Pesquisar neste blog:

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

“ÉS PRECIOSO AOS MEUS OLHOS” (Is 43,4)

Todos os dias somos chamados a sermos santos, a sermos perfeitos assim como o Pai, somos chamados a seguir o propósito de Deus. Ele bate incansavelmente em nossas portas e nós muitas vezes o recusamos, adiamos o nosso sim, não percebemos que a vontade do Senhor é de nos dar a verdadeira liberdade, ele nos ama e nós somos os seus escolhidos.

Férias com Deus e não sem Ele

Imagem de Destaque

Mesmo não querendo desenvolver uma teologia de férias ou de descanso, nos propomos a olhar a Palavra de Deus com esse tema em mente. Ao fazer isso, deparamos com alguns fatos que deveriam nos conduzir a uma reflexão pessoal de como encaramos esse período de descanso e como esse tempo é vivido para a glória do Criador.

REFLITA: VIVER PRA MIM É CRISTO!!!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O Papa adverte sobre os perigos da teologia marxista da libertação

VATICANO, 05 Dez. 09 / 11:22 am (ACI).- O Papa Bento XVI advertiu sobre os perigos da teologia marxista da libertação e alentou os fiéis a superarem suas graves conseqüências em meio das comunidades eclesiásticas, como a rebelião e o desacordo, à luz da instrução Libertatis nuntius que cumpre 25 anos de publicação e que foi redigida quando ele era Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé.

Nascimento de Jesus é celebrado nos diferentes ritos católicos

A manjedoura é a mesma. O menino que ali repousa também.

Já as formas de celebrar o mistério da Encarnação, que dividiu épocas na história da humanidade, são as mais distintas possíveis.

Bizantino, Armênio, Antioqueno, Caldeu, Alexandrino e Latino. Através desses seis ritos, católicos mundo afora celebram os sacramentos e vivem sua fé.

"Existe a tendência de associar catolicidade apenas com o rito Latino Romano [predominante no Ocidente]", explica o doutor em Teologia e diretor da Faculdade Dehoniana (Taubaté-SP), padre Marcial Maçaneiro."É preciso uma abertura maior para perceber a beleza e a universalidade da Igreja, em suas diferentes manifestações", complementa.

AMIZADES - Juliane Magalhães!


Quantas pessoas já cruzaram nossos caminhos, quantas pessoas já trocamos pelo menos uma palavra, quantas já nos fizeram chorar, quantas outras já nos fez rir, quantas já permaneceram conosco por muito tempo e quantas outras foram embora deixando apenas a saudade, a lembrança!

NO NATAL ENTRE O VELHO E O NOVO!


Estamos às vésperas de mais um Natal, festa que foi transformada pouco a pouco em mero período para esquentar vendas no comércio e oportunidade para se fazer atos de solidariedade, que não poucas vezes, funcionam como desencargo de consciência frente aos inúmeros omitidos nos últimos onze meses.

O PRESIDENTE DAS TREVAS

Enquanto a população e o Congresso Nacional estão ocupados e distraídos com a estação do Natal e reuniões de família, governo Lula dá um presente para o Brasil.

Em 21 de dezembro de 2009, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou o 3º Programa Nacional de Direitos Humanos, um documento de 121 páginas que faz as seguintes recomendações:

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

PREGAÇÃO EM VÍDEO (PADRE LEO) - QUEBRE A CASCA DO SEU CORACAO.

Convite de Bento XVI aos jovens: estar conectados a Jesus




Durante sua tradicional felicitação de Natal a um grupo da Ação Católica italiana
CIDADE DO VATICANO, domingo 20 de dezembro de 2009 (ZENIT.org).- Se oferecemos nossa disponibilidade a Jesus e abrimos nosso coração a Ele, Ele não deixará de fazer-nos sentir sua presença.
Assim recordou Bento XVI no último sábado, ao receber em audiência uma representação de jovens da Ação Católica Italiana (ACR) para a tradicional felicitação de Natal, na qual expressou sua estima pessoal pelo particular compromisso que a associação está vivendo no tema “Estamos conectados”, para colocar-se em comunicação com Jesus e com os demais.

JOÃO PAULO II MAIS PRÓXIMO DOS ALTARES

Bento XVI aprovou este Sábado o decreto que reconhece as “virtudes heróicas” de Eugénio Pacelli e de Karol Wojtyla – os Papas Pio XII e João Paulo II –  primeiro passo em direcção à beatificação.


Na audiência desta manhã com D. Angelo Amato, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Bento XVI autorizou a publicação de uma série de vinte e um decretos, dez dos quais relativos ao reconhecimento de milagres atribuídos à intercessão de outros tantos Beatos ou Veneráveis; um relativo ao martírio do Servo de Deus, Pe. Jorge Popieluszko, polaco; e finalmente outros dez decretos sobre as virtudes heróicas de dez Servos de Deus, entre os quais Pacelli e Wojtyla.

A ORIGEM DO PRESÉPIO

Os primeiros presépios surgiram no século XVI, na Itália.




Data de 1567 o primeiro presépio feito numa casa particular, a da Duquesa de Amalfi, que tinha 116 figuras para representar o nascimento de Jesus, a adoração dos Reis Magos e muitas outras cenas. Até ao século XVIII eram sobretudo as cortes que tinham presépios, feitos por artistas famosos.

São Nicolau e a lenda do Papai Noel


A generosidade atribuída a São Nicolau granjeou-lhe a reputação de milagreiro e distribuidor de presentes, identificado em vários países com a figura mítica do Papai Noel.

REFLITA A MENSAGEM: EM BUSCA DE UMA MANJEDOURA



O Menino-Deus já nasceu a 2009 anos atrás em Belém, numa manjedoura em meio a um conjunto de situações difíceis que Maria e José, infelizmente, tiveram que suportar. Tudo isso, para mostrar ao mundo que o Rei que nascera, não tinha o seu poderio em meio a estruturas de riqueza e fama e, sim, de humildade e obediência a Deus para os homens. E isso, não tira a sua soberania, uma vez que Jesus é o “Chefe dos reis da terra” (Ap ,15). 

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Padrasto fez magia negra com menino das 50 agulhas

 Menino se recupera bem de cirurgia para retirada de agulhas no tórax

Os médicos retiraram quatro objetos do coração e pulmão do garoto; na próxima semana ele passa por outra intervenção


Radiografia mostra agulhas espalhadas por todo o tórax
Radiografia mostra agulhas espalhadas por todo o tórax

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Luteranos Propõem que Homossexuais Praticantes Sejam Ordenados como Pastores


CHICAGO, 13 de abril de 2005 (LifeSiteNews.com): A Igreja Evangélica Luterana dos EUA (ELCA) elaborou uma resolução recomendando a ordenação de pastores ativamente homossexuais -- contanto que eles vivam seus relacionamentos sexuais com compromisso. Até agora, os homossexuais só podiam ser ordenados para o ministério ativo se se abstivessem de relações sexuais.

MANIFESTO de artistas e intelectuais a favor do projeto de lei de criminalização da homofobia




Um grupo de 72 artistas, constituíram um abaixo-assinado favorável à aprovação do Projeto de Lei da Câmara 122/2006 – Criminalização da Homofobia – que prevê pena de até cinco anos para quem se manifestar contra a prática homossexual. Entre eles estão: 1.Almir França; Adriana Calcanhoto; Betty Faria; Carlos Tufvesson; Claudia Raia; Chico Buarque; Cissa Guimarães; David Brasil; Eder Meneguini; .Eduardo Moscovis; Elke Maravilha; Fernanda Abreu; Giulia Gam; Leila Maria; Jane di Castro; Jean Wyllys; José Maurício Machline; Letícia Sabatella; Patrycia Travassos; Marina Lima; Marieta Severo; Marília Pêra; Marisa Monte; Milton Cunha; Sônia Braga; Vera Holtz; Tuca Andrada; Alba Zaluar (UERJ); Emir Sader; Luís Eduardo Soares; Leda Nagle; Magali Almeida (UERJ); Márcio Tadeu (UERJ); Maria Luiza Helbourn (CLAM-IMS/UERJ); Sérgio Carrara (CLAM - IMS/UERJ); Sílvia Ramos; Águeda Mesquita Monteiro; Alessandro Teixeira Valente; Alex Amaral ; Ana Lúcia A. Antônio ; Andréia Alves de Souza ; Berenice Bento (Diretora da ABEN) ; Clélia Pinto Ramos; Diego Andrade; Eduardo Cardoso; Fernanda Sucupira; Frederico Alves Costa; Gilvânia Santos ; Helio Jaques Rocha Pinto; Heloiza Gama Netto; Isabel Anísia Dias; Joelma Sant´ana Martins; José Carlos Bignardi; Leonora Brunetto; Liamar das Graças Moraes; Lilia Irmeli Arany-Prado; Manuela de Sousa Magalhães; Maria Adela Manevy; Maria Alcina Ramos Freitas ; Mário Jéferson Pinheiro; Mateus Castellucio; Maurício Cana Brasil Souza; Naila Soraya Fonseca dos Reis; Nevair José de Almeida; Renato Gomes Soares; Roberto Jefferson (presidente de PTB); Sabrina Santos Monteiro; Sandra Regina Peralta; Selma Aparecida Campos; Tânia Mara Santini ; Tatiana Lionço;Wladimir Lyra.

www.cleofas.com.br
http://www.cleofas.com.br/virtual/texto.php?doc=ESCOLA&id=esc0117

O Projeto de Lei sobre a homofobia – PL 122/200




Por: Dr. Paulo Fernando Melo da Costa


“O PLC 122/2006, se convertido em lei, conforme compromisso da Presidência da República, acarretará uma convulsão social sem precedentes em nosso país.”

“A prática do homossexualismo não acrescenta direitos a ninguém. Se um homossexual praticante tem algum direito, conserva-o apesar de ser homossexual, e não por ser homossexual. O toxicônomo, o bêbado e a prostituta têm direitos como pessoas, mas não por causa da toxicomania, embriaguez ou prostituição. Mas pelo simples fatos de serem pessoas!!”
 

50 PROVAS DO PRIMADO DE PEDRO E DO PAPADO TIRADAS DO NOVO TESTAMENTO




A doutrina católica sobre o papado é bíblica e decorre do primado de São Pedro entre os Apóstolos. Como todas as doutrinas cristãs, desenvolveu-se ao longo dos séculos mas não se afastou dos seus elementos essenciais, presentes na liderança e nas prerrogativas do Apóstolo São Pedro. Tais prerrogativas foram dadas a São Pedro por Nosso Senhor Jesus Cristo, reconhecidas por seus contemporâneos e aceitas pela Igreja Primitiva. Os dados bíblicos sobre o Primado Petrino são muito fortes e inelutáveis em virtude de seu peso cumulativo. Tal peso fica especialmente claro com o auxílio de comentários bíblicos. A evidência da Sagrada Escritura se segue logo abaixo:

Bento XVI adverte perigo de “panteísmo neopagão” que põe a natureza acima do homem



VATICANO, 15 Dez. 09 / 01:23 pm (ACI).- Em sua mensagem para a 43° Jornada Mundial da Paz que se celebrará o próximo 1º de janeiro de 2010, titulada “Se quiseres cultivar a paz, preserva a criação”, o Papa Bento XVI explicou que “uma correta concepção da relação do homem com o meio ambiente não leva a absolutizar a natureza nem a considerá-la mais importante que a pessoa mesma”.
No texto apresentado esta manhã em conferência de imprensa na Sala Stampa da Santa Sé, o Santo Padre explica que “magistério da Igreja exprime perplexidades acerca de uma concepção do ambiente inspirada no ecocentrismo e no biocentrismo, fá-lo porque tal concepção elimina a diferença ontológica e axiológica entre a pessoa humana e os outros seres vivos. Deste modo, chega-se realmente a eliminar a identidade e a função superior do homem, favorecendo uma visão igualitarista da « dignidade » de todos os seres vivos”.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

A FEMINILIDADE E A SEXUALIDADE


Ser cristã não significa vestir-se de modo desleixado!

Parece-me que os conceitos sobre “feminilidade” e “sensualidade” estão se misturando de tal forma em nossa sociedade, que as pessoas encontram dificuldades para diferenciá-las. Fui pesquisar em primeiro lugar como estão definidos no dicionário Aurélio e encontrei o seguinte:



Feminilidade = s.f. Qualidade, caráter, modo de ser, de viver, de pensar, próprio da mulher.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Eleição de bispa abertamente lésbica divide anglicanismo


O arcebispo da Cantuária se mostra contra este fato

LONDRES, terça-feira, 8 de dezembro de 2009 (ZENIT.org).- O arcebispo da Cantuária, Rowan Williams, advertiu que a eleição de uma bispa abertamente lésbica é um fato que “gera sérias perguntas, não somente sobre a Igreja Episcopal e seu lugar na Comunhão Anglicana”, mas também “para a Comunhão em sua totalidade”.

SOBRE A PEC DO DIVÓRCIO


Deputado MIGUEL MARTINI

5 de dezembro de 2009

CAUSA-NOS estranheza a PEC do divórcio, em tramitação no Senado Federal, que pretende acabar com o prazo e requisito constitucional para que um matrimônio seja desfeito no país.

A Constituição Federal em vigor, no artigo 226, parágrafo 6º, assim se exprime acerca do divórcio: “O casamento civil pode ser dissolvido pelo divórcio, após prévia separação judicial por mais de um ano nos casos expressos em lei, ou comprovada separação de fato por mais de dois anos”.

O ABORTO DOS ANENCÉFALOS



Lamentavelmente, a deputada Emilia Fernandes (PT-RS) disse, na audiência promovida pela Comissão de Legislação Participativa, que o Congresso precisa se posicionar sobre a situação de fetos anencéfalos (cujo cérebro não está completamente formado).
O PL 4403/04, da ex-deputada Jandira Feghali, acaba com a pena da prática de “aborto terapêutico” em caso de anomalia do feto, incluindo a anencefalia.

QUEM GOVERNA E REGE O SEU FUTURO?

A superstição é o desvio do sentimento religioso

Sempre que se aproxima o final do ano, e um novo se aproxima, renovam-se as esperanças e cada um procura começar com o ano novo um tempo novo. Isso é bom e é possível, mas é necessário que isso seja feito por um caminho reto. Não há felicidade e paz se trilharmos um caminho errado, onde não habita a verdade, a justiça e o amor; onde não está Deus.

Infelizmente, muitos buscam nas fantasias e nas superstições o socorro para os seus males, de maneira mágica e vazia. Depois se decepcionam, porque a fantasia se esvai como a fumaça que sobe ao vento.

NATAL E O MISTÉRIO DA IGREJA

A Igreja está em foco … nos jornais, nas revistas, nas conversas informais… Muitos a admiram, apontando o seu esforço de atualização concretizado em medidas para transmitir hoje de maneira nova as eternas verdades do Evangelho… Outros, porém, a criticam, pois nela vêem abusos e deficiências da parte de ministros e de fiéis que mais deveriam primar pela fé e a dignidade. Em conseqüência da sua decepção, muitos fiéis católicos são propensos a abandonar a Igreja, professando um Cristianismo individual, descomprometido de qualquer institucionalização…

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

EIS AÍ A TUA MÃE

Do Livro: "A VIRGEM MARIA - 58 CATEQUESES DO PAPA JOÃO PAULO II"
1. Depois de ter confiado João a Maria com as palavras: "Mulher, eis aí o teu filho!", Jesus, do alto da cruz, dirige-se ao discípulo predileto, dizendo-lhe: "Eis aí a tua Mãe!" (Jo. 19, 26-27). Com esta expressão, Ele revela a Maria o vértice da sua maternidade: enquanto Mãe do Salvador, Ela é a mãe também dos remidos, de todos os membros do Corpo Místico do Filho.
A Virgem acolhe no silêncio a elevação a este máximo grau da sua maternidade de graça, tendo já dado uma resposta de fé com o seu "sim" na Anunciação.
Jesus não só recomenda a João que cuide de Maria com particular amor, mas confia-lhe para que a reconheça como a própria mãe.

LUTERO E MARIA SANTÍSSIMA

 
Martinho Lutero escreveu um belo comentário do Magnificat de Maria SSma., em que repetidamente se refere à "doce Mãe de Deus" e exalta a SSma. Virgem nestes termos:
"Ela nos ensina corno devemos amar e louvar a Deus, com alma despojada e de modo verdadeiramente conveniente, sem procurar nele o nosso interesse. Ora, ama e louva a Deus com o coração simples e como convém a quem o louva simplesmente porque é bom; quem não considera mais que a sua pura bondade e só nela encontra o seu prazer e a sua alegria. Eis um modo elevado, puro e nobre de louvar : é bem próprio de um espírito alto e nobre como o da Virgem. Aqueles que amam com coração impuro e corrompido, aqueles que, de maneira semelhante à dos exploradores, procuram em Deus o seu interesse, não amam e não louvam a sua pura bondade, mas pensam em Si mesmos e só consideram quanto Deus é bom para eles mesmos. A religiosidade verdadeira, portanto, é louvor a Deus incondicionado e desinteressado".

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

POR QUE SOU CATÓLICO?



“Eu te declaro: Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja; e as portas do inferno não prevaleceram contra ela. Eu te darei as chaves do Reino do céu. Tudo o que ligares na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra será desligado no céu. (Mateus 16, 18-19)




Sou católico batizado, e nunca participei de outra religião, nunca me senti vazio, principalmente pelo fato de a igreja católica ser a única capaz de preencher inteiramente os filhos de Deus. Como relata o texto bíblico, a igreja católica não é uma instituição humana, pois ela foi fundada pelo próprio Deus, Jesus. Ele entrega a Pedro a sua autoridade de pastor de rebanho, e lê outorga a missão de apascentar as ovelhas. Porque sou católico? Porque somente essa igreja está ligada a tradição dos apóstolos, através da sucessão apostólica e do primado de Pedro, somente a igreja católica tem seus fundamentos na pedra, que foi escolhida pelo próprio Jesus, pedra essa que tem a missão de apascentar as ovelhas (João 21, 15-17), sendo pastor de todas, assim trazendo a unidade.

COMENTÁRIO DO II DOMINGO DO ADVENTO: Queremos ver a salvação de Deus!

Queremos ver a salvação de Deus!O Brasil será a sede das Olimpíadas em 2016. Essa vitória brasileira foi muito destacada na imprensa internacional dando ao mesmo tempo uma grande confiança no nosso País a nível interno e externo. Agora é só esperar aquilo que já está contido numa promessa bem fundamentada: esperamos o que acontecerá. Mas nós esperamos – além disso – algo maior: a segunda vinda de Jesus, a Parusia; trata-se de uma promessa segura, firmíssima… agora, é só esperar.




A palavra “Advento” vem da palavra grega “Parusia” e significa “vinda”. Toda a Igreja pede: Marana tha: vem Senhor Jesus! (1 Cor 16,22). Quando o Senhor voltar “todo homem verá a salvação de Deus” (Lc 3,6). O Senhor vem para salvar-nos, mas essa salvação já é uma realidade no hoje das nossas vidas. O cristão é alguém que continuamente está dizendo: já, mas ainda não! A salvação já aconteceu, mas ainda falta a sua consumação. Já estamos nos últimos tempos desde a Encarnação, mas falta a consumação desses tempos finais que vivemos.



A salvação é uma realidade que chega ao mais profundo do nosso ser. Não se trata somente de sermos guardados dos males externos, mas principalmente de sermos sarados na nossa própria existência, no mais profundo de nós mesmos. Cristo, ao descer à região dos mortos, descia também ao mais profundo da miséria humana para encontrar-se com essa miséria e destruí-la. A miséria maior do ser humano é o pecado, mas Cristo o destruiu.

Perito pede que mexicanos não acreditem em falsas profecias maias sobre o fim do mundo!

MEXICO D.F., 19 Nov. 09 (ACI) .- O destacado jornalista Carlos Vila Roiz, escreveu um artigo de opinião no qual pede aos mexicanos conhecerem sua história e não acreditar nas supostas "profecias" sobre o fim do mundo que roteiristas de Hollywood atribuem aos maias no filme "2012" mas que em realidade nunca existiram.

No artigo publicado por "Impacto El Diario" e recolhido pelo Sistema de Informação da Arquidiocese do México (SIAME), Vila Roiz recorda que os maias surgiram por volta dos 1500 a.C. e existiram até finais do século XVII.

"Entre eles havia astrônomos, matemáticos, sacerdotes, militares, homens sábios que desenvolveram dois calendários complexos, mas precisos apoiados na conta dos Katunes (períodos de 20 anos). Estes eram o solar ou civil de 365 dias e o Tzolkin, lunar ou ritual de 260. Ambos se conjugavam porque são divisíveis entre cinco", explicou.

Assinalou que "se ambos (calendários) marcam-se em duas engrenagens, dariam voltas e voltas até a eternidade e cada vez que acabasse um ciclo iniciaria outro, obviamente. O mesmo ocorre com o calendário gregoriano, em que levamos pouco mais de dois milênios".

Vila Roiz afirmou que "embora haja diferentes interpretações das equivalências das datas maias com nosso calendário, isto foi aproveitado pelo diretor do filme para inventar que em 2012 será o fim de uma era, e sua fantasia foi adornada com o suicídio de uma comunidade de maias (já mestiços), que estavam desolados porque chegava o tempo no que se cumpririam as 'profecias' maias".

Segundo o jornalista, "tratando-se de novelas e cinema, os roteiristas podem fazer o que quiserem, incluir seres de outros mundos, duendes, bruxas ou o que queiram. O resultado pode ser divertido ou deplorável e ofensivo para alguns como é o caso dos livros de Dan Brown. O que resulta preocupam-se é que as pessoas acreditem neles e que convertam estas fantasias em dogmas supostamente ocultos". "Em pleno século XXI, quando muita gente se separa das religiões históricas sob o influxo do materialismo, o relativismo e a metodologia científica, resulta deplorável que ocupem estes vazios os horóscopos, a leitura do tarô ou do café e o cinema", indicou.

Vila Roiz explicou que "os maias desenharam no Códice Dresde o que dizem outros livros de tradição indígena como o Popol Vuh: A destruição da humanidade a causa do dilúvio universal, evento que se repete quase em todas as culturas, como por exemplo, entre os huicholes de Jalisco e Nayarit. A lenda dos Cinco Sóis e seus equivalentes aponta para o passado e os filósofos e cineastas modernos, a partir disso, podem deduzir que os ciclos da natureza se repetem, mas isso dista muito do fato de que os maias tenham prognosticado para 2012 qualquer tipo de destruição como mostra o filme".

O autor lamenta que "no México, aonde vergonhosamente se lê, se acaso, dois livros ao ano, muita gente acreditava em todas estas mentiras" e por isso pede "à Secretaria de Educação que os alunos leiam Sylvanus G. Morley, um dos 'mayistas' mais destacados de todos os tempos. Por enquanto, o único que a Bíblia afirma sobre o fim do mundo: 'Ninguém sabe o dia nem o hora, só o Pai".

Professor Felipe Aquino
www.cleofas.com.br

OS REIS MAGOS, UMA LIÇÃO DE FÉ

O Filho de Deus nasceu revestido de nossa miséria humana, escondendo-se sob as feições de um menino comum toda a “plenitude de sua divindade” como disse S. Paulo. Assim quase ninguém pôde suspeitar que naquele Menino chamado Jesus se ocultasse Deus. Mas Deus, de sua maneira, quis manifestar a sua glória, dignidade e a divindade.
Houve a primeira manifestação aos pastores pobres de Belém, os primeiros judeus a reconhecerem o seu Deus; eles contemplaram os Anjos cantando o “Glória in excelsis Deo”. Esses pastores, avisados pelos Anjos, naquela mesma noite reconheceram e adoraram o recém-nascido Salvador do Mundo.
Uma segunda manifestação da divindade de Jesus aconteceu quarenta dias após o nascimento, em sua apresentação no Templo. Simeão e Ana manifestaram a sua glória.  Uma terceira vez, ainda mais solene, aconteceu por meio de ilustres personagens, provenientes de longe: é a terceira Epifania (manifestação) de Jesus ao mundo, mas agora aos pagãos.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

pregação em vídeo: Pe. Léo - Que o sol não ponha sobre o ressentimento

CARDEAL AFIRMA QUE HOMOSSEXUAIS NÃO VÃO PRO CÉU!!!

O cardeal mexicano Javier Lozano Barragán causou polêmica, nesta quarta-feira, ao afirmar que homossexuais e transexuais "não vão para o céu". "Transexuais e homossexuais não entrarão no Reino dos Céus", disse o religioso em declarações publicadas no site católico conservador 'Pontifex.roma'. "E não sou eu que digo, mas São Paulo."

Questionado sobre se a opinião também vale para uma pessoa que nasce homossexual, o cardeal disse que "não se nasce homossexual".

"Por várias razões, por razões de educação, por não haver desenvolvido sua própria identidade na adolescência. Talvez não sejam culpados, mas agindo contra a dignidade do corpo, certamente não entrarão no Reino dos Céus", disse.

"Tudo que consiste em ir contra a natureza e contra a dignidade do corpo ofende a Deus."

Diversas organizações de defesa dos homossexuais na Itália criticaram as declarações do religioso mexicano.

Lozano Barragán é presidente do Pontifício Conselho para a Pastoral no Campo da Saúde.

O Vaticano se distanciou dos comentários do cardeal.

OBS: Em que se baseou o Cardeal para dizer isso?

(I Coríntios 6,9-10)

9. Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, NEM OS EFEMINADOS, nem os devassos,
10. nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus.



Imprimir Enviar esta notícia por e-mail

EXCLUSIVO: Ex-Testemunha de Jeová, Agora na Verdadeira Igreja

Você entende o que é o Mistério da Redenção?



O ponto central da fé cristã é a Redenção, realizada por Jesus através de Sua Paixão, Morte e Ressurreição. E o Se­nhor quis perpetuar a celebração da nossa Redenção pela san­ta Missa. “Eis o mistério da fé”, o sacerdote diz após a Consagra­ção, quando então o Calvário vivo se renova sobre o altar, em­bora de maneira incruenta. E o Senhor que continua a salvar os homens de todos os tempos e lugares.  Jesus veio ao mundo, assumindo nossa natureza, para res­gatar-nos da escravidão do pecado, do sofrimento e da morte eterna. Fazendo-se homem, Ele estava em condições de salvar o homem.
Mas, em que consiste essa salvação? Parece-me que esse é um ponto mal esclarecido e pouco ensinado aos fiéis, o que faz com que a maioria, infelizmente, não chegue  a compreender bem o verdadeiro “mistério da fé” e não possa saborear com entusiasmo as riquezas de nossas celebrações litúrgicas, especialmente as do tempo pascal.
A Tradição e o Magistério da Igreja nos asseguram que o homem foi criado por Deus, por amor, para ser plenamente feliz n’Ele (cf. Cat §1). Mas, com o pecado original - pecado de desobe­diência e de soberba - o homem perdeu a vida divina e os dons preter-naturais, principalmente a imortalidade. Com o peca­do, que não estava nos planos de Deus, entraram na vida do homem o sofrimento e a morte. São Paulo disse que: “O salário do pecado é a morte” (Rom 6,23) e que “o pecado entrou no mun­do, e pelo pecado, a morte, assim a morte passou a todos os homens” (Rom 5,12).

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

FORMAÇÃO: Adorar = Venerar?



Atos 5:34 Mas, levantando-se no conselho um certo fariseu, chamado Gamaliel, doutor da lei, venerado por todo o povo, mandou que por um pouco levassem para fora os apóstolos;

(segundo a bíblia João Ferreira de Almeida)





Eis aqui um dos maiores absurdos sem lógica, sem pé nem cabeça. Protestantes aqui fazem uma salada que é um verdadeiro samba do criolo doido…



A MENTIRAOs protestantes dizem:



1. Alguns Conceitos



Depois dessa breve introdução, faz se necessário citar o que um conceituado dicionário, da Língua Portuguesa, diz sobre a ação de adorar.



Adorar (do lat. Adorare.) significa:





V. t. d. 1. Render culto a (divindade). 2. Reverenciar, venerar: … 3. Amar extremamente; idolatrar: … 4. Fam. Gostar muitíssimo de; ter grande predileção a: … 5. Cultuar, reverenciar, venerar: Os antigos egípcios adoravam a vaca por divindade. Int. 6. Prestar culto de adoração. P. 7. Amar extremamente, venerar (a si mesmo). 8. Amar-se mutuamente ao extremo: …

V t. d. 1. Tributar grande respeito a; render culto a; reverenciar: Os pagãos veneravam inúmeros deuses. 2. Tratar com respeito e afeição. 3. Reverenciar, acatar, respeitar: “O hindu, como se sabe, venera a vaca, enquanto o muçulmano lhe come a carne”. (Raul Bopp, Coisas do Oriente, p. 28.) 4. Ter em grande consideração: Homem culto venera as letras e as artes.1ADORAÇÃO/VENERAÇÃO À MARIA

PURGATÓRIO?

Desde os primórdios a Igreja, assistida pelo Espírito Santo (cf. Mt 28,20; Jo 14,15.25; 16,12´13), acredita na purificação das almas após a morte, e chama este estado, não lugar, de Purgatório. Ao nos ensinar sobre esta matéria, diz o nosso Catecismo:



“Aqueles que morrem na graça e na amizade de Deus, mas imperfeitamente purificados, estão certos da sua salvação eterna, todavia sofrem uma purificação após a morte, a fim de obter a santidade necessária para entrar na alegria do céu” (CIC, §1030).



Logo, as almas do Purgatório “estão certas da sua salvação eterna”, e isto lhes dá grande paz e alegria.



Falando sobre isso, disse o Papa João Paulo II:



“Mesmo que a alma tenha de sujeitar-se, naquela passagem para o Céu, à purificação das últimas escórias, mediante o Purgatório, ela já está cheia de luz, de certeza, de alegria, porque sabe que pertence para sempre ao seu Deus.” (Alocução de 03 de julho de 1991; LR n. 27 de 07/7/91).

FORMAÇÃO ADVENTO: AS DUAIS VINDAS DE CRISTO!


Anunciamos a vinda de Cristo: não apenas a primeira, mas também a segunda, muito mais gloriosa. Pois a primeira, revestiu um aspecto de sofrimento, mas a segunda manifestará a coroa da realeza divina.


Aliás, tudo o que concerne a nosso Senhor Jesus Cristo tem quase sempre uma dupla dimensão. Houve um duplo nascimento: primeiro, ele nasceu de Deus, antes dos séculos; depois, nasceu da Virgem , na plenitude dos tempos. Dupla descida: uma discreta, como a chuva sobre a relva; outra, no esplendor, que se realiza no futuro .

Na primeira vinda, ele foi envolto em faixas e reclinando num presépio; na segunda, será revestido num manto de luz. Na primeira, ele suportou a cruz, sem recusar a sua ignomínia; na segunda, virá cheio de glória, cercado de uma multidão de anjos.

Não nos detemos, portanto, somente na primeira vinda, mas esperamos ainda ansiosamente , a segunda. E assim como dissemos na primeira: Bendito o que vem em nome do Senhor (Mt. 19,9), aclamaremos de novo, no momento de sua segunda vinda, quando formos como os anjos ao seu encontro para adora-lo: Bendito o que vem em nome do Senhor.

ADVENTO: EXORTAÇÃO A VIGILÂNCIA!


"Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:

“Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas.

Na terra, as nações ficarão angustiadas, com pavor do barulho do mar e das ondas.

Os homens vão desmaiar de medo, só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as forças do céu serão abaladas.

Então eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória.

Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima.

Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós; pois esse dia cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra.

Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes em pé diante do Filho do Homem”."

(Lucas 21,25-28.34-36)

FORMAÇÃO SEXUALIDADE: HOMOFOBIA!

Tramitam no Congresso e Câmaras Municipais anteprojetos de lei que criminalizam a homofobia. Em questão: a legitimação da união de pessoas do mesmo sexo (casais homoafetivos) equiparada à instituição familiar, com possibilidades de adoções; e a criminalização de atitudes discriminatórias às práticas do homossexualismo assumido no comportamento público e notório. Os militantes demonstram um ardor missionário empunhando a bandeira de luta pelos direitos homoafetivos. São organizados e patrocinados. Provocam fatos de impacto cultural e político-social. Conquistam apoio de parlamentares e gestores públicos. Promovem emblemáticas e carnavalescas paradas gays, atraindo muita gente. E daí? Qual é a posição da Igreja Católica a respeito da matéria polêmica em questão?



1. A Constituição Federal [Cap. VII; Art. 226 § 3º.] segue o direito natural. O Estado oferece proteção à instituição da família reconhecendo o direito da união estável entre um homem e uma mulher. O Art. 226 § 5º declara a igualdade de direitos e deveres exercidos igualmente pelo homem e pela mulher na sociedade conjugal, garantindo a estabilidade familiar. A Lei favorece essa união padrão, consubstanciada no casamento monogâmico.



2. O Código Civil [Livro IV; Art. 1511 e 1514] reza que o casamento estabelece a comunhão plena de vida em base à igualdade de direitos e deveres dos cônjuges, a partir do momento em que ambos manifestam reciprocamente sua vontade livre de estabelecer o vínculo conjugal perante o juiz que os declara casados.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

IMAGEM VERSUS ÍDOLO: A IGREJA CATÓLICA É IDÓLATRA POR TER IMAGENS?

IMAGEM VERSUS ÍDOLO: A IGREJA CATÓLICA É IDÓLATRA POR TER IMAGENS?



INTRODUÇÃO

             Há uma grande confusão na cabeça de muitos católicos quando, abordados por protestantes, eles afirmam que a Igreja Católica é idólatra e que nós já estamos todos no inferno, por conta de termos imagens em nossos templos. Esse tem sido um questionamento e estratégia usados por partes dos protestantes para arrastarem muitos católicos desconhecedores da Palavra de Deus, para suas denominações. Muitos, dessa forma, têm caído no erro, deixando a única Igreja fundada por Jesus Cristo, ao acharem que ela é a besta do Apocalipse, que o Papa é o seu anticristo e que as práticas da Igreja Católica são contrárias ao que está escrito na Bíblia Sagrada. Tudo pura ilusão e engano!!!
Vejamos uma passagem bíblica, muito usada por eles, para a nossa reflexão e estudo:
“Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do há em cima no céu, nem embaixo na terra nem nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto”. (Ex 20,4)
A primeira vista, temos a impressão de que de fato existe alguma coisa de errado em colocar imagens em igrejas e outros lugares. Todavia, quando examinamos as Sagradas Escrituras e também a prática dos primeiros cristãos transmitida até os nossos dias, pelo ensinamento da Igreja, encontramos algo diferente: Deus permitiu em determinados casos o uso de imagens, e nunca a Igreja Católica levou seus fiéis a adorá-las.

domingo, 29 de novembro de 2009

Esquema do Advento


Começa com as vésperas do domingo mais próximo ao 30 de novembro e termina antes das vésperas do Natal. Os domingos deste tempo se chamam 1º, 2º, 3º, e 4º do Advento. Os dias 16 a 24 de dezembro (Novena de Natal) tendem a preparar mais especificamente as festas do Natal.
O tempo do Advento tem uma duração de quatro semanas. Este ano, começa no domingo 01 de dezembro, e se prolonga até a tarde do dia 24 de dezembro, em que começa propriamente o Tempo de Natal. Podemos distinguir dois períodos. No primeiro deles, que se estende desde o primeiro domingo do Advento até o dia 16 de dezembro, aparece com maior relevo o aspecto escatológico e nos é orientado à espera da vinda gloriosa de Cristo. As leituras da Missa convidam a viver a esperança na vinda do Senhor em todos os seus aspectos: sua vinda ao fim dos tempos, sua vinda agora, cada dia, e sua vinda há dois mil anos.
No segundo período, que abarca desde 17 até 24 de dezembro, inclusive, se orienta mais diretamente à preparação do Natal. Somos convidados a viver com mais alegria, porque estamos próximos do cumprimento do que Deus prometera. Os evangelhos destes dias nos preparam diretamente para o nascimento de Jesus. Com a intenção de fazer sensível esta dupla preparação de espera, a liturgia suprime durante o Advento uma série de elementos festivos. Desta forma, na Missa já não rezamos o Glória. Se reduz a música com instrumentos, os enfeites festivos, as vestes são de cor roxa, o decorado da Igreja é mais sóbrio, etc. Todas estas coisas são uma maneira de expressar tangivelmente que, enquanto dura nosso peregrinar, nos falta alo para que nosso gozo seja completo. E quem espera, é porque lhe falta algo. Quando o Senhor se fizer presente no meio do seu povo, haverá chegado a Igreja à sua festa completa, significada pela Solenidade do Natal.
Temos quatro semanas nas quais de domingo a domingo vamos nos preparando para a vinda do Senhor. A primeira das semanas do Advento está centralizada na vinda do Senhor ao final dos tempos. A liturgia nos convida a estar em vela, mantendo uma especial atitude de conversão. A segunda semana nos convida, por meio do Batista a “preparar os caminhos do Senhor”; isso é, a manter uma atitude de permanente conversão. Jesus segue chamando-nos, pois a conversão é um caminho que se percorre durante toda a vida. A terceira semana preanuncia já a alegria messiânica, pois já está cada vez mais próximo o dia da vinda do Senhor. Finalmente, a quarta semana nos fala do advento do Filho de Deus ao mundo. Maria é figura central, e sua espera é modelo e estímulo da nossa espera.
Quanto às leituras das Missas dominicais, as primeiras leituras são tomadas de Isaías e dos demais profetas que anunciam a Reconciliação de Deus e, a vinda do Messías. Nos três primeiros domingos se recolhem as grandes esperanças de Israel e no quarto, as promessas mais diretas do nascimento de Deus. Os salmos responsoriais cantam a salvação de Deus que vem; são orações pedindo sua vinda e sua graça. As segundas leituras são textos de São Paulo ou das demais cartas apostólicas, que exortam a viver em espera da vinda do Senhor.

sábado, 28 de novembro de 2009

O ANÚNCIO MESSIÂNICO PELOS PROFETAS

O advento é o período de preparação para o Natal do Senhor: O nascimento do menino Deus pela encarnação! Período de relembrar, estudar e vivenciar novamente a expectativa da chegada d’Aquele que durante muito tempo foi esperado pelos israelitas. Muitos foram os profetas do Senhor que anunciaram a Vinda do Messias. Os israelitas esperavam expectantemente a chegada desse Messias: aquele que viria para libertá-los.
Observemos o que foi anunciado pelos profetas de Deus, através de suas profecias, a cerca da vinda do Messias. Vejamos apenas algumas passagens bíblicas para tal análise:

“Porei ódio entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirá o calcanhar”. (Gn 3,16)

“Por que um menino nos nasceu, um filho nos foi dado; a soberania repousa sobre seus ombros, e ele se chama: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz. Seu império será grande e a paz sem fim sobre o trono de Davi e em seu reino. Ele o firmará e o manterá pelo direito e pela justiça, desde sempre e para sempre. Eis o que fará o zelo pelo Senhor dos exércitos”. (Is 9, 5-6)

“Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará a luz a um filho, e o chamará ‘Deus conosco’”. (Is 7,14)

“Mas tu, Belém de Éfrata, tão pequena entre os clãs de Judá, é de ti que sairá para mim aquele que é chamado a governar Israel”. (Mq 5,1)

“Naquele dia, sairá um ramo do tronco de Jessé e um rebento brotará das suas raízes. Sobre ele repousará o Espírito do Senhor: espírito de sabedoria e de entendimento,
espírito de conselho e de fortaleza, espírito de conhecimento e de temor do Senhor”. (Is 11,1-2)

Muitas foram as profecias com relação à chegada do Messias. Os profetas do Antigo Testamento pregaram que Iahweh mandaria alguém que traria a salvação trazendo um ‘tempo novo’. Essa era a mensagem principal dos profetas. Assim afirma o Catecismo da Igreja Católica a cerca da expectativa do Messias:

“Eis que vou fazer algo de novo» (Is 43, 19): duas linhas proféticas vão ser traçadas, incidindo uma sobre a expectativa do Messias e outra sobre o anúncio dum Espírito novo, convergindo ambas no pequeno «resto», o povo dos pobres (73), que aguarda na esperança a «consolação de Israel» e «a libertação de Jerusalém» (Lc 2, 25.38)”. (CIC n. 711)

A Liturgia da Igreja contempla durante as quatro semanas antecedentes do Natal, boa parte das profecias anunciadas pelos profetas acerca do Messias. Quanto mais lermos e meditarmos, compreenderemos a Esperança que era pregada pelos profetas: Jesus Cristo!
No NT demonstra toda a programação missionária do Messias, colocada no início da vida pública de Jesus, mostrando que o Messias iria realizar a missão libertadora dos pobres e oprimidos:
“O Espírito do Senhor Deus está sobre Mim, porque o Senhor Me ungiu.
Enviou-Me a anunciar a Boa-Nova aos que sofrem, para curar os desesperados,
para anunciar a libertação aos exilados e a liberdade aos prisioneiros,
para proclamar o ano da graça do Senhor”. (Lc 4,18-19)
O CIC afirma que:

“Quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher e sujeito à Lei, para resgatar os que estavam sujeitos à Lei e nos tornar seus filhos adotivos (Gl 4, 4-5). Esta é a «Boa-Nova de Jesus Cristo, Filho de Deus»(1): Deus visitou o seu povo e cumpriu as promessas feitas a Abraão e à sua descendência fê-lo para além de toda a expectativa: enviou o seu «Filho muito-amado”. (CIC n. 422)

“O anjo anunciou aos pastores o nascimento de Jesus como sendo o do Messias prometido a Israel: «nasceu-vos hoje, na cidade de David, um salvador que é Cristo, Senhor» (Lc 2, 11). Desde a origem, Ele é «Aquele que o Pai consagrou e enviou ao mundo» (Jo 10, 36), concebido como «santo» no seio virginal de Maria (32). José foi convidado por Deus a «levar para sua casa Maria, sua esposa», grávida d'«Aquele que nela foi gerado pelo poder do Espírito Santo» (Mt 1, 20), para que Jesus, «chamado Cristo», nascesse da esposa de José, na descendência messiânica de David (Mt 1, 16)” (CIC n. 437)

Santo Irineu, bispo do século II, explica que Jesus veio na carne para destruir o pecado que nela havia e trazer-nos a salvação:

“Com efeito, Cristo se revestiu de uma ‘carne semelhante à do pecado’ (Rm 8,3) para condenar o pecado e, depois de condená-lo, expulsá-lo da carne... Por esse motivo, o sinal de nossa salvação, o Emanuel nascido da Virgem (Is 7,11.14), foi dado pelo próprio Senhor, pois seria ele quem salvaria os homens, já que não poderia salvar-se por si mesmos ”.

Assim como no AT os profetas de Iahweh anunciaram a primeira vinda do Messias, preparando assim o povo para a manifestação do Messias que é Jesus de Nazaré, que nesses últimos dias possamos, antes que a última trombeta toque, preparar o maior número de pessoas, já que Deus quer que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade (I Tm 2,4), para o Grande Dia da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, que não vira mais com relação ao pecado, mas salvar os que agora o esperam (Hb 92,8).

Cássio José

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

REFLITA NA MENSAGEM: ESSE É MEU DEUS!


Sabia que Deus gosta dos loucos? Não? Então veja se não tenho razão:



- Alguma pessoa normal chegaria em frente ao mar e diria:

ABRE-TE!?



- Alguma pessoa normal olharia para cima e gritaria para o sol:

PARE!?



- Alguma pessoa normal diria para um morto há 3 dias:

LEVANTA-TE E ANDA!?



- Alguma pessoa normal bateria com o cajado numa pedra para tirar água?



- Alguma pessoa normal mandaria o mar e o vento ficarem quietos?



-Alguma pessoa normal ficaria quietinha, sentada dentro de uma

jaula com leões famintos?



- Alguma pessoa normal ficaria rodando em volta de uma cidade

durante 7 dias, cantando, até as muralhas da cidade caírem?



Hum...eu acho que não! Parece brincadeira, mas hoje eu estava pensando sobre isso, e resolvi que também vou ser "louco"!



Sabe o que é isso?



Uma coisa chamada FÉ!



Quando a gente tem FÉ, olha e vê o invisível! E nem se importa com o que os outros vão falar ou pensar. Deus é que precisa ver!

As ameaças contra a família

No Sínodo dos Bispos, em 1980, sobre a família, os Bispos apontaram os pontos mais preocupantes: “a proliferação do divórcio e do recurso a uma nova união por parte dos mesmos fiéis; a aceitação do matrimônio meramente civil, em contradição com a vocação dos batizados “a casarem-se no Senhor” (1 Cor7, 39), a celebração do matrimônio sem uma fé viva, mas por outros motivos; a recusa das normas morais que guiam e promovem o exercício humano e cristão da sexualidade no matrimônio” (FC,7).
Na Carta ás Famílias, escrita em 1994, no Ano da Família, o Papa João Paulo II disse:

“Nos nossos dias, infelizmente, vários programas sustentados por meios muito poderosos parecem apostados na desagregação da família. Às vezes até parece que se procure, de todas as formas possíveis, apresentar como “regulares” e atraentes, conferindo-lhes externas aparências de fascínio, situações que, de fato, são “irregulares”…  Fica obscurecida a consciência moral, aparece deformado o que é verdadeiro, bom e belo, e a liberdade acaba suplantada por uma verdadeira e própria escravidão”(CF, 5).
Mostrando que a mentalidade consumista e antinatalista é uma ameaça à família, o Papa diz:
“…uma civilização, inspirada numa mentalidade consumista e antinatalista, não é uma civilização do amor e nem o poderá ser nunca. (FC 13). Mostrando os riscos que o “amor livre” e o “sexo seguro” representa hoje para a família, o Papa adverte:
“O chamado “sexo seguro”, propagandeado pela civilização técnica, na realidade é, sob o perfil das exigências globais da pessoa, ‘radicalmente não seguro’, e mais, gravemente perigoso.
“Sem dúvida, contrário à civilização do amor é o chamado “amor livre”, tanto mais perigoso por ser habitualmente proposto como fruto de um sentimento “verdadeiro”, quando, efetivamente destrói o amor. Quantas famílias foram levadas à ruína precisamente por causa do “amor livre”! … Mas não se tomam em consideração todas as conseqüências que daí derivam, especialmente, quando além do cônjuge, devem pagá-los os filhos, privados do pai ou da mãe e condenados a serem, de fato, ‘órfãos de pais vivos’ ” (CF, 14).

Quando, em 1994, justo no Ano da Família (pasmem!), o Parlamento Europeu, tristemente, reconheceu a validade jurídica dos matrimônios entre homossexuais, até admitindo a adoção de crianças por eles, o Papa João Paulo II, reagiu de maneira forte e  imediata:
“Não é moralmente admissível a aprovação jurídica da prática homossexual. Ser compreensivos para com quem peca, e para com quem não é capaz de libertar-se desta tendência, não significa abdicar das exigências da norma moral…Não há dúvida de que estamos diante de uma grande e terrível tentação” (20/02/94).
O pior problema, hoje, das famílias desestruturadas, não é de ordem financeira, mas moral. Quando os pais têm caráter, fé, ou como o povo diz, “tem vergonha na cara”, por mais pobre que seja, será capaz de impedir a destruição do seu lar. São inúmeros os casais  pobres, mas que com uma vida honesta, de trabalho e honradez, educaram muitos filhos e formaram bons cristãos e honestos cidadãos.

Não consigo aceitar a desculpa de um pai que afirma que a sua família se destruiu por causa da sua pobreza. Sempre haverá alguém com o coração aberto para ajudar a um pai trabalhador, especialmente quando este tem filhos para criar.

Na Exortação Apostólica Familiaris Consórtio (Sobre a Família), o Papa João Paulo II apontou os graves perigos que ameaçam hoje a família: “Não faltam sinais de degradação preocupante de alguns valores fundamentais: uma errada concepção teórica e prática da independência dos cônjuges entre si; as graves ambiguidades acerca da relação de autoridade entre pais e filhos … o número crescente dos divórcios; a praga do aborto; o recurso cada vez mais freqüente à esterilização; a instauração de uma verdadeira e própria mentalidade contraceptiva” (FC, 6).

A Declaração do Rio de Janeiro sobre a Família,  que traz as conclusões do Congresso Teológico-Pastoral, realizado de 1 a 3 de outubro, denunciou:  ” A família está sob a mira de ataque em muitas nações. Uma ideologia anti-família tem sido promovida por organizações e indivíduos que, muitas vezes, não obedecem princípios democráticos” (1.1).

“Temos testemunhado uma guerra contra a família, em nível tanto nacional quanto internacional. Nesta década, em Conferências das Nações Unidas, têm sido vistas tentativas para “desconstruir” a família, de forma que o sentido de “casamento”, “família” e “maternidade” é agora contestado. Tem sido estabelecida uma falsa posição entre os direitos da família e os de seus membros individuais. Sob o nome de liberdade, têm sido promovidos “direitos sexuais” espúrios e “direitos de reprodução”. Entretanto, estes direitos estão, de fato, principalmente, a serviço do controle populacional. São inspiradas em teorias científicas em descrédito, num feminismo ultrapassado e numa mal direcionada preocupação com o meio ambiente” (1.2).
“Uma linha social-materialista, ao lado do egoísmo e da responsabilidade, contribui para a dissolução da família, deixando uma multidão de vítimas indefesas. A família está sofrendo com a desvalorização do casamento através do divórcio, da deserção e da coabitação… Tanto a violência contra as mulheres aumenta, como a violência do aborto; o infanticídio e a eutanásia calam fundo no coração da família. Na verdade, as famílias de hoje estão ameaçadas por uma sub-reptícia cultura da morte” (1.4).
“A dissolução da família é uma das maiores causas da pobreza em muitas sociedades…”(1.5). “A família é o “santuário da vida”. Seu compromisso com a proteção e a nutrição da vida, desde o momento da concepção, é preenchido verdadeiramente através da paternidade responsável” (3.3).
Estas alertas do Papa e do Congresso Teológico são seríssimos, e devem colocar cada cristão em prontidão para uma verdadeira cruzada em defesa da família, ameaçada até pela ONU!

Prof. Felipe Aquino
www.cleofas.com.br

A Igreja proibiu a leitura da Bíblia?

A Igreja sempre estimou a Sagrada Escritura, juntamente com a Tradição apostólica, como fonte de fé. A leitura pública da Bíblia sempre foi usada na celebração dos Sacramentos; e, de modo especial na Eucaristia.
Aconteceu, porém, que algumas circunstâncias da história levaram algumas vezes as autoridades eclesiásticas a vigiar sobre o uso da Bíblia, especialmente na Idade Média.
A heresia dos Cátaros ou Albigenses, que, abusavam da Bíblia, obrigou os Padres dos concílios regionais de Tolosa (1229) e Tarragona (1234) a proibir provisoriamente aos cristãos leigos a leitura da Bíblia, para não serem enganados.
Por causa dos erros de J. Wicleff, o sínodo regional de Oxford (1408) proibiu as edições da S. Escritura que não tivessem aprovação eclesiástica porque os hereges deturpavam o texto sagrado.
Fica claro que a Igreja não proibiu a leitura da Bíblia, mas a leitura de edições deturpadas da Bíblia, como faz ainda hoje. Estas medidas não visavam impedir a propagação da Bíblia. Por exemplo, na Alemanha, o primeiro livro impresso por Gutenberg foi a Bíblia em dois volumes (1453-1456). Até 1477 saíram cinco edições da Escritura em alemão; de 1477 a 1522, houve nove edições novas (sete em Augsburgo, uma em Nürenberg e uma em Estrasburgo); de 1470 a 1520 apareceram cem edições de “Plenários”, isto é, livros que continham as epístolas e os evangelhos de cada domingo. Isto bem mostra como a Igreja estava longe de querer, em circunstâncias normais da vida cristã, restringir o estudo da Bíblia.
No séc. XVI, quando Lutero e os seus discípulos, fizeram da Escritura a “única fonte de fé”, donde tiravam suas inovações doutrinárias, os pastores da Igreja foram obrigados a tomar medidas necessárias para que o povo católico não fosse enganado pelas novas edições da bíblia protestante. Por exemplo, Lutero quando  traduziu a Bíblia para o alemão, acrescentou várias palavras que não se encontravam no original grego, como, p.ex., em Rm 3,28, onde ele diz que o “homem é justificado somente pela fé”: a palavra somente não se encontra no original grego. Esta palavra foi acrescentada para fundamentar a sua causa… Mas altera a Palavra de Deus.
Isto obrigou a Igreja católica a restringir o uso das versões bíblicas não autorizadas.  Por isso, o Papa Pio IV, em 24 de março de 1564, na bula “Dominici gregis” (regra 4ª), determinou que o uso de traduções vernáculas da Sagrada Escritura ficava reservado aos fiéis que, a juízo do respectivo bispo ou de algum oficial com proveito, para a sua fé e piedade. Em Portugal, os reis católicos, fieis a Igreja, já haviam antecipadamente tomado essas  medidas.
As restrições eram apenas para as traduções vernáculas, ficando o texto latino da Vulgata de uso livre para todos os fiéis. Não há dúvida, no séc. XVI, período de confusão religiosa e de inovações protestantes, mais ou menos subjetivas, a leitura da Bíblia podia constituir perigo para os fiéis não preparados.
Após esta fase os Papas voltaram a estimular a leitura da Bíblia. Pio VI (1775-1799) escreveu ao arcebispo A. Martini, editor de uma tradução italiana do texto bíblico, numa época em que os católicos ainda hesitavam sobre a oportunidade de tal obra:
“Vossa Excelência procede muito bem recomendado vivamente aos fiéis à leitura dos Livros Sagrados, pois são fontes particularmente ricas, às quais cada um deve ter acesso”.
S. Pio X (1903-1914) em carta ao cardeal Cassetta declarava:
“Nós, que tudo queremos instaurar em Cristo, desejamos com o máximo ardor que nossos filhos tomem o costume de ler os Evangelhos, não dizemos freqüentemente, mas todos os dias, pois é principalmente por este livro que se aprende como tudo pode e deve ser instaurado no Cristo… O desejo universalmente esparso de ler o Evangelho, provocado por vosso zelo, deve ser secundado por Vós, na medida em que se aumentar o número dos respectivos exemplares. E Oxalá jamais sejam propalados sem sucesso! Tudo isso será útil para dissipar a opinião de que a Igreja se opõe à leitura da Escritura Sagrada em língua vernácula ou lhe suscita alguma dificuldade” (Revista PR, Nº 11, Ano 1958, Página 452).
Os Pontífices subseqüentes, principalmente Bento XV e Pio XII, muito incentivaram o estudo científico da Bíblia como o uso da mesma na vida de piedade.


www.cleofas.com.br - blog. prof. Felipe Aquino 

Show da Adriana: Glória e majestade! confira!!!!!!

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

COMO CONHECER UMA ESPOSA

Eis os trechos principais de uma homilia de São João Crisóstomo intitulada “Como escolher uma esposa”, publicada na seleção On Marriage & Family Life (pág. 89-114). A tradução para o inglês é de Catherine P. Roth e David Anderson e a editora é a St. Vladimir´s Seminary Press (Crestwood, Nova York, 2003).

Fonte: http://theintellectuallife.blogspot.com/2008/05/como-escolher-uma-esposa.html

1) Portanto, quando fordes escolher uma esposa, não examineis somente as leis do Estado, mas, antes, examineis as leis da Igreja. Deus não vos julgará no último dia segundo as leis do Estado, mas segundo Suas leis.


2) Não é mesmo uma tolice? Quando estamos sob ameaça de perder dinheiro, tomamos todos os cuidados possíveis, mas quando nossa alma está sob risco de ser eternamente punida, nem ao menos prestamos atenção.

3) Tu sabes que tem duas escolhas. Se tu escolheres uma má esposa, terás de enfrentar aborrecimentos. Se não aceitares enfrentá-los, serás culpado de adultério por divorciar-te dela. Se tivesses investigado as leis do Senhor e as conhecesse bem antes de te casares, terias tomado muito cuidado e escolhido uma esposa decente e compatível com teu caráter desde o início . Se tivesses te casado com uma esposa assim, terias ganhado não apenas o benefício de não te divorciares dela como o benefício de amá-la intensamente, conforme Paulo ordenou. Pois quando ele diz Maridos, amem vossas esposas, ele não pára por aí, mas fornece a medida deste amor, como Cristo amou a Igreja.

4) Vejamos, porém, se a beleza e a virtude da alma da noiva atraiu o Noivo. Não, ela não era atraente nem pura, conforme estas palavras de Paulo: Ele se entregou por ela para a santificar, purificando-a com a lavagem da água (Efésios 5:25-26). [...] Apesar disso, Ele não abominou sua feiúra, mas neutralizou sua repulsividade, remoldando-a, reformando-a e remitindo seus pecados. Tu deves imitá-Lo. Mesmo que tua esposa peque contra ti mais vezes do que podes contar, tu deves perdoá-la em tudo.

5) Quando surge uma infecção em nossos corpos, não cortamos o membro fora, mas tentamos curar a doença. Devemos fazer o mesmo com uma esposa.

6) Mesmo que ela não apresente melhoras em função de nossos ensinamentos, assim mesmo receberemos uma grande recompensa de Deus pela nossa paciência e por termos mostrado tanto auto-domínio em temor a Ele. Nós conseguimos suportar as maldades dela com nobreza, sem cortar o membro fora. Pois uma esposa é como se fosse um membro nosso, e por causa disso devemos amá-la. É precisamente isto que ensina Paulo: Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos…Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Cristo à Igreja; porque somos membros do Seu corpo, da Sua carne, e dos Seus ossos (Efésios 5:28-30).

7) Devemos amar nossa esposa também porque Deus estabeleceu uma lei a esse respeito quando disse: Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne (Gênesis 2:24; Efésios 5:31).

8) Assim como o noivo deixa a casa de seu pai e junta-se à noiva, assim também Cristo deixou o trono de Seu Pai e juntou-se à Sua noiva.

9) De maneira geral, a vida é composta de duas esferas de atividade: a pública e a privada. Quando Deus a diviviu assim, Ele designou a administração da vida doméstica à mulher, mas ao homem designou todas as tarefas relativas à cidade, às questões comerciais, judiciais, políticas, militares e assim por diante. [...] De fato, o que quer que o marido pense sobre questões domésticas, a esposa o saberá melhor que ele. Ela é incapaz de administrar as questões públicas competentemente, mas ela é capaz de cuidar bem dos filhos, que é o maior dos tesouros. [...] Se Deus tivesse dotado o homem para administrar ambas as esferas de atividade, teria sido fácil aos homens dispensar o gênero feminino. [...] Por isso Deus não concedeu ambas as esferas a um sexo, para que nenhum deles pareça supérfluo. Mas Deus não designou ambas as esferas igualmente a cada sexo, para que a igualdade de honra não engendre rixas e conflitos. Deus preservou a paz reservando a cada um sua esfera adequada. Ele dividiu nossas vidas em duas partes, e deu a mais necessária e importante ao homem e a parte menor e inferior à mulher. Assim, Ele organizou a vida de maneira a que admirássemos mais o homem do que a mulher, pois seus serviços são mais necessários do que os dela, e para que a mulher tivesse uma forma mais humilde e, assim, não se rebelasse contra o marido.

10) Assim sendo, eis o que tu deves buscar em uma esposa: virtude de alma e nobreza de caráter, para que desfrutes de tranquilidade, para que luxuries em harmonia e amor duradouro.

11) O homem que se casa com uma mulher rica se casa com um chefe, e não com uma esposa. Porém, o homem que se casa com uma esposa em iguais condições ou mais pobre se casa com uma ajudante e aliada, trazendo inúmeras bênçãos para dentro de casa. Sua pobreza a força a cuidar de seu marido com muito cuidado, obedecendo-o em tudo. [...] Portanto, o dinheiro é inútil quando se trata de encontrar um parceiro de boa alma.

12) Assim sendo, deixemos de lado as riquezas da esposa, mas examinenos seu caráter e sua piedade e recato. A esposa recatada, gentil e moderada, mesmo que seja pobre, irá transformar a pobreza em algo muito melhor do que a riqueza.

13) Antes de mais nada, tu deves aprender qual o propósito do casamento, e por que ele foi introduzido em nossas vidas. Não te perguntes mais nada. Qual seria, então, o objetivo do casamento, e por que Deus o criou? Ouve o que Paulo diz: Mas, por causa da tentação à imoralidade, cada um tenha a sua própria mulher (I Coríntios 7:2). [...] Portanto, não despreza o maior nem busca o menor. A riqueza é muitíssimo inferior ao recato. É somente por este motivo que devemos buscar uma esposa: para evitarmos o pecado, para nos libertarmos de toda imoralidade.

14) A beleza do corpo, se não estiver aliada à virtuda da alma, será capaz de atrair o marido somente por uns vinte ou trinta dias, mas não conseguirá ir além disto antes que a perversidade da esposa destrua toda sua atratividade. Quanto àquelas que irradiam beleza de alma, quanto mais o tempo passsa e sua nobreza se evidencia, tanto mais aquecido será o amor do marido e tanto mais ele sentirá afeição por ela.

15) É por meio do recato que o marido conseguirá atrair à sua família a boa vontade e a proteção de Deus. É assim que os homens de bem dos velhos tempos se casavam: buscando nobreza de alma em fez de riqueza monetária.

16) Quando te decidires por uma eposa, não corre atrás de ajuda humana. Volta-te a Deus, pois Ele não se envergonhará de ser vosso casamenteiro. Foi Ele mesmo quem prometeu: Buscai primeiro o Reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas (Mateus 6:33). Não te perguntes: “Como posso ver a Deus? Afinal, Ele não falará nem conversará comigo de maneira explícita, e portanto não conseguirei Lhe fazer perguntas”. Estas são palavras de uma alma de pouca fé. Deus pode facilmente organizar tudo da maneira que Ele quiser, sem o uso da voz.

17) A castidade é algo maravilhoso, mas é mais maravilhoso ainda quando está aliada à beleza física. As Escrituras nos falam sobre José e sua castidade, mas antes mencionam a beleza de seu corpo: José era formoso de porte, e de semblante (Gênesis 39:6). Em seguida, as Escrituras versam sobre sua castidade, deixando claro, assim, que a beleza não levou José a licenciosidade. Pois nem sempre a beleza causa imoralidade ou a feiúra causa recato. Muitas mulheres que resplandecem em beleza física resplandecem ainda mais em recato. Outras que são feias em aparência são ainda mais feias de alma, manchada por inúmeras imoralidades. Não é a natureza do corpo mas a inclinação da alma que produz recato ou imoralidade.


Prof. Felipe Aquino – www.cleofas.com.br

FORMAÇÃO: OS 13 ATRIBUTOS DE DEUS!

A tradição judaica interpreta o texto de Ex 34,6-7, como a revelação dos treze atributos de Deus, os quais se tornaram uma das principais orações do judaísmo. O Talmud ensina que Deus disse a Moisés: “Sempre que Israel pedir o Meu perdão, que mencione estas Minhas qualidades”. Esta prece só pode ser rezada quando houver pelo menos um Minian (o quorum mínimo para o início das orações na Sinagoga, isto é, dez homens).


Apresentamos a seguir o texto, com a tradução da Bíblia de Jerusalém e da Torá Hebraica.


Bíblia de Jerusalém

Iahweh passou diante dele, e ele proclamou:

“Iahweh! Iahweh...

Deus de ternura e de piedade,

lento para a cólera,

rico em graça e em fidelidade;

que guarda sua graça a milhares,

tolera a falta, a transgressão e o pecado,

mas a ninguém deixa impune

e castiga a falta dos pais nos filhos

e nos filhos dos seus filhos,

até a terceira e a quarta geração...”

A IGRERJA CATÓLICA E AS IMAGENS


Erroneamente se divulga que os católicos praticam a idolatria...A+A-É verdade que algumas pessoas da Igreja Católica erraram nos quase dois mil anos de sua história. É de se esperar também que uma Igreja com 1 bilhão e meio de seguidores tenha mais erros que uma com 1 milhão de membros. Na verdade, somos santos e pecadores. Santos enquanto instituição e, pecadores enquanto membros.

No entanto, se tem uma coisa que erroneamente se divulga é que os católicos praticam a idolatria.

Idolatria, segundo o dicionário, quer dizer adorar ídolos.

A Igreja Católica Apostólica Romana sempre ensinou, com base Bíblica, que "Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás" (Dt 6,13). Não adoramos e nem devemos adorar qualquer coisa ou pessoa além do único e Supremo Deus Trino.

DOIS MIL ANOS DE IGREJA

Pela História da Igreja podemos ver com clareza a sua transcendência e divindade. Nenhuma instituição humana sobreviveu a tantos golpes, perseguições, martírios e massacres durante 2000 mil anos; e nenhuma outra instituição humana teve uma seqüência ininterrupta de governantes. Já são 266 Papas desde Pedro de Cafarnaum. Esta façanha só foi possível porque ela é verdadeiramente divina; divindade esta que provém Daquele que é a sua Cabeça, Jesus Cristo. Ele fez da Igreja o Seu próprio Corpo (cf. Cl 1,18), para salvar toda a humanidade.

Podemos dizer que, humanamente falando, a Igreja, como começou, tinha tudo para não dar certo. Ao invés de escolher os "melhores" homens do Seu tempo, generais, filósofos gregos e romanos, etc., Jesus preferiu escolher doze homens simples da Galiléia, naquela região desacreditada pelos próprios judeus. "Será que pode sair alguma coisa boa da Galiléia?" Isto, para deixar claro a todos os homens, de todos os tempos e lugares, que "todo este poder extraordinário provém de Deus e não de nós" (2Cor 4,7); para que ninguém se vanglorie do serviço de Deus.

O SENTIDO ESCATOLÓGICO DO ADVENTO

Assim define o minidicionário da Língua Portuguesa, Silveira Bueno, para o significado da expressão ADVENTO:

Vinda; chegada; instituição; começo; período das quatro semanas que antecedem o Natal”.

[Silveira Bueno: minidicionário da língua portuguesa. – Ed. ver. e atual. – São Paulo: FTD, 2000, p. 30]


Sabemos que na liturgia católica o advento é justamente esse período das quatro semanas que antecedem o Natal. É uma espécie de relembrar e reviver o que os israelitas do Antigo Testamento viveram quanto à esperança da Vinda do Messias. E pra isso, claro, houve todo um conjunto de profecias que os profetas do Senhor no AT, profetizaram. Exemplos:


Por que um menino nos nasceu, um filho nos foi dado; a soberania repousa sobre seus ombros, e ele se chama: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz. Seu império será grande e a paz sem fim sobre o trono de Davi e em seu reino. Ele o firmará e o manterá pelo direito e pela justiça, desde sempre e para sempre. Eis o que fará o zelo pelo Senhor dos exércitos”. (Is 9, 5-6)

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Norte-coreana pode ter sido morta por portar Bíblia


Aumentam as execuções de cristãos segundo grupos de direitos humanos
Por Nieves San Martín
PYONGYANG, segunda-feira, 27 de julho de 2009 (ZENIT.org).- Diferentes organizações de defesa dos direitos humanos na Coreia do Sul denunciaram o aumento das execuções de cristãos na Coreia do Norte, algumas delas em público.
O informe de várias organizações sul-coreanas destaca o caso de uma mulher que foi executada em público no mês passado, em uma cidade norte-coreana próxima da fronteira com a China.
Segundo indica Andre Vornic, correspondente da BBC na Ásia, a mulher foi acusada de distribuir bíblias, ser espiã para a Coreia do Sul e os Estados Unidos e colaborar com dissidentes.
O governo dos Estados Unidos sustenta que o fato de se possuir uma bíblia no país comunista possa ser motivo de torturas e sequestro, afirma Vornic.
De acordo com as denúncias, os pais desta mulher, seu marido e seus filhos foram enviados para um campo de detenção. O correspondente da BBC acrescenta que ainda que estas informações sejam muito difíceis de se comprovar, a Coreia do Norte é conhecida por sua intolerância para com a religião.
Segundo informa a agência AP, a mulher executada, Ri Hyon-ok, de 33 anos, era mãe de três filhos. Ela foi morta em uma cidade a noroeste de Ryongchon em 16 de junho, segundo um informe da Comissão Investigadora de Crimes contra a Humanidade, publicado na sexta-feira. O informe não pôde ser verificado.
Mas dá sequência aos testemunhos de dissidentes norte-coreanos e informes de grupos de direitos humanos que expõem cada vez com mais frequência a perseguição religiosa e violações dos direitos humanos no país comunista.
No mês passado, a Voz dos Mártires (VOM) advertiu que, através de um fax anônimo aparentemente da embaixada norte-coreana da Finlândia, dizia que “algo muito grave aconteceria” aos trabalhadores de VOM se a organização continuasse seu projeto de compartilhar o Evangelho. A advertência era a resposta ao trabalho de VOM de obter números de fax da Coreia do Norte e seu envio de faxes contendo mensagens cristãs e passagens da Escritura.
A Coreia do Norte foi qualificada como o pior perseguidor de cristãos durante sete anos consecutivos na Lista de 2009 de Open Doors Watch.
Os norte-coreanos são obrigados a praticar um culto à personalidade que inclui Kim Jong-Il e seu falecido pai. Qualquer outra religião, em especial a cristã está proibida.
Se descobrem que alguém é cristão ou possui uma Bíblia, é enviado aos campos de trabalho administrados pelo Governo ou deve enfrentar a execução pública.
Acredita-se que milhares de cristãos estão atualmente sofrendo nos campos de prisões da Coreia do Norte, segundo Open Doors. Suspeita-se que o regime tenha mais prisioneiros políticos e religiosos detidos que qualquer outro país do mundo.
Há algumas igrejas na capital, Pyongyang, mas são principalmente para manter as aparências. Não está claro se as igrejas estão abertas só quando os estrangeiros as visitam ou são apenas usadas por estrangeiros. De qualquer forma, estas igrejas não são para os cidadãos norte-coreanos, segundo os dissidentes.
A Comissão Investigadora de Crimes contra a Humanidade, uma coalizão de 50 grupos ativistas, está pedindo que o líder norte-coreano Kim Jong-Il seja acusado de crimes contra a humanidade.
Apesar da perseguição, estima-se que cerca de trinta mil norte-coreanos praticam o cristianismo em seus lares e em segredo.

http://www.zenit.org/article-22269?l=portuguese

domingo, 22 de novembro de 2009

JOVENS: SENTINELAS DA MANHÃ

Percebemos nos dias de hoje o grande alvo do Inimigo de Deus: a juventude! A prova disso é que os “atrativos” que são colocados para os jovens são supostamente mais agradáveis e chamam mais atenção do que a religião, a educação, os projetos sociais... Estou falando mesmo do lamaçal no qual a juventude está sendo mais e mais submergida: drogas, prostituição, violência, sexualidade desenfreada, sexualidade sodomitizada, dentre muitas outras perdições ou veredas que os jovens estão atravessando de maneira facilmente aceitável.

É um tremendo desafio para a Igreja, levantar uma juventude voltada para as coisas de Deus! Como seria bom se tivéssemos jovens sendo lideranças em meio as atividades coordenadas pelas pastorais e movimentos da Igreja. Para isso, seria necessário pôr, urgentemente, como meta uma evangelização voltada especialmente para os jovens.


Total de visualizações de página