PAZ E FOGO!!!! SEJAM BEM VINDOS AOS NOSSO AMBIENTE VIRTUAL

Pesquisar neste blog:

Carregando...

segunda-feira, 20 de abril de 2015

O Seguimento ao Senhor Jesus


Amados irmãos, apesar de estarmos em um tempo que nos proporciona o afastamento de Deus e de seu Filho, o Senhor e Salvador Jesus Cristo, e toda uma propaganda satânica que nos induz a uma vida de pecado e de escravidão; se faz necessário e indispensável aceitar a Jesus de Nazaré como o nosso Senhor e Salvador.

Em Hebreus 9, 28 a Palavra de Deus nos alerta que Jesus Cristo foi oferecido uma única vez para tirar os pecados da multidão, por tanto nos salvou do pecado, da vida miserável e distante de Deus que tínhamos e nos arrancou das chamas dos infernos, que era o nosso lugar, caso o Senhor Jesus não tivesse morrido numa cruz por amor a nós! Mas, o autor aos Hebreus continua afirmando que o Senhor Jesus voltará uma segunda vez para buscar aqueles que o esperam. E aí, eu te pergunto: Você está esperando o retorno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo?

Muitos cristãos, muitos católicos, estão vivendo como se Jesus não viesse mais! Estão desprezando, com seu comportamento, o Santo sacrifício que Jesus de Nazaré, realizou naquela cruz! Corrompem-se com as práticas e as ideologias deste mundo e no lugar de testemunharem a sua fé no Cristo Ressuscitado, difamam a sua fé e levam contratestemunho de sua igreja para aqueles que ainda são do mundo!   

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

QUEM SÃO OS PROMOTORES E/OU LÍDERES DA NOVA ERA?





De alguma forma pode-se chamar promotores da Nova Era desde uma bruxinha que faz limpeza na Pirâmide do Sol em Teotihuacán até famosas personalidades de comunicação que se dedicam a temas de esoterismo comercial e popular. Mas há algumas organizações internacionais que também operam na América Latina.
Tentamos, a partir de uma pesquisa de alguns sites e livros (dentre eles o ACI Digital e o Documento do Vaticano: Nova Era – Jesus Cristo portador da água viva), trazer essas duas abordagens neste mesmo artigo: Algumas organizações, doutrinas, religiões e seitas que promovem a Nova Era e nomes de algumas pessoas que podemos chamá-las de líderes (já que são instrumentalizadas por Satanás, seu líder maior), neste mundo. Alguns líderes e, nível mundial e outros em nível de Brasil propriamente dito.
ALGUMAS DESSAS ORGANIZAÇÕES SÃO:

·         A Sociedade Teosófica: fundada em 1875 em Nova York pela russa Helena Petrovna Blavatsky (1831-1891), espírita e médium. Sua doutrina é uma mistura de espiritismo, ocultismo, princípios gnósticos e espiritualidades orientais. As crenças principais da Sociedade incluem a reencarnação, a comunicação com mestres desencarnados, o yoga, astrologia.
·         A Nova Acrópoles: fundada na Argentina em 1957 por Jorge Ângelo Livraga. É um grupo ocultista e agnóstico inspirado principalmente nos escritos de Blavatsky e uma mescla dos conceitos de pensadores antigos. Seus membros buscam um estado espiritual superior através de sugestivas cerimônias de iniciação e a utilizam de muitos símbolos e ritos típicos de grupos paramilitares.
·         Controle Mental Silva: fundado em Laredo, Texas em 1966 por José Silva (n. 1914), consiste em cursos breves de técnicas de controle interno e alcançar a Sobre-Consciência ou o domínio total de seus estados mentais. O método contém elementos do espiritismo e sutilmente levar seus praticantes ao panteísmo. Maneja muitos conceitos fundamentais da Nova Era e centra a esperança da salvação nos poderes mentais do homem. Apesar do fato de que muitos dos mestres do método falem uma linguagem “cristã” e asseguram a seus clientes que o método o ajudará em sua vida espiritual, há elementos substanciais do programa incompatíveis com a fé católica. Ultimamente a organização Silva no México tem se dedicado a arrancar assinatura de sacerdotes e monjas que aprovam o método para facilitar sua promoção em âmbitos católicos.
·         A Meditação Transcendental: fundada em 1958 por Maharishi Mahesh Yogi na Índia mas não se popularizou até 1967, graças à publicidade oferecida pelos Beatles e outros artistas famosos da contracultura dos anos 60. Em sua doutrina, que nasce do hinduísmo, se busca a iluminação da consciência pela reflexão pessoal mediante a repetição de mantras (palavras sagradas) e ritos religiosos. Implícitos nos ensinamentos da MT são a rejeição de doutrinas essenciais ao cristianismo (um Deus pessoal, a Encarnação, a Ressurreição, etc.) a veneração do Maharishi e do Guru Dev como santos e mensageiros divinos.
·         A Grande Fraternidade Universal: fundada em 1948 em Caracas pelo francês Serge Reynald de la Ferriére (1916-1962), que era muito ativo com grupos de teosofia, astrologia, e a maçonaria. Sua doutrina se baseia e práticas astrológicas, esotéricas e ocultistas, e afirma que todas as religiões são iguais, ainda que favoreça crenças e práticas hindus. Apresenta um sincretismo religioso que apela a uma ciência superior que é a verdadeira base de toda religião.
·         A Igreja da Ciência/Dianética: fundada por L. Ron Hubbard (1911-1986), novelista de ficção científica que e 1960 publicou Dianética: A ciência moderna da saúde mental, um manual de autoconhecimento e desenvolvimento de potencialidade humana baseada na análise d experiências prévias ao nascimento.
Vale fazer aqui uma pequena observação quanto a esse tio de “Igreja científica”: As associações de médicos mais prestigiados dos EUA condenaram repetidamente as teorias e as terapias e desenvolvimento da Dianética como totalmente carentes de base científica e daninha para a saúde mental. Sua teoria é que todos os males humanos são causados por “engramas” ou cargas negativas que se gravam no inconsciente do homem e provocam estragos contínuos.
Para se libertar faz falta uma “audição” por parte de um especialista que recomendará uma série de cursos que supostamente levará ao cliente ao estado de “claro” ou livre de “engramas”. A reencarnação e as experiências extra-corporais são partes da doutrina da seita. Hubbard também tem escritos eu atacam duramente o cristianismo.
O Documento do Vaticano sobre a Nova Era ainda destaca alguns lugares-chaves da Nova Era, dentre eles:
Esalen: Comunidade fundaa em Big Sur na Califórnia, Esatdos Unidos, em 1962, por Michael Murphy e por Richard Price, com o objetivo principal de alcançar a auto-realização do ser através do nudismo, das visões e das medicinas mais importantes do Movimento Potencial Humano e difundir as ideias da medicina holística no mundo da educação, da política e da economia.
Findhorn: Esta comunidade holística criada por Peter e Eileen Caddy conseguiu o crescimento de planetas enormes com métodos insólidos... “A fundação da comunidade de Findhor na Escócia, em 1965, foi um marco milenar do movimento que se define como Nova Era”.
Monte Verdade: Comunidade utopista, próxima de Ascona, Suíça. Desde os fins do século XIX, representou um ponto de encontro para os expoentes europeus e americanos da contracultura nos campos da política, da psicologia, da arte e da ecologia. As conferências de Eranos realizam-se lá todos os anos, desde 1933, reunindo grandes luminares da Nova Era. Os anuários esclarecem a intenção de criar uma religião mundial integrada.   

LÍDERES DO MOVIMENTO NOVA ERA NO MUNDO
                O movimento Nova Era é uma mistura indefinida de ideologias religiosas, culturais, sociais, políticas e científicas combinadas com o fascínio pelo misticismo oriental, pelo paranormalismo, pelo ocultismo e até mesmo por alguns tipos de psicologia moderna. Com isso, torna-se a soma dos ensinos de vários líderes religiosos. Vejamos o quadro abaixo:

                 Helena P. Blavatsky - Fundou a Sociedade Teosófica em 1875, na cidade de Nova lorque. Morreu em 1891, aos 60 anos de idade. Escreveu os livros The Secret Doctrine (A Doutrina Secreta) e Isis unveiled (Isis revelada). Integram, os ensinos da Teosofia, entre outros, a gnose e o espiritismo, baseados em doutrinas esotéricas (secretas), comunicadas através de mensagens de mestres cósmicos. Constam também de certas variações do ocultismo, como a clarividência, a astrologia, a hipnose, a ioga, seres extraterrestres etc.

                Alice A. Bailey - (1880 - 1949) Estabeleceu o verdadeiro alicerce do Movimento Nova Era e é reconhecida por muitos como sua sacerdotisa. Foi a terceira presidente da Teosofia. Escreveu vários livros, entre os quais: The Externalisation of the Hierarchy (A Exterminação da Hierarquia); The Rays and The initiations (Os Raios e as Iniciações); Initiation: Human and Solar (Iniciação: Humana e Solar) e The Reappearance of the Christ (O Reapareciinento do Cristo).

               Marilyn Fergunson - Autora do livro A Conspiração Aquariana, lançado em 1980. A obra investiga uma nova mentalidade, inevitável, que toma conta do mundo. Publicou ainda The Brain Revolution (A Revolução do Cérebro). Realiza conferências sobre dimensionamento da mente e funcionamento do cérebro. Tem viajado a todos os lugares do mundo.

               Benjamin Creme - Nascido na Escócia em 1922, aos 14 anos apaixonou-se pelos relatos de Alexandra D. Neel sobre os místicos e feiticeiros do Tibete. Mais tarde descobriu as obras de Helena P. Blavatsky, Gurdjeff, Alice Bailey, Swami Vivekananda, Ramana Maharshi, entre outros.

                 Posteriormente, entusiasmado por discos voadores, juntou-se a um grupo que procurava entrar em contato com os nossos irmãos do espaço. Afirma ter recebido mensagens telepáticas desde 1959. É conhecido como o João Batista do novo Cristo, chamado Lord Maitreya.

David Spangler - Considerado um profeta, seus dois livros mais importantes são: The Birth of a New Age (Revelação: O Nascimento de uma Nova Era) e Reflections on the Christ (Reflexões Sobre o Cristo).

Shirley MacLaine - Considerada um fenômeno, um de seus livros vendeu 2 milhões de exemplares. Ela crê em reencarnação, carma, comunicação com entidades de níveis astrais, através de canalizadores (médiuns), ufologia, Ets, Talismãs, amuletos, pirâmides, runas, cristais etc. Escreveu seis livros campeões de venda: Dançando na Luz, Minhas Vidas, A vida é um Palco, Em Busca do Eu, Você Também Pode Chegar Lá, Não Caia da Montanha. Em Minhas Vidas, ela relata suas aventuras espirituais e jura que já teve seis outras vidas, inclusive uma existência na Atlântida. Está construindo, na Califórnia, a Vila Uriel - uma espécie de retiro onde se poderá escolher entre meditar, regredir a séculos passados ou tentar a cura de doenças por meio de sons e cores.


LÍDERES DO MOVIMENTO NOVA ERA NO BRASIL


Carmem Lúcia Balhestero: Fundadora da Fraternidade Pax Universal, seu guia é Saint Germain, misteriosa figura do alquimista francês, que apareceu em diversas épocas, tem-se manifestado como uma entidade espiritual cercado de uma legião de seres cósmicos.
Lauro Trevisan - Padre, autor de vários livros, tais como: O Poder Infinito de Sua Mente, O Poder Intetior, O Poder Jovem, O Poder da Inspiração, Pensamento de Vida e Felicidade, Os Outros Puderam Você Também Pode, Você Tem Poder de Alcançar Riquezas, O Poder Infinito da Oração, Só o Amor é Infinito, Aquarius - a Nova Era Chegou, Os Poderes de Jesus Cristo, A Vida é Uma Festa.
Luiz Antônio Gasparetto - Médium, psicólogo e apresentador de rádio e televisão. Incorpora pintores famosos chegando, em ocasiões de possessão, pintar ao mesmo tempo com as duas mãos e os pés, incorporando três pintores a um só tempo.
Mirna Grizich – Reconhecida como guru dos cristais desde 1980, estudou no famoso centro de terapias alternativas: o Esalen Institute, na Califórnia (USA).
Paulo Coelho - Iniciou em 1970 os estudos sobre Magia e Ocultismo, que o levaram a ingressar em diversas Ordens Místicas e participar de seminários no mundo inteiro. Em 1986, depois de percorrer a pé a rota medieval de Santiago de Compostella, escreveu os livros O Diário de um Mago; O Alquimista, Brida e As Valkírias, entre outros.



segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Quais os fatores culturais que estimulam o surgimento de práticas ocultistas e satânicas em nossa sociedade?


Death-Metal

As maneiras são muito mais diversificadas do que você imagina!
O pe. Gary Thomas é o exorcista da diocese de San Jose, na Califórnia. Seu curso de preparação para o rito do exorcismo, realizado em Roma em 2005, foi a inspiração para o livro “The Rite: The Making of a Modern Exorcist” [O Rito: O Preparo de um Exorcista Moderno”], de Matt Baglio, lançado em 2010, além de servir de base para o filme “The Rite” [O Rito], de 2011, estrelado por Anthony Hopkins. O pe. Gary gosta de citar o papa emérito Bento XVI dizendo que, “quando a fé diminui, aumenta a superstição”. Se quisermos identificar os fatores culturais que têm levado ao crescente interesse e à prática do satanismo e de outras atividades ocultas, teremos que começar observando o declínio da fé cristã no Ocidente.
O pe. Jeffrey Grob, exorcista da arquidiocese de Chicago, nos EUA, me descreveu o fenômeno durante uma recente conversa por telefone como “desencanto com a religião organizada”. Os ocidentais em geral são pessoas impacientes; “mesmo os católicos podem ​​ir atrás de curandeiros e de alternativas a Deus, no afã de soluções instantâneas”.
Mons. Patrick Brankin, exorcista da diocese de Tulsa, concorda que o declínio da fé cristã e o concomitante aumento do secularismo estão fomentando a atividade demoníaca: “Nos últimos anos, nós estamos vendo mais ação demoníaca”, afirma ele, que atribui essa tendência a uma sociedade cada vez mais laica, que se voltou para as tábuas Ouija, para a feitiçaria, para a astrologia, para a adivinhação e para outras práticas ocultistas que “abrem as portas para o demônio”.
Os três exorcistas acreditam que, em comparação com 25 a 30 anos atrás, tem havido um acentuado aumento do número de pessoas que estão se metendo com o ocultismo, seja através do satanismo, do paganismo, da idolatria ou de alguma outra modalidade.
Em “The Occult Roars Back: Its Modern Resurgence” [O Ressurgimento Moderno do Ocultismo], Richard Kyle, professor de História e Estudos Religiosos da Universidade Tabor, no Estado do Kansas, EUA, cita vários especialistas acadêmicos que escreveram sobre as causas do grande aumento do interesse pelo ocultismo. Jeffrey Russell, por exemplo, observou que, historicamente, “o interesse pelo oculto cresce significativamente nos períodos de rápido colapso social, quando os padrões estabelecidos deixam de dar respostas prontamente aceitáveis ​​e as pessoas se voltam para outras referências em busca de garantias”.
Mas, acrescenta Kyle, também há uma base de fatores para o aumento do interesse pelo oculto, conforme proposto por Catherine Albanese, que “ressalta que muita gente foi preparada pela cultura norte-americana para se voltar a si mesma e ao universo em busca de certezas religiosas. A tradição protestante tendeu a apoiar a importância do conhecimento ou da crença na religião. Depois, a ala liberal do protestantismo modificou esta abordagem, enfatizando a presença de Deus em todos os lugares e destacando o otimismo americano em relação à bondade inata da natureza humana. O caráter difusivo do liberalismo e a sua falta de limites nítidos ajudou as pessoas a se ajustarem à ideia de viver confortavelmente sem diretrizes religiosas rígidas”.
Albanese também observa que “a organização urbana e corporativa da sociedade” fragmentou todo o senso de vida comunitária. Em seu lugar, “a astrologia deu às pessoas um senso de identidade” e “as ajudou a estabelecer relações seguras com os outros. A autoajuda fez as pessoas adotarem certas medidas para conseguir a prosperidade, a saúde e a felicidade em meio às suas situações cotidianas. Videntes ofereceram cura física e orientação espiritual para lidar com os problemas do dia-a-dia”.
Ted Baehr, fundador e editor do Movieguide e autor de quase uma dúzia de livros, falou no II Congresso Mundial das Famílias sobre “Proteger as Crianças da Violência da Mídia”. Ele cita o estudioso Harold Bloom, da Universidade de Yale, que analisou “o surgimento da América pós-cristã em seu livro ‘A Religião Americana’, e que diz que o deus a quem adoramos somos nós mesmos. Ele afirma que a verdadeira religião da América do Norte é o gnosticismo, uma heresia elitista que combina filosofias místicas gregas e orientais e declara a necessidade do acesso a ‘conhecimentos especiais’ para se chegar ao mais alto dos céus”. A palestra de Baehr incluiu definições coerentes das crenças que atualmente competem com o cristianismo para conseguir seguidores nos Estados Unidos e em grande parte do mundo: o humanismo secular, o panteísmo, o materialismo, o niilismo, o romantismo, o existencialismo, o nominalismo, o idealismo, a New Age e o ocultismo.
Richard Kyle fornece uma definição simples e moderna do ocultismo: “Primeiro, o ocultismo é misterioso, vai além do alcance do conhecimento comum. Segundo, é secreto e comunicado apenas para os iniciados. Terceiro, o oculto se refere ao mágico, à astrologia e a outras supostas ciências que alegam o conhecimento do secreto, do misterioso ou do sobrenatural”.
Até que ponto a crença no oculto é difundida? Uma pesquisa da Gallup, em 2005, revelou que três em cada quatro americanos acreditam em ocultismo.
Considerando-se que a nossa cultura proporciona um terreno fértil para o crescimento do satanismo e das práticas ocultas, contemplemos o que temos semeado neste solo receptivo. Ted Baehr traz à tona o fato óbvio de que muitas crianças não estão sendo criadas numa relação de intimidade com Deus, mas em meio a influências como “Assassinos por Natureza”, “Halloween” e “Pânico”. Será um exagero? Muito provavelmente não. Considere as séries de televisão dos últimos anos: “Vampire Diaries” [“Diários de um Vampiro”], “True Blood” [“Sangue Fresco”], “Buffy the Vampire Slayer” [“Buffy, a Caça-Vampiros”], “Charmed” [“As Feiticeiras”], “Sabrina the Teenage Witch” [“Sabrina, a Bruxa Adolescente”], apenas para citar algumas. Ou filmes de grande sucesso, como “O Exorcista”, “O Bebê de Rosemary” e “The Craft” [“Jovens Bruxas”], que empalidecem em comparação com os filmes da saga “Crepúsculo”, com faturamento bruto mundial de 3,3 bilhões de dólares, e com os filmes de Harry Potter, que arrecadaram 7,7 bilhões de dólares.
Também podemos recordar RPGs de fantasia ocultista, como “Dungeons & Dragons” [Caverna do Dragão], de 1974, e seus muitos “herdeiros”, todos ligados ao mundo da feitiçaria.
Estudos psicológicos indicam que 60% ​​dos adolescentes com dependência química apontam a música “death metal” como seu gênero musical favorito. As letras glorificam o satanismo e o ocultismo, a anarquia, a violência, o abuso de mulheres e crianças, o assassinato, as drogas, o suicídio, o incesto, o estupro e a necrofilia. Richard Ramirez, famigerado assassino em série conhecido como Night Stalker, era obcecado com a banda de heavy metal ​(ou “death metal”) AC/DC. Satanistas adultos são conhecidos por “recrutar” novos membros em shows desse tipo de música e em convenções de jogadores de videogame.
O Dr. Baehr observa que a maioria das crianças expostas ao satanismo e ao ocultismo por meio da mídia de entretenimento não adere automaticamente a esses grupos. Mas a maioria se torna insensível aos males ali representados e uma minoria significativa acaba ficando assustada e paranoica. Ele acrescenta que “pode ​​haver consequências de longo prazo ao se assistir a material antissocial” e, “lamentavelmente, de 7% a 11% dos adultos e até 31% dos adolescentes dizem querer copiar aquilo que veem”. 
Existe ainda outra forma de a nossa cultura promover a opressão demoníaca. Como explica o pe. Thomas, as pessoas atacadas por demônios têm muitas vezes feridas na alma, por terem sofrido abusos físicos ou sexuais na infância, o que muda a sua percepção da vida e de si mesmas e a sua capacidade de se relacionar com os outros. “Os demônios”, diz ele, “estão sempre à procura de seres humanos com relações fragmentadas”. Os demônios podem possuir ou oprimir uma pessoa através dos seus sentidos; eles precisam de uma abertura que torne a vítima vulnerável. As “aberturas” mais comuns, de acordo com o pe. Thomas, incluem o vício em pornografia na internet e o uso de cocaína, metanfetamina e outras drogas que causam alucinações.
A obra “O Reino do Oculto”, de Walter Martin e outros autores, traça o perfil de adolescentes do sexo masculino atraídos para o satanismo e para ocultismo por serem pessoas psicologicamente machucadas, rebeldes, hedonistas e niilistas, usuárias de drogas, solitárias e mal-sucedidas. Eles se sentem “impotentes, isolados e vítimas”, e o satanismo lhes dá uma sensação de controle, de status e de pertencimento a um grupo.
Já os adultos são mais frequentemente atraídos para os cultos satânicos pelo seu elitismo, secretismo, hedonismo, pornografia, prostituição e desejo de adquirir poderes mágicos.
O pe. Thomas salienta que não devemos temer os ataques demoníacos. O seu filho ou o seu neto que joga RPG e a sua filha ou a sua neta que “ama” algum personagem de “Crepúsculo” não vão necessariamente acordar de repente com os olhos esbugalhados e falando fluente aramaico. Mas o pe. Thomas recomenda quatro meios cotidianos para nos protegermos dos ataques demoníacos: uma vida vivida de acordo com a boa moral, uma vida de oração, uma vida de fé e uma vida sacramental.
Todos nós faríamos muito bem se aceitássemos essas recomendações. 
Fonte: www.aleteia.org

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

QUAIS OS OBJETIVOS DA NOVA ERA?

Seus objetivos e planos, segundo a ordem dada pelo "mestre da sabedoria"para Alice Bailey, consiste no estabelecimento de uma unidade na diversidade, consciência de grupo e espírito de cooperação", dentro de uma nova ordem mundial; 1) Através da implantação de um novo governo central, 2) uma nova economia mundial, 3) uma nova religião mundial; para obter o controle do mundo.

1- O NOVO GOVERNO MUNDIAL: tem como objetivo um governo político centralizado que abrange todo o mundo. Existe uma grande tendência comunitaria que visa o fim de todas as ditaduras e monarquias, das fronteiras e dos padrões monetários.

2- UMA NOVA RELIGIÃO MUNDIAL: tem como objetivo moldar as religiões já existentes aos moldes da doutrina da nova era. A nova era não se apresenta como uma religião e nem pretende ser, mas quer criar uma só religião, infiltrando sua doutrina no meio das religiões já constituídas. Deseja a nova era levar o Judaísmo, o Islamismo, o Cristianismo e as religiões orientais para seu lado, promovendo desta forma a descaracterização da fé, descaracterização da personalidade de Deus, despertar no homem que ela pode ser Deus por meio da reeencarnação eliminar a consciência do julgamento futuro, substituindo-o pelo processo da reencarnação, eliminar o conceito de salvação, levando o homem a procurar a soluções para os problemas atuais e presentes; eliminar a induvidualidade de cada religião, arregimentando todas as religiões para si, através de pontos comuns, pois diz a nova era, que todas as religiões são boas e que todas aguardam um grande lider - os Judeus aguardam o Messias, os Cristãos aguardam Jesus Cristo, os Budistas aguardam o Buda, os Hinduítas aguardam o Krischna...etc. Assim a nova era levará as pessoas a crerem que TODOS esperam o mesmo Líder, embora com nomes diferentes, e este líder é Maitreya, o Cristo da nova era, o anticristo da bíblia.

3-UMA NOVA ECONOMIA MUNDIAL: o mundo será dividido em dez áreas políticas com fins econômicos (intercâmbio comercial). A política de bens e alimentos será centralizada, sendo beneficiados somente os que se submeterem a ela. As idéias fazem parte do Plano econômico mundial, envolvendo no período de implantação do plano preparatório alguns ítens como:
 
a) um sistema universal de cartão de crétido;
b) um sistema mundialde imposto unificado;

A FAMÍLIA NA NOVA ERA
 
A nova era abomina a família tradicional. A família ocidental composta segundo os moldes ditados por Deus na Bíblia é repugnada. Segundo o movimento não deverá haver família tradicional como conhecemos agora. Alguns conceitos estabelecidos pela nova era com respeito à família são:
 
a) deve existir liberdade de expressão sexual, sendo que a troca de parceiros é benéfica no processo da divindade do homem.
 
b) o casal deve ser transpessoal, ou seja, viver em lucros comunitários, onde seja permitido o sexo grupal.
 
c) o sexo deve expressar-se nas suas mais diferentes formas, tais como: homossexualismo, lesbianismo, bissexualismo, etc...
 
d) a estratégia é confundir o homem e a mulher no seu papel, dentro do casamento, através da moda unissex e de movimentos de emancipação, por exemplo: movimento feminista. E o pensamento é inibir a família individual, para que o homem tenha consciência de que ele faz parte de um todo e pertencente ao todo, portanto, a família é global.
 
e) a família será aberta, onde homem e mulher não se pertencem. Os filhos terão Mãe, - o pai pode ser desconhecido. Isto será denominado "produção independente".
 
f) o plano preve controle de natalidade através de várias formas, implicando numa drástica redução da população mundial, antes do ano 2000.

A mão chifrada é um sinal satânico?

Não podemos nos enganar! Sabendo que lhe resta pouco tempo (Ap 12,12), Satanás deseja o mais rápido possível receber de qualquer maneira adoração que só cabe devidamente ao Deus verdadeiro: Aquele que criou os céus e a terra e tudo o que neles há; e que, enviou o seu filho Unigênito para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo 3,16).

A Palavra de Deus também nos alertaque nos últimos dias muitos apostatarão da fé para dar ouvidos a falsas doutrinas e a seitas satânicas! Basta você ler I Timóteo 4, 1-2 e Deuteronômio 18, 9-14.

Essa pequena postagem seria mais uma alerta mesmo, já que os perigos do Satanismo e da Nova Era estão em todos os lugares e como disse o nosso querido e saudoso Papa João Paulo II quando fazia um discurso aos bispos norte-americanos, a Nova Era consegue chegar muitas vezes na Pregação, na Catequese, nos Retiros, ...

 

 

S20

O sinal da “mão chifrada” é para muitos hoje um sinal normal, indicando uma coisa muito boa ou “maneira”, mas tais pessoas, na maioria jovens, não sabem o real significado desse sinal, provavelmente por que, como o sinal do “olho que tudo vê” que está se tornando normal, o andamento para a normalidade da mão chifrada foi a mesma coisa, através da mídia, dando outros significados, encobrindo o verdadeiro.

O sinal dos chifres é um gesto de mão com um significado vulgar nos países Mediterrâneos, e uma variedade de significados e usos em outras culturas….

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

As seitas satânicas: Uma realidade hoje

São muito poucos os autores que dão definição de seita satânica, principalmente por que tais grupos apresentam uma diversidade de estilos.

Devemos ser justos ao precisar que muitos autores partem da conotação de satanismo para logo tentar definir, a partir e características determinadas, as seitas satânicas.
Alguns autores apontam como seitas satânicas a todo esse "conjunto de ciências, semiciências, feitiçarias, ocultismo e práticas tenebrosas, que têm como centro a suposição de que o demônio é um ser poderoso ao que se deve render culto, porque ele pode nos dar bem-estar, riqueza e saúde".
Outros apontam que o perigo é que para muitos jovens o grupo satânico aparece como libertador, antes de tudo libertador da moral, das convenções sociais e dos códigos repressivos. Nos grupos, a práticas de desordens sexuais e de ritos repugnantes (esquartejar animais, beber seu sangue, etc.) produz uma libertação das proibições aprendidas na infância.
Quiçá a definição mais exata seja que a seita satânica é um grupo minoritário de pessoas reunidas premeditadamente com o objetivo de adorar ao demônio, como um ser com poderes sobrenaturais capazes de intervir no mundo.

Seus integrantes costumam ser principalmente pessoas com transtornos psicol ógicos e uma profunda rejeição frente a todas as instituições sociais estabelecidas, família, igreja, estado, etc.
As reuniões destas seitas se caracterizam pela realização de ritos que não são mais que paródias do rito cristão, preferentemente do Católico ou do Ortodoxo. Estes eventos têm significados ou utilidade de iniciação, dignidade, provas, rogativas ou festivos. Também as seitas são para muitos a evasão perfeita da responsabilidade pessoal ante determinadas ações.
Como elementos comuns podemos apontar que estejam conformadas por poucos membros, a intolerância, a oposição nas esferas social-política e religiosa. Como características privativas delas podemos mencionar a adoração em culto a satanás, " a inversão da ordem sagrada ortodoxa", ensinamento esotérico, "a trindade demoníaca (a Besta, o Anti-Cristo, o Falso Profeta)" e a alteração de orações e credos cristãos.
Quais são as seitas?
Em primeiro lugar da classificação indicamos as "Seitas Luciferinas" que acreditam que Lúcifer foi tratado injustamente pelo cristianismo, já que ele é o símbolo do conhecimento e a sabedoria sendo portanto a verdadeira luz, buscam o poder, o dinheiro e as influências. Uma de suas principais características é o segredo de suas atividades. Seu rito central é a missa negra ou vermelha e costumam ter uma forma anarquista de ver a vida.
Em segundo lugar estão as seitas Satanistas conformadas por indivíduos de nível intelectual médio-alto, normalmente profissionais ou empregados de mandos meio conhecedores de diferentes matérias esotéricas sendo "seu forte" tudo o que tenha relação com a astrologia e a magia.
Apresentam uma estratificação particular baseada no nível de "dignidade" ou compromisso de seus membros. Não costumam ser confrontantes, não se reconhecem a si mesmos como integrantes de uma seita, mas de uma religião que foi incompreendida e perseguida pelos cristãos. Pertencem a este nível de classificação seitas como "A Igreja de Satã", "O Templo de Set", entre outras.
Em terceiro lugar da classificação indicamos aos "Adoradores de Set" ou "Amigos de Lúcifer" que podem, e de fato têm sido , vistos como as mais perigosas. São constantemente relacionados com seqüestros, abusos sexuais, indução a suicídios e inclusive a homicídios. São características delas mostras de "fidelidade e dignidade" como o seqüestro de cadáveres, beber sangue, a exposição sexual e atos tão aberrantes como a necrofagia e a necrofilia.
Mais uma vez devemos enfatizar ao apontar que esta classificação pode ser considerada como válida mas sob nenhuma perspectivas como absoluta já que em algumas seitas satânicas se dão ou podem chegar a dar-se, a mistura de características de um ou outro grupo e inclusive a gerar em seu interior uma nova variante.

Sua Existência
Para falar das causas da existência das seitas satânicas, devemos partir, que desde sempre o homem se sentiu fascinado pelo misterioso, maravilhado pelo sobrenatural, inclinado à magia por meio da qual espera encontrar respostas a seus questionamentos ou a satisfação de suas carências.
Igualmente podemos apontar que, se as seitas satânicas existem, deve-se em grande parte ao mal uso que o homem tem feito de sua liberdade, a que tem encaminhado na busca de experiências mágicas que em curto prazo se transformam em experiências daninhas que o conduzem ao afastamento de Deus, dos homens, da Igreja e, consequentemente, da realidade.
Como estas e outras possíveis causas podem "somar e seguir", entretanto optamos por nos referirmos também, não somente a aquelas causas de índole existencial individual, mas também a aquelas do âmbito social; para isso consideramos tratar de cinco fatores chaves para o surgimento e proliferação destes grupos.

Os fatores s ão o político, desemprego, violência urbana, marginalidade e desagregação familiar, esta escolha não deve conduzir nem reduzir nosso pensamento exclusivamente a esses fatores posto que sem dúvida existem muitos outros possíveis elementos ou fatores causadores de que estes grupos sejam uma realidade.
Perfil psicológico
O perfil psicológico dos membros de uma seita costuma ser geralmente os mesmos como são a total rebeldia, a morbidez e as experiências extremas.
Um lar relativista e principalmente anti-religioso são o 'caldo de cultivo' para que os valores e a promoção pessoal vá decaindo, chegando inclusive a não ter importância nada mais que o viver o momento.
Isto tem conduzido à concepção de que tudo é relativo, que a vida é um passar com um sentido puramente transitório. O que antes era 'as diversões de fim de semana' passou a ser um sistema de vida onde deve-se viver a maior quantidade de emoções no menor prazo possível, porque a vida pode se acabar em qualquer instante.

Entretanto, esta é posição exterior, a que muitas vezes não responde à interior. Interiormente o indivíduo pede um respaldo, uma ajuda ou uma companhia, esteja presente um forte déficit emocional, o sem sentido da vida que os rodeia não é mais que o produto da ausência das pessoas que são parte importante de suas vidas daqueles que os protegem frente aos acontecimentos adversos.
Suas personalidades enormemente inseguras os faz estar à espera de algo que os confirme, já não importa em quê, mas que o faça. Sentem que os calços normais há não são suficientes pelo que é necessário descobrir algum tipo de poder superior que consiga 'despertar esta sociedade tonteada por si mesma e afogada em seu próprio ser',
São freqüentes nestas pessoas a depressão, o consumo de álcool e drogas, elementos que levam a um estado de esquizofrenia ou paranóia. É necessário assinalar que o perigo destas patologias é tornar-se evidentes somente em um estado avançado, pois sua detecção não é fácil à primeira vista.
De igual modo os sintomas próprios delas podem passas despercebidos chegando a ser considerado, muito comum entre as pessoas, o sujeito como um indivíduo norma e em seus seguidores como um 'iluminado'.
O que diz a Igreja
A resposta da Igreja Católica , em relação ao demônio, suas ações e suas manifestações tem sido através da história da humanidade muito enfática.
Dentro da atitude da Igreja Católica frente ao satanismo se fazem necessárias e imprescindíveis o reconhecimento da existência do fenômeno.
Não se pode continuar pensando que não se dá o fenômeno em nossas sociedades ou comunidades: existem grupos organizados, inclusive com estruturas de caráter internacional, ou grupos que têm influência deles.
Também tem que existir um conhecimento do fenômeno. Deve haver alguém que o estude e possa dar informações convenientes e sérias aos agentes pastorais, assim como aos membros das comunidades.
Esse conhecimentos não pode ser uma simples informação, mas que deva concluir em uma tomada de posição desde a fé; isso levará em quem realiza a investigação, como em quem se serve dela, uma profissão de fé na ação pascal da Igreja.
Também requerem-se duas coisas: a primeira é que a informação que se ofereça às pessoas vá também acompanhada da postura da Igreja e de ensinamentos doutrinais muitos claros e seguros; em segundo lugar, que quem faz a investigação tenha maturidade espiritual, humana e psíquica necessária, para evitar fracassos ou problemas subseqüentes.
Com uma consciência missionária e com sentido de compromisso evangelizador, a Igreja tem que ir ao encontro dos mais frágeis, para oferecer-lhes a fortaleza da graça de Deus e a claridade da luz de Cristo. Isto exigem não somente acudir a eles, mas também acompanhá-los com sentido pastoral e de maneira contínua. Assim mesmo implicará, com sã imaginação pastoral, dar-lhes novos caminhos (os da palavra de Deus) e esperança de crescimento, convidando-os a que sua decisão seja também clara por partes deles e assim se arrisquem a seguir Jesus.
Uma das ações que a Igreja deverá fortalecer nos próximos tempos é a de aprofundar na catequese das crianças, adolescentes e jovens. Catequese contínua, catequese profunda: um convite a assumir a própria responsabilidade da fé. Catequese capilar para que penetre em todos e em todo o ser humano: que o faça vibrar com a palavra de Deus e o conduza a uma opção fundamental por Cristo.
Uma pastoral juvenil adequada e que responda aos desafios do momento. Uma profunda ação evangelizadora que fará dos jovens melhores e mais seguros seguidores de Cristo, lhes permitirá conhecer os inimigos que têm a seu redor e tomar posturas frente a eles desde uma opção de fé.
Deve-se anunciar a tempo e a destempo, valendo-se de todos os meios de que dispomos. Assim anunciaremos a força salvadora do Cordeiro vencedor do demônio.
Nosso tempo
A cultura atual se vê marcada por fatos que lamentavelmente a afastam da esfera das crenças. Já, tanto nossa sociedade, como nossa cultura, não têm a religião por centro unificador, mas seu centro localiza-se no homem e no que este pode conseguir por si mesmo, exercitando unicamente sua razão.
Este e outros motivos tem ajudado à proliferação das seitas, posto que o indivíduo sente a necessidade de algo que responda seus questionamentos mais profundos; é assim como produto desta busca que aparecem novos movimentos religiosos ou pseudo-religioões. São característicos deste momento movimentos espirituais -esotéricos tais como o da Nova Era.
É um fato inegável destes tempos a subjetividade e o relativismo que envolvem decisões humanas, mas ao mesmo tempo o desejo desta humanidade de transformar a realidade social e individual, respondendo à questões que o inquietam, despertando questionamentos; em síntese buscando a melhor maneira de adequar a posição de homens de fé à situação cultural reinante, a qual tem como grande influência o avanço das ciências e da técnica.
Cada acontecimentos desta cultura 'moderna' pode conduzir a passos gigantescos à total ruptura entre fé-ciência, entretanto, hoje contemplamos o como tornam-se cada vez mais presente facilidades para o diálogo entre a cultura e a Igreja. Existe a tomada de consciência desta necessidade; falta quiçá a adequação aos novos tempos, não somente da Igreja, mas também do homem como indivíduo imerso em uma sociedade que dia a dia tem menos tempo para a reflexão e a busca do princípio primeiro e fundamental de nossa humanidade.
Falar de satanás não é fácil mesmo quando o encontramos presente no instante de nossa criação; é assim como em nossa cultura, para alguns moderna para outros pós moderna, enfrentamos a indiferença, o medo ou a negação da existência deste ser criado e caído.
A Igreja desde sempre reconheceu e afirmou a existência de satanás como criatura de Deus; isto, entretanto, tem sido objeto de controvérsias no interior dela. Foram muitos os teólogos que trabalharam sobre o demônio, mas ainda sim, não podemos afirmar certamente se todos e cada um deles reconhecem e afirmam a existência de satanás com criatura.

 http://www.acidigital.com/seitas/seitassat.htm

Tudo o que é necessário saber sobre a Nova Era

Há trinta anos vem-se formando uma onda cultural/filosófica/religiosa que pretende reagir contra o presente estado da humanidade e empurrar esta a uma nova consciência, para uma nova forma de ser espiritual. Esta onda é chamada de Nova Era (New Age) e, hoje por hoje, não há nenhum aspecto de nossa vida que não tenha sentido seus efeitos de alguma forma.
As idéias e os objetivos da Nova Era recolhem elementos das religiões orientais, o espiritismo, as terapias alternativas, a psicologia trans-pessoal, a ecologia profunda, a astrologia, o gnosticismo e outras correntes. Os mistura e os comercializa de mil formas, proclamando o início de uma nova época para a humanidade. Mas, no fundo, não parece ser mais que outra tentativa vã do homem de se salvar por si mesmo fazendo promessas que não pode cumprir e atribuindo-se poderes que não possui.

1. A Nova Era é uma seita religiosa?

Não. A Nova Era não é uma seita, nem uma igreja, nem uma religião. É uma foram de ver, pensar e atuar que muitas pessoas e organizações adotaram para mudar o mundo segundo certas crenças que têm em comum. Mas não tem chefe, nem regras, nem doutrinas fixas, nem disciplina comum.

2. Por que, então, se diz que é uma nova religião?

A Nova Era fala de muitas coisas que tocam nossa fé: Deus, a criação, a vida, a morte, a meditação, o sentido de nossa existência, etc. ... mas não é uma religião. Toma diversos aspectos de muitas religiões e também das ciências e da literatura e os mistura com certa originalidade para dar respostas fantásticas às perguntas mais importantes da vida humana. Às vezes inclusive usa uma linguagem cristã para expressar idéias muito contrárias ao cristianismo.


sábado, 3 de janeiro de 2015

As 10 maneiras que a Disney usa para corromper nossos filhos


Para muitos, a Disney é sinônimo de histórias inocentes com personagens cantando canções de esperança e alegria. Esta é uma imagem que a Disney tem trabalhado duramente para perpetuar em seus filmes, mas muitas das mensagens supostamente inocentes, numa análise mais aprofundada, podem ser revelar perturbadoras. Não há dúvida de que os filmes da Disney têm trazido felicidade a milhões, se não a milhares de milhões de crianças em todo o mundo. Nesta lista, entretanto, analisei alguns dos temas mais angustiantes presentes em filmes da Disney, temas que podem ter afetado a nós e a nossos filhos mais do que imaginamos.



10 – Imprecisões históricas





Talvez uma das críticas mais óbvias à Disney são sobre as imprecisões históricas em seus poucos filmes baseados em eventos reais. "Pocahontas" foi acusado de ser uma paródia sobre a história do genocídio indígena. A personagem-título é retratada como uma mulher nativa, que se apaixona pelo colono John Smith, mas na realidade, Pocahontas era uma menina de apenas 10 anos. Smith fez amizade com a garota, mas não houve nenhum romance. Uma mascaração ainda pior é o final do filme. Os colonos se tornam amigos dos nativos e todos vivem felizes para sempre. Realmente Disney? Na verdade, 90% dos povos indígenas na América foram aniquilados por uma combinação de doença e de genocídio patrocinado por fanáticos colonos religiosos, acreditando que suas ações eram justificadas pela ideia do "destino manifesto". Aqueles que sobreviveram foram submetidos a más condições de vida, à grilagem das sua terras e a servidão aos europeus, que posteriormente se tornaram os atuais americanos.



9 – A extrema magreza




O ideal do tamanho zero é replicado em cada princesa da Disney, com a exceção de Branca de Neve, unicamente porque na década de 1930 os ideais de beleza eram diferentes dos de agora. Não se trata apenas das mulheres serem retratadas magras para aumentar sua atratividade, é que o nível de exagero (por exemplo, na cintura impossivelmente fina de Megara em "Hércules") cambaleia ao absurdo. Muitos críticos, principalmente feministas, atacam a Disney por esta representação das mulheres, alegando que as imagens tenham inspirado anorexia e distúrbios alimentares em crianças e adolescentes.





8 – Mensagens subliminares





A Disney tem um longo histórico de colocar mensagens subliminares em seus filmes, principalmente sob a forma de imagens escondidas, mas também, por vezes, através do som. Para quem não sabe, mensagens subliminares referem-se à imagens ou sons que passam tão rápidos que só o nosso subconsciente consegue captá-los. O caso mais notável foi reconhecido pela própria Disney. É a mensagem subliminar que foi inserida no filme Bernardo e Bianca. Você pode ver que em uma das janelas, que está ao fundo, foi inserida, em apenas alguns quadros, a foto de uma mulher seminua, não podendo ser percebida na velocidade normal do filme. A Disney foi rápida em colocar a culpa nos editores do filme, atribuindo o plantio da imagem como uma brincadeira de mau- gosto dos mesmos . Todas as cópias corrompidas do filme foram recolhidas.




7 – Assédio sexual é aceitável





Um tema recorrente nos filmes da Disney envolve uma mulher bonita que está sendo despertada por um beijo não aprovado nos lábios. Embora seja discutível que algumas pessoas não se importariam de ser acordadas pelo beijo de um príncipe incrivelmente bonito e rico, a maioria das mulheres rejeita essa ideia. Em Branca de Neve e Bela Adormecida, no entanto, as princesas tendem a não tomar o assédio muito mal, na verdade, as duas casam-se com esses estupradores em potencial após serem despertadas. Lembrem-se que as princesas estão dormindo, muito semelhante a um conto de Graciliano Ramos, onde um ladrão é preso por não resistir a beijar uma jovem que dormia na casa que o sujeito assaltava. Homens que não respeitam mulheres inconscientes devem ser retratados como heróis salvadores?




6 – Importância dos status social





Heróis e vilões da Disney são quase sempre da alta hierarquia social em relação aos outros. A estrutura do enredo de "Cinderela" gira em torno de uma mulher que consegue escapar de suas terríveis condições de vida simplesmente por se casar com um homem rico. Seu sucesso deve-se à sua atratividade em relação a suas irmãs hediondas. Este senso de justiça entre personagens centrais é consistente em quase todos os filmes da Disney. O chamados "Príncipe Encantado" são personagens tão valorizados pela sua riqueza e poder que eles podem basicamente fazer qualquer coisa. Imagine uma inversão dos papéis: substituir o príncipe Phillip de "A Bela Adormecida", por Filoctetes, um personagem menor e socialmente inferior de "Hércules". Aposto que a maioria das mulheres que acordassem com um beijo de Filoctetes gritariam “Socorro” , ao invés de "Vamos nos casar!"




5 – Feiura é sinônimo de maldade





Em quase todos os filmes da Disney o principal antagonista é retratado como fisicamente pouco atraente, incentivando as crianças a associar esse traço com o mal. Personagens femininas são particularmente sujeitas a esse tratamento, todas tem pelo menos uma das três principais características das vilãs da Disney: ser gorda (Úrsula em "A Pequena Sereia"), idade avançada (A mulher velha em "Branca de Neve") ou horrivelmente feia (as irmãs feias em "Cinderela"). A linha de fundo é que a Disney prega abertamente que atratividade é sinônimo de moralidade e felicidade. Vilões da Disney são retratados frequentemente como inseguros sobre sua aparência, capazes de fazer qualquer coisa para se tornarem mais jovens, mais magros, mais bonitos . Por exemplo, o vilã de "Branca de Neve" é obcecada por ser "a mais bela de todas elas", não medindo esforços para alcançar tal objetivo.




4 – Beleza é sinônimo de felicidade





O filme "A Bela e a Fera" trabalha com o pretexto de que a "aparência não importa". No entanto, um olhar mais atento à estrutura do enredo revela isso como falso. No clímax do filme, a besta se transforma de novo em um homem bonito, permitindo-lhe viver feliz para sempre com a Bela, igualmente atraente. Isso contradiz por completo a suposta mensagem do filme de que "aparência não importa", se isso fosse verdade, por que a transformação seria necessária? "O Corcunda de Notre Dame" também traz o personagem principal como sendo fisicamente deformado. No entanto, a mensagem é novamente distorcida quando um novo personagem bonito, na forma do capitão Phoebus, é introduzido para se casar com Esmeralda, em vez de o protagonista, que, claro, não é digno dela por causa de sua feiura.




3 – Imagens satânicas





Existe evidência visível sugerindo que a Disney usa temas sutis de satanismo em seus filmes. Por exemplo, a besta de "A Bela e a Fera" é retratada como uma criatura com chifres e presas, semelhante à imagem tradicional de Lúcifer. Filoctetes em "Hércules", também é exibido desta forma, com chifres e cascos fendidos. O mais bizarro e o caso mais controverso seja, talvez, a adaptação da Disney de "O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa". Tem sido argumentado que o encontro de Lúcia, menina de oito anos, com o Sr. Tumnus, esconde sutilmente um caso de pedofilia: o estranho (aliás retratado com pernas de cabra e chifres) convence Lúcia a visitar a sua casa antes de colocá-la para dormir, tocando canções de ninar em sua flauta . Na próxima cena, Lúcia acorda e encontra Tumnus chorando e dizendo que ele "fez algo muito ruim". Apesar das evidências de um tema mais sombrio, muitos críticos da teoria sugerem que a história mostra simplesmente as consequências de se confiar em estranhos.



2 – Tudo é fofo, tudo termina bem





Muitos se sentem inclinados a oferecer a Disney alguma indulgência nesse assunto, uma vez que o alvo de seus filmes são crianças. Outros são inclinados a condená-la por revestir de doçura temas como a morte e o engano. Em "O Rei Leão"; um filme baseado no clássico de William Shakespeare, a tragédia "Hamlet", a Disney alterou o final original da peça, em que muitos dos personagens centrais morrem, substituindo-o com um triunfo perfeito do bem sobre o mal, tornando a trama sem sentido e assegurando um processo milionário para Shakespeare, caso o bardo estivesse vivo. Contudo, "Hamlet" não é a única obra-prima literária que a Disney massacrou nas telas. Tome a estrutura do enredo de Hans Christian Anderson, "A Pequena Sereia" e você vai encontrar um outro final drasticamente alterado. No original, Ariel não se casa com o príncipe e é forçado a matá-lo para recuperar sua cauda de sereia, mas ela não consegue assassinar o amado e morre tristemente.




1 - Estereótipos raciais





Globalmente, a mensagem mais flagrante e inequívoca que a Disney transmite às crianças, é como discriminar as pessoas por suas raças. Os corvos em "Dumbo", lançado em 1941, quando o crime do racismo contra os afro-americanos era tolerado, é provavelmente o exemplo mais flagrante. A linguagem e os trajes dos pássaros tem a clara intenção de zombar dos afro-americanos. Os personagens existem apenas para ajudar o protagonista branco, e serem motivo de piadas entre o público branco, acrescentando insulto e injúria sobre o estereótipo já gritante. Outro exemplo é o gato chinês de "Os Aristogatas", que canta sobre biscoitos da sorte (inventado na América aliás) com um sotaque asiático quase ininteligível. Notem também, que nas histórias da Disney, quando os personagens mais famosos ( Mickey, Donald e CIA ) viajam para outros países, os nativos são apresentados como indolentes, preguiçosos, incapazes de gerir os próprios assuntos. A mensagem racista e imperialista está escancarada: levem nossas riquezas, porque nós não as merecemos.

Total de visualizações de página