, tão abomináveis diante de Deus. "Aquilo que uma geração tolera, a próxima adota como estilo de vida normal". O contato constante com estes valores afeta nossa sensibilidade de tal maneira que, o que antes parecia feio e errado, nos pareça normal e aceitável. Assim, ao sermos coniventes com esta “festa”, estaremos condenando as próximas gerações a aceitarem como corretos e aprazíveis os componentes do Reino das Trevas: “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!” Isaías 5,20.

CONCLUSÃO:

Embora nem todos tenham consciência disso, uma tremenda guerra espiritual está ocorrendo bem acima de nossas cabeças, e o Halloween é uma das estratégias do Diabo e suas Hostes espirituais para tentar enaltecer e popularizar as obras das trevas. Cabe a cada um de nós demonstrar verdadeiro repúdio a esta maldita celebração importada dos EUA. Como disse Eddy Andrade Pinos, diretor regional da Cultura no Equador há alguns anos atrás: "Nada temos que fazer com bruxas nem abóboras, tampouco enganar as crianças com contos de bruxas"... Também nenhuma escola pode obrigar seus alunos a participarem destas festas, uma vez que ultrapassam o campo cultural e acadêmico, e violam princípios cristãos. Por isso, por amor a Jesus, não tomem parte destas coisas! “Porque outrora vocês eram trevas, mas agora são luz no Senhor; vivam como filhos da luz e aprendam a discernir o que é agradável ao Senhor” (Efesios 5,8.10)

Márcia Rezende

Bacharel em Educação Religiosa e

Ministra de Educação Cristã na 3a.Igreja Batista de Marília

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

SÉIRE NEW AGE: INTRODUÇÃO AO SATANISMO!






SATANISMO APLICADO

Aqui não estamos falando de seitas ocultas e sim abordando os templos onde são evocados o diabo e seus demônios. Esses templos estão espalhados pelo mundo e são sempre lugares onde se cumpre todo um ritual de adoração diante de imagens demoníacas, aonde pessoas vão para evocá-lo, para estar sob o seu domínio, sob sua proteção. Estamos falando de livros, editais de jornais, propagandas, ofertas de serviços, músicas diversas, mas especialmente o rock, sites na internet oferecendo as consagrações e formações. Ele está exposto na mídia, nos filmes, todos mostrando o seu poder e condenando a Igreja como perseguidora do diabo e dizendo que os satanistas têm direito ao culto demoníaco e até entraram em justiça para protestas em favor dele.
Parece inacreditável que o homem moderno seja capaz de fazer pactos com o demônio. Dir-se-ia que ele considera tudo como histórias de épocas de trevas, nas quais a ignorância e o atraso teriam levado alguns à ilusão de terem estabelecido um comércio com seres supostamente superiores aos homens e a procurar deles aquilo que a ciência do tempo não lhes permitia alcançar por outros meios. Do mesmo modo, aliás, como outros se voltam para Deus, para a Virgem Maria, os anjos e os santos do céu.
Mas o homem atual, homem quase já do terceiro milênio, não teria necessidade nem de uma coisa nem outra: bastaria a ciência e a técnica, as quais, somadas ao seu trabalho, já iria garantir os elementos para a completa felicidade nesta terra: máquinas e aparelhos para reproduzirem os esforços; remédios e tratamentos para conservarem a saúde para o trabalho, e a disposição, para o prazer.
Essa concepção materialista contrasta com os fatos que se passam diariamente sob os olhos até do observador menos atento: aí estão as páginas dos jornais e nos noticiários da televisão, as notícias de crimes hediondos, praticados com o fim de conseguir de forças extra-naturais uma vantagem para si próprio, ou para terceiros, ou um mal para algum inimigo.
Na mesma época em que a ciência e a técnica parecem não ter imites para progredir, as manifestações de recurso a forças extra-naturais parecem maiores do que qualquer outra época precedente.
SATANISMO LITERÁRIO- Já no século passado e começo deste o movimento literário teve um filão satanista ou menos demonófilo, no qual se destacaram os poetas franceses Victor Hugo (1802-1885), Paul Valéry (1871-1945) e Charles Bautelaire (1821-1867), o último dos quais chegou a escrever ladainha satânicas. Na Itália, o literário Giosué Carducci (1835-1907), compôs uma Ode a Satã que se tornou muito conhecida. O escritor Joris Karl Huysmans (1848-1907), em seu livro Là-bas descreve um ambiente ocultista-satanista que havia nos círculos literários e artísticos de Paris, inclusive com celebração de Missas Negras.
Em nossos dias, mais do que na literatura (que perdeu muita força de atração), o satanismo é difundido pela música, pelo cinema e pela televisão.
BRUXAS NA TELEVISÃO - O demonólogo alemão Bernhard Wenisch, faz algumas observações e dados sobre bruxaria propagando na televisão:
“É possível observar a onda satânica em toda parte do mundo ocidental. Em muitas cidades alemãs são celebradas Missas Negras. A TV alemã mostrou em 1984 o modo pela qual uma ouvem mulher era consagrada a Satanás como bruxa: era submetida, nua, a uma flagelação ritual. Já aconteceu que nessas cerimônias pessoas fossem sacrificadas ao diabo. Já aconteceu nesses rituais de assassinado, planejado por duais jovens de Dortmun, pode ser impedido pela polícia. Há satanistas que se sentem inspirados pelo demônio para simplesmente eliminar pessoas que julga peridosas”.
Passa em seguida a tratar do fenômeno em outros países do Ocidente:
“Também em outros países o satanismo vem ganhando terreno. Em 1985, a TV francesa não só informou sobre crenças nas bruxas, que continua persistindo entre o povo, mas também apresentou um bruxo que, com a ajuda de forças demoníacas, produzia feitiços. Uma especialista norueguesa em ciência de religião, que participou como observadora de várias Missas Negras na cidade de Bergen, informou que, nessas missas, trata-se principalmente de sexo e homicídio. E que os próprios satanistas estão convencidos de que em suas reuniões estão presentes forças sobrenaturais, das quais têm muito medo. Não assumiam qualquer responsabilidade por seus atos porque já não possuíam controle sobre si mesmos. As Missas Negras terminavam com sexo grupal ritual. Da Suécia há informes sobre roubo de cadáveres e violação de túmulos em conexão com o satanismo. O culto a Satã floresce também na Inglaterra”.

Cássio José!

SÉIRE NEW AGE: COMO SURGIU A NEW AGE?




A Nova Era, segundo o Documento do Vaticano Nova Era- Jesus Portador da água viva, nasceu da busca de qualquer coisa de mais humano e de mais belo em relação à vida oprimente e alienante da sociedade ocidental. Os primeiros símbolos deste “movimento” que penetraram na cultura ocidental foram o famoso festival de Woodstock no Estado de Nova Iorque em 1969 e o musical Hair, que pôs os temas principais da Nova Era na canção “Aquarius”.
É importante recordar o texto desta canção que se exprime rapidamente na mente de uma geração inteira da América do Norte e na Europa Ocidental:
“Quando a Lua está na Sétima Casa e Júpiter em linha com Marte/ Então a paz guia os Planetas e o Amor orienta as Estrelas./ Esta é a alvorada da Era do Aquário.../ Harmonia e compreensão, simpatia e confiança abundam, / Nunca mais falsidade ou “gozo” – uma vida dourada, sonhos e visões, / Revelação mística por cristais e a verdadeira libertação da mente. / Aquário...”
Segundo alguns astrólogos, vivemos na Era dos Peixes, dominado pelo Cristianismo, que será substituída pela Nova Era do Aquário no início do terceiro milênio. A Era do Aquário mantém um lugar importante no movimento Nova Era pela influência da teosofia, do espiritismo, da antroposofia e dos seres precedentes esotéricos.
Para alguns escritores que estudam a Nova Era, esta organização esteve trabalhando clandestinamente por quase 100 anos ou seja, foi só em 1975 que as suas doutrinas começaram a ser reveladas publicamente, já que, segundo eles só a partir de então o mundo estava preparado para o movimento.
A sociedade teosófica tem publicado diversos livros, inclusive, em português e uma revista chamada lúcifer para propagação das suas idéias. Alice Bailey também foi protagonista de importante papel, sendo considerada como sacerdotisa da Nova Era e aquela que estruturou o movimento. Também Marilyn Ferguson, nascida em 1938, é autora de um dos livros mais importantes do movimento Nova Era intitulado “Conspiração Aquariana”. Ali ela defende a tese de que a Nova Era vem sob o signo de aquário. Nos últimos 2009 anos a terra esteve sob o signo de peixes, símbolo este do cristianismo, agora na entrada do novo século passaremos para o signo de aquário e com este terá início a uma Nova Era, quando então o Cristianismo deixará de ter domínio e Jesus não mais será o nosso líder.
O campo para a Nova Era foi preparado pela difusão do relativismo e pela antipatia (diria eu Cristofobia) ou indiferença em relação a fé cristã.
A aceitação geral da teoria evolucionista de Darwin (evolucionismo) juntamente com a aceitação de poderes espirituais ocultos ou forças da natureza, tem constituído colunas para a Nova Era.
Também percebe-se que a revolução tecnológica nas comunicações (sobretudo o computador e a Internet), fez com que se chamasse a atenção das pessoas de todas as idades e de todas as formações (classes), confundindo até mesmo seguidores de Cristo que não têm certeza do que se trata.
A internet é um veículo ambíguo cheio de equívocos em muitíssimos aspectos da religião: Nem tudo o que vem etiquetado de “cristão” ou de “católico” reflete fielmente os ensinamentos da Igreja.
A Nova Era traz traços das heresias surgidas o início do Cristianismo retomando apenas um novo modo de praticar a gnose através das várias realidades nas religiões, doutrinas ou seitas atuais.
Com a Nova Era, o tempo das religiões particulares se acaba chegando traços ou expressões de religiosidade esotérica.
Nessa Nova Era ou Era do Aquário encontram-se:
• Visões de futuro, moderadas, mas generalizadas, que prevêem uma espiritualidade planetária como complemento das locais;
• Entidades econômicas globais mais participativas e democráticas;
• Uma ênfase mais aprofundada na comunicação e na educação;
• Uma aproximação mista à medicina que combine a medicina oficial com a auto-cura;
• Uma compreensão de si mesmo mais andrágona;
• E modos para integrar a ciência, o misticismo,a tecnologia e a ecologia.


Cássio José

SÉRIE NEW AGE: CONTINUAÇÃO

CONSIDERAÇÕES QUANTO AO NOME DO FENÔMENO:

Não é correto afirmar ou atribuir a Nova Era de “Novo Movimento Religioso” ou usar expressões como “culto” e “seita”, uma vez que ela se encontra em vários campos socais:
• Na música;
• No cinema;
• Nos seminários;
• Nos grupos de estudo;
• Nos retiros;
• Nas terapias, dentre muitos outros.

De fato observamos que por ser um movimento e não uma religião, seita ou simples doutrina, a New Age se expande mais até mesmo em áreas que muitas vezes achamos que ela não atingiria.

Cássio José

SÉRIE NEW AGE: DEFINIÇÕES DO MOVIMENTO NOVA ERA - MNE:





A Nova Era trata-se de uma estrutura sincrética (combinação ou mistura de diversos sistemas religiosos) que incorporam muitos elementos diferentes, que permite que as pessoas partilhem interesses ou ligações em graus muito diversos e a vários níveis de empenhamento.
A Nova Era não é um movimento único ou uniforme, mas antes uma rede de malhas largas de praticantes cuja convergência comum consiste em PENSAR GLOBALMENTE, MAS AGIR LOCALMENTE.
A Nova Era é um movimento religioso sincretista inspirado em conceitos panteístas, evolucionistas e humanistas, postulados pelo hinduísmo, budismo, taoísmo, gnosticismo e por dezenas de outros grupos esotéricos; as suas questões abrangem a sociologia, teologia, ciências físicas, medicina, ufologia, parapsicologia e psicologia.
Como os seus adeptos a definem:
“É o começo de um redespertamento espiritual para toda a terra. É uma era que destaca o auto-conhecimento, o auto-descobrimento, o crescimento espiritual e a iluminação. Será uma época em que ultrapassaremos limites”.
“É uma mudança global e individual na percepção, a qual promoverá uma mudança nos pensamentos e nas ações para uma maneira de ser mais cooperativista, em lugar da nossa atual maneira de viver individualista e competitiva”.

Cássio José

Qual a posição Igreja Católica com relação a Nova Era?





ALGUMAS CONSIDERAÇÕES REFERENTE AO DOCUMENTO DO VATICANO SOBRE ESSE MOVIMENTO: “A NOVA ERA - JESUS CRISTO, PORTADOR DA ÀGUA VIVA”

Infelizmente muitas pessoas caíram no erro de afirmarem que essa coisa de Nova Era é loucura de quem não tem o que fazer ou de cristãos que passam o tempo todo lendo a Bíblia ou rezando, por exemplo. Mas desconhecem muitas verdades pregadas ao longo da história da Igreja pelos santos, papas e até mesmo nos inúmeros documentos existentes da Igreja Católica sobre esses assuntos polêmicos. Há até aqueles que estão por aí dizendo que não existe céu ou inferno, não há possessão de demônios (é coisa ultrapassada do século anterior) e que o demônio não existe.
Embora que no nosso meio ainda existam esses conceitos até mesmo entre muitos líderes, coordenadores e pastores da Igreja que estão nas coordenações de movimentos, conselhos de capelas e paroquiais, a Palavra de Deus deixa muito claro que Jesus está preparando um lugar para nós nos céu e quando o tiver preparado voltará para buscar os seus eleitos e onde Ele estiver estaremos também nós, os eleitos de Deus (Jo 14,3-5). O relativismo religioso, o ateísmo disfarçado em supostas teorias religiosas e o relaxamento de muitos cristãos na fé tem contribuído e muito para que os elementos da Nova Era esteja até mesmo nos lugares sagrados da Igreja Católica dentre as suas pastorais e movimentos.
Queremos destacar aqui algumas considerações iniciais que nos deixa o documento do Vaticano ao estudar a Nova Era:
 Segundo o documento, a Nova Era não tem nada de novo. O nome parece ter-se difundido através dos Rosa-cruz, e da Marçonaria, no tempo da Revolução Francesa e da Americana, embora sua variante a que se refere é uma variante contemporânea do esoterismo ocidental;
 A Nova Era é atraente e sedutora sobretudo por que muito do que oferece satisfaz aspirações, muitas vezes não satisfeitas pelas instituições oficiais;
 A eficácia pastoral da Igreja, no terceiro milênio, depende, em grande medida de proclamadores eficazes da mensagem evangélica;
 Pelo fato de um grande número de pessoas misturarem Cristianismo e Nova Era, percebe-se nas igrejas cristãs alguns elementos da Nova Era, tais como: cultura empresarial, “Evangelho da prosperidade” e cultura consumista.


Quando se estuda sobre Nova Era, sistema filosófico e satânico em que se tem o desejo de se implantar o reino de Satanás e sua doutrina através de várias maneiras (desenhos animados, filmes, novelas, marcas, símbolos...), muitos acham que não há fundamentação no Magistério da Igreja. Além de haver um documento do Vaticano em que se estuda esse movimento/fenômeno, percebe-se que há sim a denúncia e preocupação da Igreja Católica em alertar os fiéis: 

Palavras do Santo Padre o Papa João Paulo II aos Bispos norte-americanos em 28/5/93:

"As idéias do movimento `New Age' (Nova Era) conseguem, às vezes, insinuar-se na pregação, na catequese, nas obras e nos retiros, e deste modo influenciam até mesmo católicos praticantes que, talvez, não tenham consciência da incompatibilidade entre aquelas idéias e a fé da Igreja. Na sua visão sincretista e imanente, esses movimentos para-religiosos dão pouca importância à Revelação; pelo contrário, procuram chegar a Deus mediante a inteligência e a experiência, baseadas em elementos provenientes da espiritualidade oriental ou de técnicas psicológicas. Tendem a relativizar a doutrina religiosa, em benefício de uma vaga visão mundial, expressa como sistema de mitos e de símbolos, mediante uma linguagem religiosa. Além disso, apresentam com freqüência um conceito panteísta de Deus, o que é incompatível com a Sagrada Escritura e com a Tradição cristã. Eles substituem a responsabilidade pessoal das próprias ações perante Deus por um sentido de dever em relação ao cosmo, opondo-se, assim, ao verdadeiro conceito de pecado e à necessidade de redenção por meio de Cristo."

Esse ensinamento do Papa foi explicado e comentado pelo Pe. Joãozinho, SCJ, em seu livro "Nova Era e Fé Cristã", Edições Loyola (com Imprimatur). Tudo isso é muito importante porque, como diz o Papa, essas idéias anti-Cristãs têm se infiltrado dentro da Igreja Católica. Especialmente no Brasil, como escreve o Pe. Joãozinho:

"Até mesmo algumas pessoas que já foram ligadas à Igreja Católica têm se apropriado do lucrativo filão de idéias da Nova Era. Uma dessas pessoas é o Pe. Lauro Trevisan, de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Seus livros sempre mostraram tendências New Age. Ultimamente ele tem se tornado mais explícito e ousado [por exemplo, publicando o livro "Aquarius: A Nova Era Chegou"].
Lauro Trevisan adapta-se perfeitamente às três categorias de adeptos da Nova Era: militante, simpatizante e oportunista!
Em janeiro de 1991, Trevisan promoveu o Congresso Internacional do Poder da Mente. O evento foi chamado de "Festinvita". Seu grande lema: "A Nova Era Chegou!" Esse congresso repete-se todos os anos em janeiro, com grande afluência de esotéricos do mundo inteiro. Usando e abusando do título de padre, Lauro Trevisan atrai e confunde muitos cristãos que não estão bastante seguros da doutrina católica. É necessário esclarecer que Lauro Trevisan está totalmente à margem das atividades oficiais da Igreja Católica. Suas publicações não são autorizadas. Já foi advertido diversas vezes, mas preferiu manter-se como bem-sucedido empresário da Nova Era."

Também o Bispo Dom Orlando Brandes, da Diocese de Joinville, em um ensino aos coordenadores de catequese sobre a Nova Era, em 23/11/95, disse que Lauro Trevisan não é cristão, e usa o que é católico para levar os católicos à Nova Era.

Lauro Trevisan e outros falsos profetas, como lobos em pele de cordeiro, divulgam essas doutrinas que o Papa diz ser "incompatíveis com a fé da Igreja". Divulgam, principalmente, a teoria de que nossa mente teria um "poder infinito", ou seja, que nós somos potencialmente onipotentes, todo-poderosos, como Deus. É a antiga tentação da serpente: "Vossos olhos se abrirão e sereis como deuses." (Gn 3,5). 

Tem se levantado contra a doutrina cristã, um grande movimento que visa pregar um novo pensamento, uma nova doutrina. Este movimento de alcance mundial, porém ainda muito sutil, chama-se “nova era”. Mas, também é conhecido por “new age”, nova consciência, nova ordem mundial, era de aquário, conspiração Aquariana, etc. No entanto, apesar do nome, seus pensamentos e doutrinas são antigos, e totalmente contra a fé cristã. Suas doutrinas, por serem copiadas de outras religiões, existem mesmo antes do judaísmo.
A nova era se baseia na crença de que, de tempos em tempos, se ergue na humanidade um cristo, um avatar, um ou mais, ungidos ou iluminados, que guiam os rumos da fé no mundo. Krishina, Buda, Maomé, e Jesus Cristo, teriam sido alguns desses líderes. O desenho “avatar” mostra muito bem essa idéia budista. Agora aguardam a quem chamam de senhor Maytrea ou Saint German, que seria aquele que realizaria a segunda volta de Jesus. Jesus, segundo a nova era, veio pela primeira vez, há 2.000 anos, num período do tempo, chamado pela astrologia de “era de peixes”. No terceiro milênio, o mundo já estaria numa nova época astrológica, uma nova era, chamada de “era de aquário”, na qual, o pensamento religioso assume outra posição. Jesus voltará sim uma segunda vez, mas não para pregar novamente e muito menos para pregar coisas novas e que anda por cima contrariam o que pregou nos evangelhos.
“Antes do advento de cristo, a igreja deve passar por uma provação final que abalar a fé de muitos crentes. A perseguição que acompanha a peregrinação dela na terra” desvendará o “mistério de iniqüidade” sob a forma de uma impostura religiosa que há de trazer aos homens uma solução aparente a seus problemas, à custa da apostasia da verdade. A impostura religiosa suprema é a do anticristo, isto é, a de um pseudo-messianismo em que o homem glorifica a si mesmo em lugar de deus e de seu messias que veio na carne.” (catecismo da igreja católica 675)


Cássio José: Pregador da Renovação Carismática Católica de Camocim.

GRITO DE UMA JOVEM: CADA UM PILOTA SEU PRÓPRIO NAUFRAGIO!




Expomos aqui um texto escrito por Juliane Magalhães, uma estudante que está concluindo o Ensino Médio em Camocim nesse ano de 2009 quando, conversando com um ateu procura fazer uma espécie de evangelização por escrito ou, pelo menos, justificar sua fé na existência de um Deus pessoal, capaz de nos amar e de nos tornar felizes. É importante, pelo fato do crescimento desnorteado do ateísmo, que está contaminando muitos cristãos com ideologias incertas ou duvidosas e acusações ferrôneas contra Jesus Cristo e contra a Sua Igreja. Eis aí as próprias palavras de Juliane Magalhães:

“O homem sempre quis respostas para tudo: Como o homem surgiu, como e quando nós seres humanos fomos formados, se existem vidas em outros planetas, por que amamos, por que temos tantos sentimentos... Questionam até mesmo os princípios bíblicos!
São para esses tipos de perguntas que o homem se dispôs a viver e buscar respostas; talvez até tenha conseguido encontrar explicações para quase tudo, mas não para tudo.
O homem tem um grande dom: o de pensar. E são por causa desses pensamentos que evoluímos ao ponto de acharmos que somos “donos do mundo”, mas precisamente de tudo.
Somos muito inteligentes e buscamos respostas para tudo. Mas será que sabemos realmente de tudo? Alguns responderiam: Somente DEUS é o dono de todo o saber. E outros diriam: mas é claro, o homem é o animal mais inteligente. Tudo ele descobre. Essa segunda resposta é típica dos descrentes, achar que somos “donos da verdade”, que DEUS não existe, que a ciência é a fonte mais segura. Incrível!!! Somos tão inteligentes mas nos deixamos ser chamados de animais!!! Não estou desprezando os animais! Até por que quando morrermos viraremos a mesma coisa: pó. Mas não somos animais. Somos seres humanos. A ciência afirma até que somos mais racionais. Será? Racionais, podemos até ser, e é isso que nos torna diferentes. Mas, animais? Cabe a cada um de nós acreditarmos no que somos. (Nós cristãos acreditamos que de Deus viemos e para Deus voltaremos: Somos seus filhos, imagem e semelhança de seu amor).
Não venho eu discriminar ninguém. Todos nós somos livres. A liberdade, também, é um dom. E nem muito menos desprezar a ciência. Ela é uma prova de que nós somos seres capazes e sábios até de mais, mas que pena que o homem chega ao ponto de querer saber mais do que DEUS.
Voltando a pergunta de início: sabemos realmente de tudo? A primeira resposta é dada pelos que crêem; aqueles que reconhecem que somos seres limitados, que acreditam em um superior: DEUS, aqu’Ele que tudo criou, e criou por amor. Por amos a nós. Se eu existo é por que Ele projetou a minha existência.
Ao longo da história da humanidade, o homem passou a criar e a adorar outros deuses. Acreditavam que raios, ventos, eram manifestações divinas. Passaram a ver tudo como se fossem deuses: deus do vento, deus da fertilidade, deus do sol, enfim (politeísmo), o fato foi que diferentes povos tiveram seus próprios deuses, e cada um julga que o seu deus é verdadeiro. Isso faz com que o ateísmo cresça cada vez mais, pois se cada povo diz que o seu deus é o verdadeiro, então qual na verdade é? Pois é! Só vivendo como verdadeira Igreja para saber. Cabe a cada um respeitar a cultura do próximo. Mas se eu quero saber qual o verdadeiro, eu devo buscá-lo, abrir o coração, buscar conhecimento que o próprio Deus verdadeiro vai mostrando o caminho certo. Aí você reconhecerá que os outros são criações da mente humana. O que não vale é fechar os olhos e achar que DEUS não existe. É fácil pra você negar a existência de quem lhe deu a vida?
Você acha de verdade, que o ser humano veio de uma bactéria? Você acha, de verdade, que o homem passou pela evolução? Cadê a evolução? Por que não acontece mais? Você acha que o mar, os céus, as árvores e os animais, tudo o que existe, tão lindo e perfeito como é, veio mesmo de uma explosão? Então me explique por que os outros planetas (galáxias) não são assim? Pois eles também vieram de explosões, não é mesmo? Como você explica o corpo humano? Tudo é tão perfeito. Coração, pulmões, rins, cérebro, tudo no seu lugar, tudo com uma função: A de trabalhar pela vida. Fala sério!!! Que bactéria foi essa eihn ?! Que se desenvolveu e formou o corpo como é, sem defeitos. Por que entre milhões e milhões de pessoas existentes em todo o mundo ninguém é igual a você? Por que somos mais inteligentes que os animais? Por que será mesmo que amamos? E ainda tem gente que não acredita em DEUS!
Para esses tipos de perguntas você até pode se questionar! Mas os que crêem em Deus não necessitam disso, por que é nEle que encontramos respostas para tudo. A Bíblia é a fonte da verdade. E mesmo que pessoas busquem nela contradições, estão se equivocando, pois nela não há mentiras, nem fábulas, nem contos ou mitos. E é através dela que DEUS fala conosco. Ela nos guia, nos instrui e dar-nos sabedoria para enfrentarmos os desafios que a vida nos proporciona. Tudo na Bíblia se completa, mesmo tendo sida escrita em datas diferentes e por pessoas diferentes. Mas forma todos os autores humanos inspirados pelo próprio DEUS.
Não sei se é do seu conhecimento. Mas houve um período de aproximadamente 50 anos que a crítica racionalista estudou minuciosamente os Evangelhos com o objetivo de desmascarar a existência de Jesus e o fato dele ser Filho de Deus e de ter realizado o que nos Evangelhos estão escrito. Eles pregavam que o que está escrito na Bíblia, e, sobretudo nos Evangelhos foi forjado pela Igreja Católica. Mas na conclusão, ao estudarem durante 50 anos foi justamente o contrário. Eles provaram categoricamente que não foi invenção da Igreja Católica a existência de Jesus Cristo. Eles provaram que tudo era verdade, que a Igreja Católica não mentia. A Bíblia é a verdade que JESUS veio como homem, a fim de que o mundo fosse salvo por Ele. JESUS é o nosso Salvador.
Salvador sim! Fomos salvos de nossos pecados. Pois DEUS nos fez e nos deu tudo que foi criado na terra para cuidarmos e nela vivermos. Porém, o que temos dado a DEUS é a ingratidão. Ao longo dos tempos os homens passaram a adorar outros deuses. A violência cresceu na terra. Traíram ao SENHOR, por isso tudo estaria perdido, pois nos desviamos do que DEUS queria para nós. Mas como Ele é misericordioso, enviou-nos JESUS, através da mais pura entre as mulheres, Maria, para que nos mostrasse o caminho verdadeiro a seguir, DEUS nos ama de verdade! JESUS cumpriu sua missão. Morreu pelos nossos pecados. Podemos então obter a salvação. Mas cabe a cada um buscá-la de coração, acreditar em DEUS e não se julgar “dono da verdade”, pois o que sei é que nada sabemos. A prova disso é o futuro. Você sabe o que vai acontecer? Nem eu! Isso cabe somente ao SENHOR, o melhor Ele é quem nos dá, o céu, o paraíso, onde ao há pecado e nem sofrimento.
Os descrentes sempre dizem: Se DEUS é bom por que há inferno? Não é difícil de responder se todos fôssemos para o céu, tudo continuaria do mesmo jeito. Que é aqui na terra, violências, desigualdades, falta de amor e de fé. No céu não haverá pecados e somente os justos lá habitarão. Já o inferno é simplesmente o lugar que cabem aqueles que só fazem maldades e não aceitam o SENHOR, nosso Salvador: JESUS!
Aqueles que crêem, de verdade, verão a glória de Deus e aqueles que não crêem, do dia certo verão com os próprios olhos o Filho do Altíssimo e estes, se arrependerão por terem sidos cegos e por não terem mais tempo de se arrepender. Por isso, a hora de buscar ao SENHOR é agora, buscá-lo de todo coração e passar a agir na fé. Só assim o poder de DEUS se manifestará em sua vida. Agora não queira que o milagre apareça do nada para você poder passar a acreditar nEle, pois DEUS age à sua maneira e não a maneira humana e somos nós que devemos buscá-lo e amá-lo. Pois amar, Ele já nos ama e disso já nos deu várias provas. Agora você esperar que Ele venha até você em pessoa, isso já é demais. Abra seus olhos, não deixe o orgulho humano tomar conta de você! Ainda há tempo! Não duvide da Palavra de DEUS, que a tempos vem se cumprindo.
Nunca eu vi anjos subindo ou descendo dos céus. Nunca vi a DEUS. Mesmo assim é com grande orgulho que lhe digo que Ele é o absoluto dos meus dias. Eu não vejo anjos, mas sei que eles estão a minha volta levando minhas orações a DEUS, mesmo não O vendo eu O sinto, assim como sinto o vento, nunca presenciei coisas sobrenaturais, mas vi com os próprios olhos o amor de DEUS se manifestar em minha vida e na vida de muitas outras pessoas que o buscam. Isso não quer dizer que sou melhor que você, apenas o busco e você finge não conhecê-lo.
DEUS te ama da mesma maneira e também quer mudar a sua vida, quer te dar a verdadeira felicidade, quer te ver seguindo os caminhos que Ele deixou. Não deixe sua vida passar. Creia! E mesmo se depois disso você continuar a não acreditar, pelo menos não critique quem você não conhece!
Observe uma coisa. Se você não percebeu, passe a perceber agora. Aqueles que não crêem são os que têm mais dúvidas são os que mais se questionam, são infelizes, diferentemente daqueles que crêem, pois DEUS nos dá sabedoria, e não tenho nada a perder vou para debaixo da terra e acabou! Mas se você estiver errado? Já parou para pensar? Você perderá a vida inteira, a vida em abundância que DEUS prometeu aqueles que crêem em seu nome.
Tentei mostrar a você a verdade, não sou mestre, nem freira, nem pastora, não tenho formação alguma. Mas aquEle que me dá inspiração e que me faz viver, fez com que eu tomasse atitude de lhe escrever, pois Ele te ama e não quer ver você sendo confundido como um jogo de quebra-cabeças.
Agora cabe a você fazer sua própria escolha para o bem ou para o mal. Para a vida eterna com JESUS ou para a destruição e condenação. Você decide! Cada um pilota seu próprio naufrágio.”
Pense nas minhas palavras!
“Aquele que segue a JESUS jamais andará nas trevas”

Juliane Magalhães!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

SÉRIE NOVA ERA: MAIS UMA PROFANAÇÃO!




CALENDÁRIO ESPANHOL RETRATA SANTOS COMO TRANSEXUAIS



Associações espanholas de defesa dos direitos dos homossexuais lançaram um calendário com imagens baseadas em conhecidas obras de arte sacra, especialmente aparições da Virgem Maria, mas interpretadas por transexuais. É o chamado Calendário Laico, cada mês está representado por uma livre interpretação de cenas famosas, como a de Nossa Senhora de Fátima diante dos três pastores, mas com a estética gay. (Para ver as imagens, clique no link acima)



O calendário profano já teve uma tiragem de 10 mil exemplares, em Madrid, sendo que 500 cópias foram vendidas na parada do orgulho gay em julho. É uma forma de afrontar a Igreja católica por considerar a prática homossexual como pecado.



A reportagem diz que “as imagens mostram santas em versões drag queen, usando mantos, coroas, colares, braceletes, tendo preservativos coloridos como aplique e até vibradores no alto das coroas”.

Segundo o “Coletivo de Gays, Lésbicas, Transexuais e Bissexuais de Madri” (Cogam), cujo presidente é Miguel Ángel González, o Calendário tem como objetivo reivindicar que os feriados santos sejam substituídos por eventos sociais. Que 25 de dezembro, por exemplo, seja declarado oficialmente o dia da democracia em lugar do Natal.



Citando o Código Penal, o vice-presidente da associação, “Religião e Liberdade’, Raúl Mayoral, alega que a publicação vulnera o artigo que prevê penas de oito a doze meses de prisão para quem ofenda os sentimentos dos membros de uma confissão religiosa.



“Para os representantes da Plataforma Hazte oír (Faz-te ouvir), uma das organizadoras dos protestos nas ruas de Madri contra o aborto que colocou 1,2 milhão de pessoas nas ruas de Madrid dia 17 de outubro, e contra o casamento entre gays, o calendário laico ataca os ícones e valores católicos, mas não surpreende”.



“Estamos fartos de ver estes tipos de agressões. Essa inquisição rosa é constante porque os homossexuais espanhóis aproveitam qualquer oportunidade para soltar qualquer barbaridade em nome da liberdade de expressão”, disse à BBC Brasil Nicolás Susena, coordenador da plataforma.

“Depois de ver cartazes na parada do orgulho gay com fotos do Papa Bento 16 e a frase ‘cuidado com o pastor alemão’ o que vamos esperar desta gente? É revoltante e me dá vergonha de ser espanhol numa sociedade deste nível.”



Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/10/091019_calendario_sacrotrans_aipu.shtml

De Madri para a BBC Brasil

terça-feira, 20 de outubro de 2009

AI DE MIM SE NÃO ANUNCIAR O EVANGELHO!!!


AI DE MIM SE NÃO ANUNCIAR O EVANGELHO!
I Cor 9,16

Diz uma história que o apóstolo Paulo já velho, e muito cansado, estava escrevendo algumas epístolas de encaminhamentos e acompanhamento pastoral das comunidades da qual o Evangelho havia chegado, e comunidades que haviam sido formadas. Estava escrevendo... Porém, muito cansado, abatido, com dores em todo o corpo e uma tosse muito séria. Mas, cheio do Espírito Santo que o levava a escrever aquilo que vinha da parte de Deus, não se dobrava diante do seu sofrimento, sabendo que o que fazia era ministrado pelo Espírito Santo.
Chegaram então ali, dois pregadores, que vinham de uma missão. Vendo seu estado físico e aparentando não ter mais forças, disseram-lhe: -Paulo, você já viajou muito pregando a Palavra de Deus por aí. Por que você não se aqueta! Ele responde: “-Ai!”... Na mesma hora, chega o coordenador do Grupo de Oração local, e percebendo a sua fadiga física e seu semblante cansado, fala os seguintes termos, despedindo-o de pregar como antes: “Quantos discípulos você formou Paulo! Um exército de adoradores. Certamente o Espírito Santo os capacitará para com poder e acompanhamento de milagres, prodígios e sinais, eles converterão a muitos e restaurarão muitas almas para Deus”. Paulo, novamente exclama: “Ai!”... Chega uma irmãzinha do aconselhamento, trazendo-lhe café. Os irmãos se reúnem ao seu redor e começam a fazer um momento de louvor e uma linda oração ao Senhor, direcionada a Paulo. A coordenadora do ministério de cura e libertação, começa:
 Senhor nosso Deus, conhecedor de todas as coisas, tu sabes o quanto esse teu missionário já sofreu por causa do Teu Reino e do teu Filho Jesus, anunciando o Teu Reino e levando muitos pagãos ao conhecimento da Tua Palavra. Percebas agora o quanto esse homem precisa de descanso e do teu refrigério espiritual e até mesmo físico. Dá-lhes do Teu Espírito Santo para que esse teu filho possas contemplar a tua glória com os inúmeros testemunhos que ele ainda verá mesmo estando cansado e sem forças”. Os irmãos, ali presentes, queriam que Paulo descansasse de pregar o Evangelho.
Após essa simples e linda oração, todos eles começaram a se abraçar e a abraçar Paulo, dizendo-lhe palavras de consolo, de sabedoria e de acolhimento e acompanhamento por conta de seu estado sem forças, doentio e cansado.
Um dos irmãos, agora ministro de música, na ora da partilha, disse: -Você lembra Paulo, quando estando a caminho para Damasco o Senhor Jesus te derrubou do cavalo perguntando o porquê você O perseguia. Logo você foi batizado, claro passou por três dias de cegueira, mas assim como Jesus, no terceiro dia você ressuscitou para uma vida nova e poderosamente missionária. Nas sinagogas já começava a pregar que Jesus veio na carne e era o Filho de Deus.
Uma das irmãs, logo com um sorriso nos lábios, lembrou aos irmãos: -E quando ele chegou em Corinto. Os dons eram tremendos. Eu lembro. Eu também era usada por Deus. Era gente orando em línguas, Deus dava o dom de curar todo tipo de enfermidade, muitos repousavam no Espírito, revelações fortes eram permitidas por Deus, o demônio corria aos prantos quando nós começávamos a oração sobre as pessoas que vinham até nós, e todos eles eram instrumentos de Deus. Mas o Espírito Santo, disse através de ti Paulo, lembra? Que o maior Dom era o amor. De nada adiantava aquele revirar dos olhos e sapatiados dançantes, se nós não amássemos o nosso próximo. Na verdade, eles queriam só os dons do Espírito e não amar os irmãos, e como Deus é misericordioso, e muitas almas queria resgatar ali naquele lugar, Ele, claro, não impedia a vinda e o uso dos dons.
E os demais diziam: -Glória a Deus! Logo outro irmão, tomando a palavra disse: -De fato, Paulo você é bem-aventurado. Muitos se converteram por causa de ti. Até os lenços que por tuas mãos eram abençoados em Deus, muitas curas forma realizadas por conta da fé que as pessoas tinham no Senhor.
Paulo olhava atentamente pros irmãos que ali estavam e entendia o que queriam propor...
Atrás, alguém grita: -Eita Deus tremendo! Vem buscar o teu povo, Senhor! Era um neo-convertido.
Um dos líderes da Comunidade de Gálatas, que ali estava, pedindo palavras ao Espírito Santo para convencer Paulo de parar de pregar para descansar no resto dos dias que ainda lhe restam, também falou:
-Realmente Paulo, tuas palavras eram tremendas. Fostes capaz de pregar pra muitas pessoas, desmascarando os falsos profetas que estavam entre nós dizendo que, mesmo que um anjo descido do céu, pregasse outro Evangelho, seria ele anátema. Estas tuas palavras provocou até a conversão de muitos discípulos desses falsos profetas pro caminho do Senhor. Eu lembro que muitos se arrependeram por acreditarem nesses falsos profetas, e aceitarem da parte deles, um outro suposto Evangelho e um tipo de Jesus diferente do que nós pregamos.
Paulo, já chateado com tanta conversa, e com um rosto mal humorado, porém chorando, levantou-se, olhou atentamente para todos, lembrando que Pedro queria impedir Jesus de sua crucificação e morte, meio que gritando, afirmou: “Ai de mim se não anunciar o Evangelho”...

Reflexão: Será que você não está se omitindo em anunciar o Evangelho por achar que já pregou o bastante? 

Cássio José
Email: cassiouab@hotmail.com

sábado, 3 de outubro de 2009

O auxílio dos anjos


A Igreja confessa a sua fé nos anjos da guarda








O Papa Bento XVI disse que: “Eliminaríamos uma parte do Evangelho se deixássemos fora esses seres enviados por Deus, que anunciaram sua presença entre nós e que são um sinal dela”. E pediu a intercessão dos anjos “para que nos sustenham no empenho de seguir Jesus até nos identificarmos com Ele” (Zenit.org, março 2009).

A Bíblia e a Tradição da Igreja mostram amplamente que os anjos têm participação ativa na história da salvação dos homens, nos momentos em que Deus quer.

“Não são eles todos espíritos ao serviço de Deus, enviados a fim de exercerem um ministério a favor daqueles que hão de herdar a salvação?”, pergunta o autor da Carta aos Hebreus, capítulo1, versículo 14.

E nisso crê e isso ensina a Igreja; sabemos que é tarefa desses seres celestes bons a proteção dos homens e a sua salvação. Diz o Salmo: “Mandou aos seus anjos que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te levarão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra” (Sl 90/91,11-12).

O próprio Jesus, falando das crianças e recomendando que não se lhes desse escândalo, faz referência aos “seus anjos” (cf. Mt 18,10). Ele atribui também aos anjos a função de testemunhas no supremo juízo divino sobre a sorte de quem reconheceu ou negou Cristo: “Todo aquele que se declarar por Mim diante dos homens, também o Filho do Homem se declarará por ele diante dos anjos de Deus. Aquele, porém, que Me tiver negado diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus” (Lc 12,8-9; cf. Ap 3,5).

Se os esses seres celestes tomam parte no juízo de Deus, logo, estão interessados pela vida do homem. Isso se pode ver também no discurso escatológico em que Jesus os faz intervir em Sua vinda definitiva no fim da história (cf. Mt 24,31; 25,31-41).

Muitas vezes, a Bíblia fala da ação dos anjos pela defesa do homem e sua salvação: o Anjo de Deus liberta os Apóstolos da prisão (cf. At 5,18-20) e antes de tudo Pedro, que estava ameaçado de morte por parte de Herodes (cf. At 12, 15-10). Guia a atividade deste a respeito do centurião Cornélio, o primeiro pagão convertido (cf. At 10,3-8. 12-13), e a atividade do diácono Filipe no caminho de Jerusalém para Gaza (cf. At 8,26-29).

Foi um anjo que encontrou Agar no deserto (cf. Gn 16); os anjos tiraram Lot de Sodoma; assim como foi um anjo que anunciou a Gedeão que devia salvar o seu povo; um anjo anunciou o nascimento de Sansão (cf. Jz 13); e o anjo Gabriel instruiu a Daniel (cf. 8,16). Este mesmo anjo anunciou o nascimento de São João Batista e a encarnação de Jesus; esses seres enviados por Deus também anunciaram a mensagem aos pastores (cf. Lc 2,9) e a missão mais gloriosa de todas, a de fortalecer o Rei dos Anjos em Sua Agonia no Horto das Oliveiras (cf. Lc 22, 43).

Os anjos estão presentes na história da humanidade desde a criação do mundo (cf. Jó 38,7); são eles que fecham o paraíso terrestre (cf. Gn 3, 24); seguram a mão de Abraão para não imolar Isaac (cf. Gen 22,11); a Lei é comunicada a Moisés e ao povo por ministério deles (cf. At 7,53); são eles que conduzem o povo de Deus (cf. Ex 23, 20-23); eles anunciam nascimentos célebres (cf. Jz 13); indicam vocações importantes (cf. Jz 6, 11-24; cf. Is 6,6); são eles que assistem aos profetas (cf. 1 Rs 19,5).

Da mesma forma que os anjos acompanharam a vida de Jesus, acompanharam também a vida da Igreja, beneficiando-a com a sua ajuda poderosa e misteriosa (cf. At 5, 18-20; 8,26-29; 10,3-8; 12,6-11; 27,23-25). Eles abrem as portas da prisão (cf. At 5, 19); encorajam Paulo (cf. At 27,23 s); levam Filipe ao carro do etíope (cf. At 8,26s), entre outros.

A Igreja confessa a sua fé nos anjos da guarda, venerando-os na liturgia com uma festa própria e recomendando o recurso à sua proteção com uma oração frequente, como na invocação do “Anjo de Deus”. São Basílio Magno, doutor da Igreja, escreveu: “Cada fiel tem ao seu lado um anjo como tutor e pastor, para o levar à vida” (cf. 5. Basilius, Adv. Eunonium, III, 1; cf.Sto. Tomas, Summa Theol. 1, q. II, a.3).

São Jerônimo, doutor da Igreja, afirmou que: "A dignidade de uma alma é tão grande, que cada um tem um anjo guardião desde seu nascimento".

A Igreja honra com culto litúrgico três anjos. O primeiro é Miguel Arcanjo (cf. Dn 10,13-20; Ap 12,7; Jd 9). O seu nome exprime a atitude essencial dos espíritos bons. “Mica-El” significa, de fato: “Quem como Deus?”. O segundo é Gabriel: figura ligada sobretudo ao mistério da encarnação do Filho de Deus (cf. Lc 1,19-26). O seu nome significa: “O meu poder é Deus” ou “poder de Deus”. O terceiro arcanjo chama-se Rafael. “Rafa-El” significa: “Deus cura”; o conhecemos pela história de Tobias (cf. Tb 12,15-20), entre outros.

O famoso Bossuet dizia que: "Os anjos oferecem a Deus as nossas esmolas, recolhem até os nossos desejos, fazem valer também diante de Deus os nossos pensamentos... Sejamos felizes de ter amigos tão prestativos, intercessores tão fiéis, intérpretes tão caridosos".

Os santos todos foram devotos desses seres celestes. Os anjos assistem a Igreja que nasce e os Apóstolos, prepararão o Juízo Final e separarão os bons dos maus. São eles que protegem Jesus na infância (cf. Mt 1, 20; 2, 13.19); são eles que O servem no deserto (cf. Mc 1, 12); e O reconfortam na agonia mortal (cf. Lc 22, 43); eles poderiam salvar o Senhor das mãos dos malfeitores se assim Cristo quisesse (cf. Mt 26, 53).

Toda a vida de Jesus Cristo foi cercada da adoração e do serviço dos anjos. Desde a Encarnação até a Ascensão eles O acompanharam. A Sagrada Escritura diz que quando Deus "introduziu o Primogênito no mundo afirmou: "Adorem-no todos os Anjos de Deus" (cf. Hb 1, 6). Alguns teólogos acham que isso motivou a queda dos anjos maus, por não aceitarem adorar a Deus Encarnado na forma humana.

A Igreja continua a repetir o canto de louvor que eles entoaram quando Jesus nasceu: "Glória a Deus no mais alto dos céus e na terra paz aos homens, objetos da benevolência divina" (cf. Lc 2, 14).

A Bíblia não só os apresenta como nossos guardiães, mas também como nossos intercessores. O anjo Rafael diz: "Ofereci orações ao Senhor por ti" (Tob 12, 12). "A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus" (Ap 8,4).

Santo Ambrósio, doutor da Igreja, declarou: "Devemos rezar aos anjos que nos são dados como guardiães" (De Viduis, IX); (cf. S. Agostinho, Contra Fausto, XX, 21).

A Igreja acredita que, no dia do batismo, cada cristão é confiado a um anjo que o acompanha e o guarda em sua caminhada para Deus, iluminando-o e inspirando-o.

Na Festa do Anjo da Guarda (2 de outubro), a Igreja põe diante dos nossos olhos o texto do Êxodo que diz:

"Assim diz o Senhor: Vou enviar um anjo que vá à tua frente, que te guarde pelo caminho e te conduza ao lugar que te preparei. Respeita-o e ouve a sua voz. Não lhe sejas rebelde, porque não suportará as vossas transgressões e nele está o meu nome. Se ouvires a sua voz e fizeres tudo o que eu disser, serei inimigo dos teus inimigos e adversário dos teus adversários. O meu anjo irá à tua frente e te conduzirá à terra dos amorreus, dos hititas, dos ferezeus, dos cananeus, dos heveus e dos jebuzeus, e eu os exterminareis" (Ex 23,20-23).

Além de tudo isso, a Bíblia frequentemente mostra os poderes dos anjos na natureza, e afirma São Jerônimo que eles manifestam a onipotência de Deus (cf. S. Jerônimo, En Mich., VI, 1, 2; P. L., IV, col. 1206).



Felipe Aquino
felipeaquino@cancaonova.com
Prof. Felipe Aquino, casado, 5 fihos, doutor em Física pela UNESP. É membro do Conselho Diretor da Fundação João Paulo II. Participa de Aprofundamentos no país e no exterior, já escreveu 60 livros e apresenta dois programas semanais na TV Canção Nova: "Escola da Fé" e "Trocando Idéias". Conheça mais em Blog do Professor Felipe
Site do autor: www.cleofas.com.br

É possível ser santo?




“Sou santo!” Quando ouvimos uma declaração dessas nos assustamos ou achamos presunção, orgulho, vaidade. Facilmente retrucamos afirmando: “Santo de pau oco?!”

A santidade nos parece algo tão distante ou quem sabe meio impossível. Por isso nem pensamos em persegui-la para alcançá-la. Embora Jesus nos tenha ordenado: “Sede perfeitos (santos), assim como vosso Pai celeste é perfeito” (Mateus 5, 48).

Podemos mesmo pensar que a santidade seja um chamado e uma possibilidade apenas para algumas pessoas especiais como papas, bispos, fundadores de comunidades e congregações religiosas. Mas não é assim. A santidade é uma possibilidade para todos, de modo especial para os batizados.

No batismo, recebemos o Espírito Santo. Não costumamos dizer “fogo quente”, pois, trata-se de uma redundância, já que só será fogo se for quente; nem “gelo frio”, pelo mesmo motivo. Mas, podemos afirmar que o Espírito que recebemos no Batismo é Santo, pois este tem como função santificar. A função do fogo é aquecer. A do gelo, esfriar. A do Espírito, santificar.

No livro do Êxodo vemos uma bela passagem que nos pode ajudar a entender a santidade: “Moisés notou que sarça estava em chamas, mas não se consumia” (Êxodo 3, 2). Deus disse a esse profeta: “Tira as sandálias dos pés, porque o lugar onde estás é uma terra santa” (Êxodo, 3, 5).

Passemos o Novo Testamento à nossa vida.

a. A chama que queima e não se consome é o Espírito Santo, que recebemos em nosso batismo. Ele é Deus. Está em nós. É uma chama divina que habita em nosso interior e jamais se consome. Quando acendemos um fogo, se não pusermos lenha sempre que necessário, ele apagará. Consumida a lenha, termina o fogo. A chama do fogo do Espírito Santo é esta “sarça” que queima sem parar em nosso interior. Ela é capaz de queimar o tempo todo e não se consumir. Isso ocorre porque se trata de uma chama divina, portanto, não necessita que “se reponha a lenha”.

b. Esta terra é santa. Quem a santifica é a presença da chama ardente, que não se consome. Que permanece acessa. A terra torna-se santa devido à chama que nela está queimando. Aqui nos damos conta de que há verdadeiramente a possibilidade de sermos santos. A santidade é possível não porque sejamos uma terra santa por nós mesmos. Somos e continuamos pecadores, mas em nós arde uma chama, “a chama do amor”, a chama do Espírito Santo. Quem se deixa iluminar, é aquecido por ela. Quem segue este conselho da Palavra de Deus “deixai-vos conduzir pelo Espírito e não satisfareis os apetites da carne” (cf. Gálatas 5,16), crescerá em santidade, tornar-se-á “uma terra santa”.

Santidade é uma obra do Espírito Santo em nós. Assim como o fruto é uma “obra” da árvore; a pintura, do pintor; a escultura, do escultor; a santidade é uma ação do Espírito Santo Paráclito. Esta santidade poderá ser percebida pelos frutos daquela “terra” na qual arde a “sarça” do Espírito: “o fruto do Espírito é caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, brandura, temperança” (cf. Gálatas 5, 22).

c. “Tira as sandálias dos pés”. Posso pisar sobre um fio elétrico e levar um grande choque ou não. Depende do isolante que eu tenha em meu calçado. Deus diz a Moisés: “Tira o 'isolante' dos teus pés”. Tira as sandálias! Pisa na terra! Entra em contado direto com ela. Sente o calor da terra. Deus deu-nos o Espírito Santo. Quis colocá-Lo tão em contato conosco que acabou colocando-O dentro de nós. Somos por Ele habitados para estarmos em contato direto o tempo todo e totalmente com Ele. Onde há isolante, a energia não chega. A cinza que se acumula sobre a brasa não permite que ela aqueça o churrasco. É preciso soprá-la. Jesus “soprou sobre eles dizendo-lhes: recebei o Espírito Santo” (cf. João 20, 22). O calor do Espírito nos aquece. Com esta força podemos progredir na santidade.

Se até hoje buscamos a santidade pelas nossas boas obras, renúncias, sacrifícios, podemos continuar. Mas, vamos acrescentar nessa busca a súplica constante para que o Pai dos Céus, que nos adotou como filhos, continuamente, sopre sobre “as brasas do Espírito” que recebemos no batismo. Que a chama da sarça do Espírito cresça sempre mais nesta terra, templos do Espírito, que somos, como nos diz a Palavra: “Não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis?” (I Coríntios 6,19). Desta forma nos tornaremos cada dia mais santos, porque possuídos, fortificados e guiados pelo Espírito Santo.

Peçamos todos os dias: Sarça ardente do Divino Espírito, que habitas em mim, e que me tornastes santo pelo Batismo, ajuda-me a progredir no caminho da santidade e a produzir os frutos do Espírito. Então não precisarei dizer para ninguém: “sou santo!”. Essa declaração vai se tornar dispensável, pois, “pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abrolhos?” (Mateus 7,16).



Padre Alir Sanagiotto, SCJ

Pe. Alir Sanagiotto Ordenado sacerdote em 19/09/87, é membro da Congregação dos padres do Sagrado Coração de Jesus. Dedica-se de forma preferencial na escuta, no aconselhamento e no trabalho psicoespiritual dos fiéis. blog: http://blog.cancaonova.com/padrealir

Como entender Cristo na Hóstia Consagrada Só Deus pode 'transubstanciar'




Em todo ser há um conjunto de coisas que podem mudar, como o tamanho, a cor, o peso, o sabor, etc., e um substrato permanente que, conservando-se sempre o mesmo, caracteriza o ser, que não muda. Esse substrato é chamado substância, essência ou natureza do ser. Em qualquer pedaço de pão há coisas mutáveis: a cor, tamanho, gosto, o sabor, a posição, sem que a substância que as sustenta mude; esta substância ninguém vê; mas é uma realidade. Assim, há homens de cores diferentes, feições diferentes, etc.; mas todos possuem uma mesma substância: uma alma humana imortal, que se nota pelas suas faculdades, as quais os animais não têm: inteligência, liberdade, vontade, consciência, psique, entre outros.

Quando as palavras da consagração são pronunciadas sobre o pão, a substância deste muda ou se converte totalmente em substância do Corpo humano de Jesus (donde o nome "transubstanciação"), ficando, porém, os acidentes externos (aparências) do pão (gosto, cor, cheiro, sabor, tamanho, etc.); sendo assim, sem mudar de aparência, o pão consagrado já não é pão, mas é substancialmente o Corpo de Cristo. O mesmo se dá com o vinho; ao serem pronunciadas sobre ele as palavras da consagração; sua substância se converte na do Sangue do Senhor, pelo poder da intervenção da Onipotência Divina.

Isso explica como o Corpo de Cristo pode estar simultaneamente presente em diversas hóstias consagradas e em vários lugares ao mesmo tempo. Jesus não está presente na Eucaristia segundo as suas aparências, como o tamanho ou a localização no espaço. Uma vez que os fragmentos de pão se multiplicam com a sua localização própria no espaço; assim onde quer que haja um pedaço de pão consagrado, pode estar de fato o Corpo Eucarístico de Cristo.

Uma comparação: quando você olha para um espelho, aí você vê a imagem do seu rosto inteiro; se quebrá-lo em duas ou mais partes, a sua imagem não se quebrará com o espelho, mas continuará uma imagem inteira em cada pedaço.

É preciso, então, entender que a presença de Cristo Eucarístico pode se multiplicar, sem que o Corpo do Senhor se multiplique. Isso faz com que a presença do Cristo Eucarístico possa multiplicar (sem que o Corpo d'Ele se multiplique) se forem multiplicados os fragmentos de pão consagrados nos mais diversos lugares da Terra. Não há bilocação nem multilocação do Corpo de Cristo.

O Corpo de Cristo, sob os acidentes do pão, não tem extensão nem quantidade próprias; assim não se pode dizer que a tal fragmento da hóstia corresponda tal parte do Corpo de Cristo. Quando o pão consagrado é partido, só se parte a quantidade do pão, não o Corpo de Jesus.

Assim muitas hóstias e muitos fragmentos de hóstia não constituem muitos Cristos – o que seria absurdo – , mas muitas "presenças" de um só e mesmo Cristo. Analogamente a multiplicação dos espelhos não multiplica o objeto original, mas multiplica a presença desse objeto; também a multiplicação dos ouvintes de uma sinfonia não multiplica essa sinfonia, mas apenas a presença desta.

Por essas razões, quando se deteriora o Pão Eucarístico por efeito do tempo, da digestão ou de um outro agente corruptor, o que se estraga são apenas os acidentes do pão: quantidade, cor, figura, entre outros, e nesse caso, o Corpo de Cristo deixa de estar presente sob os Véus Eucarísticos; isso porque Nosso Senhor Jesus Cristo quis que, nas espécies ou nas aparências de pão e vinho, garantir a Sua presença sacramental, e não nas de algum outro corpo.

A fé católica ensina uma conversão total e absoluta da substância do pão na do Corpo de Cristo; o Concílio de Trento rejeitou a doutrina de Lutero, que admitia a “empanação” de Cristo: empanação, segundo a qual permaneceriam a substância do pão e a do vinho junto com a do Corpo e a do Sangue de Cristo; o pão continuaria a ser realmente pão (e não apenas segundo as aparências), o vinho continuaria a ser realmente vinho (e não apenas segundo as aparências), de tal sorte que o Corpo de Cristo estaria como que “revestido” de pão e vinho. Para o Concílio de Trento e, para a fé católica, esse tipo de presença de Cristo na Eucaristia é insuficiente; é preciso dizer que o pão e o vinho, em sua realidade íntima (substância), deixam de ser pão e vinho para se tornarem a realidade mesma do Corpo e do Sangue de Cristo.

Assim como na criação acontece o surgimento de todo o ser, também na Eucaristia há a conversão de todo o ser. Essa “conversão de todo o ser” é “conversão de toda a substância” ou “transubstanciação”.

Assim como só Deus pode criar (tirar um ser do nada), só Deus pode “transubstanciar”; ambas as atividade supõem um poder infinito que só o Senhor tem.

Para entender um pouco melhor o milagre da Transubstanciação podemos dizer ainda o seguinte: No milagre da Multiplicação dos Pães, Jesus mudou apenas a espécie do pão (no caso a quantidade), mas não mudou a sua natureza, continuou sendo pão. Quando Ele fez o milagre das Bodas de Caná, mudou a natureza da água (passou a ser vinho) e mudou também a sua espécie (cor, sabor, etc); no milagre da Transubstanciação, o Senhor muda apenas a natureza do pão e do vinho (passam a ser seu Corpo e Sangue) sem mudar a espécie (cor, sabor,cheiro, tamanho, etc.).

Tudo por amor a nós; Ele, o Rei do universo, se faz pequeno, humilde, indefeso... nas espécies sagradas do pão e do vinho, para ser nosso alimento, companheiro, modelo, exemplo, força, consolação...



Felipe Aquino
felipeaquino@cancaonova.com
Prof. Felipe Aquino, casado, 5 fihos, doutor em Física pela UNESP. É membro do Conselho Diretor da Fundação João Paulo II. Participa de Aprofundamentos no país e no exterior, já escreveu 60 livros e apresenta dois programas semanais na TV Canção Nova: "Escola da Fé" e "Trocando Idéias". Conheça mais em Blog do Professor Felipe
Site do autor: www.cleofas.com.br

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

MADALENA: DA FRUSTAÇÃO AO PACTO COM O DEMÔNIO (SATANISMO E NOVA ERA)






O caso que se segue passou-se na França, na década passada, e é relatada pela Dra. Marie-Dominique Fouqueray, psiquiatra que participou da equipe que auxilia o exorcista diocenano.

OBSERVAÇÃO: Embora sendo um nome fictício, essa história é real. Ela foi extraída do livro: ANJOS E DEMÔNIOS - A LTA CONTRA O PODER DAS TREVAS, pp. 209, 210 e 211. Traremos episódios e estudos desses assuntos paralelos que englobam a temática “SATANISMO E NOVA ERA” (pois várias postagens sobre isso serão abordadas) para mostrar o perigo das seitas satânicas que está diante dos nossos olhos.

ORGANISTA NA PARÓQUIA E... SACERDOTISA DO DIABO!

Um dos primeiros casos que tivemos que enfrentar foi o de uma senhora de 40 anos, casada e mãe de 4 filhos, que trabalhava como educadora especializada. A causa dos seus males devera-se ao fato de que, por mais de 10 anos, freqüentara uma seita satânica. Quando se dirigiu a nós, era a terceira vez que tentava sair daquela seita.

Contrariamente a tudo o que se podia supor, esta senhora era muito próxima a sacerdotes; e foi um deles que a conduziu a nós. De fato, ela levava ma vida dupla: conhecia muitos sacerdotes e todos os domingos tocava o órgão na Missa, embora jamais se aproximasse dos sacramentos; mas, ao mesmo tempo, era grande sacerdotisa de uma seita Wicca, cujo chefe e o próprio Lúcifer. Ela tinha sido iniciada progressivamente, e quem ingressava na seita só podia deixá-la por efeito de uma morte violenta, à qual era destinada: o suicídio. Ela sentia muito medo e queria sair, mas conhecia os riscos que isto comportava.

Quando a encontramos pela primeira vez, apresentava sinais de uma pessoa deprimida, atormentada, emagrecida; dormia mal, mas não tinha antecedentes psiquiátricos. O exorcista, depois de ter examinado a bem o caso decidiu proceder os exorcismos: primeiro de quinze em quinze dias, depois toda a semana.

A seguir a Dra. Fouqueray narra como Madalena se aproximou da seita e nela ingressou.

PACTO COM O DEMÔNIO E BATISMO SATÂNICO

Nada levaria a supor que Madalena chegasse um dia a fazer um PACTO COM O DEMÔNIO e a se tornar SACERDOTISA de uma seita satanista.

Educada em colégios de freiras, casada e mãe de família, sem preocupações financeiras, parecia uma pessoa feliz. No entanto, seu catolicismo era superficial e ela foi-se deixando levar por certo desencanto, aborrecimento com a vida de família e um vazio que não conseguia preencher.

Num jornal mundano ela leu um convite para uma jornada que se tratava de lazer.

Freqüentou esse ambiente, embora percebesse que se tratava de um ambienet muito particular, aumentou cada vez mais o consumo de bebidas alcóolicas e drogas, e os convites para a iniciação numa seita. Mas, ao mesmo tempo, encontrou gente prestimosa, cujas atenções compensavam as carências que sentia em casa. E passou a ser cada vez mais envolvida: renegou o batismo e aceitou um novo “batismo” da seita, no qual lhe foi imposto um novo nome. Recebeu uma marca secreta na coxa e assinou com o seu sangue um pacto com Satanás, depois de ter queimado a sua certidão de batismo cristão.

MISSAS NEGRAS E ESCÁRNIO DA PAIXÃO

Foi iniciada nas MISSAS NEGRAS e em celebrações de triunfo satânico pela morte de Cristo, todas as sextas-feiras ás três horas da tarde. Viu claramente que os nossos ritos e as nossas orações eram transformados, DIABOLIZADOS. A MISSA NEGRA era uma paródia (e macaquice) da EUCARISTIA e, no momento da comunhão, se transformava em orgia. É importante conhecer os diversos pontos do pacto satânico por que, durante os exorcismos, é preciso convidar a própria pessoa a renegá-lo com plena renúncia a Satanás: “Renego-te, demônio X, não quero mais saber de ti e renuncio às práticas que tu me inspirastes.”

OS DOZE PONTOS DO PACTO SATÂNICO

1. Abjurar o batismo.
2. abjurar a fé na Eucaristia.
3. recusar obediência a Deus e dizer sim a Satanás, a Lúcifer, a Belzebu.
4. repudiar Nossa Senhora.
5. renegar os sacramentos.
6. pisotear a cruz.
7. pisotear imagens de Nossa Senhora e dos Santos.
8. jurar fidelidade eterna ao príncipe das trevas; fazer juramento sobre escrituras diabólicas.
9. fazer-se batizar em nome do diabo, escolhendo novos nomes para si.
10. receber na coxa a marca do diabo, como sinal de filiação à seita.
11. escolher um padrinho e uma madrinha na seita.
12. profanar hóstias (não violando o Tabernáculo, mas indo comungar e conservando a partícula sagrada para depois profaná-la na MISSA NEGRA)
OLHAR DE FERA E REPULSA DO CRUCIFIXO

Descobri esses pontos pouco a pouco, no decurso nos exorcismo. A possessa, durante os exorcismos, tinha um olhar de fera e rejeitava com força o crucifixo que mantínhamos diante dela; no final vomitava (às vezes somente água) e sua temperatura chegava até 41 graus e baixava somente com o uso da água de São Sigismungo (conhecida em nossa região por curar febres inexplcáveis).

Madalena (nome fictício) tinha participado de um grande número de Missas Negras.

MADALENA NÃO ERA CRISMADA...

Permito-me sublinhar um fato. Em um caso como esse, não basta unicamente a ação do exorcista: á por duais vezes dois exorcistas tinham falhado, por não terem levado em conta o que dizia a própria mulher, e por terem minimizado as pressões e ameaças dos membros da seita. Na terceira vez Madalena foi liberta graças ao auxílio que a equipe deu a exorcista. Por exemplo, era necessária uma reeducação na fé cristã e manter uma assistência contínua quando a possessa era assaltada por impulsos de suicídio e febres inexplicáveis. Nós não a deixamos nunca sozinha, e nos mantivemos sempre perto dela.

Tudo isto se passou em três anos... Os exorcismos forma suspensos quando Madalena pode conduzir por si mesma a luta espiritual, rezar, confessar-se, comungar; Ou seja, quando pode utilizar os meios ordinários de luta. Acrescento um dado importante: Madalena nunca tinha sido crismada; depois de adequada preparação, ela mesma pediu esse sacramento, que lhe foi ministrado pelo Vigário Geral, na presença do marido, dos filhos e dos membros da equipe que auxiliam o exorcista.


RELATÓRIO TRANSCITO PELO PADRE GABRIELE AMORTH, NUOVI RACONTI DI ESORCISTA, PP. 151- 155

Total de visualizações de página